Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemAndre Matos sempre foi de esquerda e reprovaria governo atual, diz irmão do maestro

imagemDo Ozzy ao Slayer: veja os momentos mais metal do desenho South Park

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemSyd Barrett em 1967 analisando os principais singles lançados em julho

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemDaniel Cavanagh, do Anathema, sobrevive a tentativa de suicídio

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemComo CDs e MP3s decepcionaram Jimmy Page

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"


Stamp

Resenha - Rabbit Don't Come Easy - Helloween

Por Fernando De Santis
Em 21/04/03

Nota: 9

O Helloween meio que entrou numa "crise" no final da tour do disco "The Dark Ride", quando Andi Deris teve que abandonar os últimos shows no México, por causa de uma doença. Após isso, foi anunciada a saída de Roland Grapow (guitarra) e Uli Kusch (bateria). A banda passou um bom tempo procurando por novos membros até que anunciaram Mark Cross (ex-Metalium), que alguns meses depois teve que abandonar as baquetas do grupo por ter ficado muito doente. Mas parece que todos esses acontecimentos serviram como fonte de inspiração e fizeram com que a banda alemã buscasse forças para fazer um disco marcante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em "Rabbit Don’t Come Easy", o Helloween contou com uma coleção de bateristas. Mark Cross chegou a gravar duas faixas antes de ficar doente, enquanto a grande parte das músicas ficaram por conta de Mikkey Dee (Mothorhead). Já os b-sides foram gravados pelo novo baterista da banda, Stefan Schwarzmann. Além disso, desta vez o Helloween gravava e os fãs podiam assistir a tudo pela internet, diretamente da câmera do estúdio Mi Sueño. Charlie Bauerfeind que produziu o álbum era o "personagem" principal do "Big Brother Helloween", já que ele estava na frente da webcam 80% das vezes, trabalhando na produção.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O que marca nesse álbum é um retorno ao estilo do Helloween... aquele velho estilo "Happy happy Helloween", que fora esquecido no "The Dark Ride". A escolha do single desta vez surpreendeu muito, pois deixaram de lado as canções comerciais e escolheram uma bem pesada - "Just A Little Sign". Interessante lembrar que desta vez, não colocaram uma introdução no disco. A porrada começa direto, sem nenhum prelúdio. A faixa de abertura é um power melódico de boa qualidade que nos faz pensar: "Pra que escutar as cópias se eu posso escutar a banda original?". Sascha Gerstner, o novo guitarrista do grupo, que teve uma certa rejeição por parte dos fãs no início, provou ter sido uma boa escolha. Além de demonstrar uma técnica apurada nas seis cordas, Gerstner ainda criou duas músicas: "Open Your Life" e "Listen To The Flies", que não fugiram do padrão do Helloween.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Michael Weikath foi responsável por três músicas: "The Tune" que preserva aquelas melodias alegres do Helloween, no estilo de "Living Ain’t No Crime" ou "Shit and Lobsters", "Do You Fell Good", que é bem pesada e a fantástica "Nothing To Say", que tem um pré-refrão que mais se parece um reggae (!!!)... mas não pensem que o Helloween se perdeu, pois apesar da parte de "reggae" (que é interessante) a música é fantástica, cheia de passagens distintas, como paradas climáticas, trechos lentos e até sapos no final, que foram gravados do lado de fora do estúdio, em Tenerife.

Markus Grosskopf que não teve nenhuma composição no álbum anterior (apenas com b-sides), desta vez presenteou os fãs com duas obras fantásticas: "Liar" que lembra até "Reptile" do álbum "Walls Of Jericho" em alguns trechos e "Hell Was Made In Heaven" outra composição com cara de Helloween, cheia de peso e riffs marcantes. Andi Deris, que já se tornou o compositor principal do Helloween, além de ter feito a "Just Little Sign", ainda criou a "Never Be A Star" que é mais cadenciada, a balada "Don’t Stop Being Crazy" e a interessante "Back Against The Wall" que é bem climática, com um refrão marcante e em alguns trechos, lembra algumas músicas do trabalho solo dele, "Done By Mirrors".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Quem achava que os problemas vivenciados pelo Helloween nesses últimos anos iriam prejudicar a performance da banda, enganou-se completamente. A banda tirou (com certa dificuldade) o coelho da cartola e colocou nas prateleiras um disco que com certeza vai agradar aos fãs.


Outras resenhas de Rabbit Don't Come Easy - Helloween

Resenha - Rabbit Don't Come Easy - Helloween

Resenha - Rabbit Don't Come Easy - Helloween

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Helloween: Decifrando o disco "Master of The Rings" (podcast)


Saúde: 20 músicas para jovens ficarem animados durante a atividade física - Parte 1



Sobre Fernando De Santis

Paulistano, nascido em 1979, Fernando De Santis passa grande parte do seu tempo viajando entre São Paulo, Santos e Curitiba. Nas horas de viagens dentro de ônibus ou aviões, costuma ouvir Hard Rock, Heavy Metal e demos de qualquer estilo. Atualmente trabalha como webdesigner para o Estado de São Paulo. Mantém o site "We Burn", dedicado ao Helloween desde 1998, que nunca lhe trouxe nenhum dinheiro, mas rendeu muito amigos.

Mais informações sobre

Mais matérias de Fernando De Santis.