Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemAndre Matos sempre foi de esquerda e reprovaria governo atual, diz irmão do maestro

imagemDo Ozzy ao Slayer: veja os momentos mais metal do desenho South Park

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemSyd Barrett em 1967 analisando os principais singles lançados em julho

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemDaniel Cavanagh, do Anathema, sobrevive a tentativa de suicídio

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemComo CDs e MP3s decepcionaram Jimmy Page

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"


Stamp

Resenha - On To Evermore - Glass Hammer

Por Thiago Sarkis
Em 10/02/03

Nota: 8

Atenção fãs do progressivo! Por indicação de ninguém menos que Neal Morse (ex-Spock’s Beard), demos uma conferida profunda na carreira dos americanos do Glass Hammer, os quais, infelizmente, não têm seus trabalhos difundidos da maneira que merecem no Brasil.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Pensamos em trazer já de cara a resenha de "Lex Rex", álbum lançado em 2002. Contudo, uma pequena introdução não faz mal a ninguém e "On To Evermore", de 1998, nos possibilitará levar os leitores a ingressarem no estilo e abordagem do conjunto.

O início das atividades ocorreu em 1992 e, de lá pra cá, foram lançados sete discos, sendo um deles ao vivo. Este que comentamos aqui é o quarto e aparece como um destaque na carreira do grupo. Sem dúvida, tem méritos pra isso.

A ‘fragrância’ dos anos setenta, nas influências de Genesis e, em especial ELP, é elevada ao máximo por nove faixas repletas de belas harmonias, proporcionadas principalmente pelos teclados. Em outros momentos, o bandolim de Fred Schendel e as guitarras aparecem também como importantes peças no suporte da via harmônica sentida e ‘angelical’, digamos assim.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Nessa acepção, o trabalho é fantástico. Contudo, outras partes deixam a desejar. As melodias vocais não mexem e vibram tanto quanto o instrumental, exceto em algumas músicas, como a excelente "Arianna", de quase dezessete minutos, além de "The Conflict" e "Junkyard Angel". Cantos corretos geralmente, acertados, e nada mais.

Uma produção boa e que dá enfoque, por uma boa causa, aos teclados. Magníficos de fato, mas com cítara, flautas, e tantas outras opções, haveria muito que se fazer. E é nessa hora que você clica no link "Glass Hammer – Lex Rex", para ler os comentários sobre o disco de 2002, o qual...

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Site Oficial – http://www.glasshammer.com

Formação:
Fred Schendel (Vocais – Backing Vocals – Teclados – Guitarras – Cítara – Bandolim – Flauta – Bateria)
Steve Babb (Vocais – Backing Vocals – Teclados – Baixo – Percussão)
Walter Moore (Vocais – Backing Vocals – Guitarras – Bateria)
David Carter (Backing Vocals – Guitarras)

Material cedido por:
Sound Resources – http://www.glasshammer.com
P.O. Box 16046, 11000
Chattanooga, TN 37416
Email: [email protected]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis.