Resenha - Hate Crew Deathroll - Children Of Bodom

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Eduardo 'seventh_son' Ukstin
Enviar Correções  

10


Publicado na

BODOM NIGHT homepage

publicidade

Depois de esperar quase 2 anos desde o lançamento do Follow the Reaper finalmente somos presenteados com o novo álbum do Children of Bodom entitulado Hate Crew Deathroll. Como sempre a banda surpreende a cada lançamento, foi assim nos álbuns anteriores e alguns acreditavam que depois do Follow the Reaper a banda iria se estabilizar e manter seu estilo já consagrado, mas o que vemos nesse álbum nos surpreende muito.

publicidade

O crescimento musical dos integrantes da banda é notável nesse novo disco, e sente-se que houve um cuidadoso trabalho para que todos os instrumentos aparecessem na medida certa. O novo álbum é o trabalho mais pesado que a banda já fez e é tão cativante quanto o seu excelente Hatebreeder. Escute algumas vezes e entenderá o que quero dizer. Temos uma grande novidade, algo que o CoB nunca tinha feito, dobrar as guitarras, e o resultado ficou muito bom. Esse novo estilo de tocar trouxe mais peso à banda e proporcionou ao guitarrista Alexander mostrar todo o seu potencial.

publicidade

Nesse álbum toda a banda se destaca. Janne Warman continua tocando muito bem, suas participações nas músicas do CoB tornam o seu teclado um componente adicional e não apenas heavy metal com teclados. O guitarrista Alexander têm, pela primeira vez, a oportunidade de mostrar o grande guitarrista que é, já que agora a sua participação no álbum é quase igual à do outro guitarrista Alexi Laiho. Aliás ele mostra que é capaz de muito mais do que apenas tocar a parte rítmica da guitarra fazendo duetos muito harmoniosos e que trouxeram peso e musicalidade a esse novo trabalho. Alexi Laiho com certeza andou fazendo algumas aulas de canto, já que nesse trabalho sua voz está soando melhor, mais limpa, mas sem perder a agressividade que tornou seu vocal único no Heavy Metal. Quanto à cozinha não há comentários, Henkka e Jaska estão se entendendo muito bem, fazendo um som massivo que contribui muito ao peso resultante nesse disco. Jaska quase não dá folga a sua bateria usando habilmente o bumbo duplo com o restante das peças de sua "máquina mortífera".

publicidade

Já na primeira música, Needled 24/7 você notará tudo o que eu disse acima. Ela é bem no estilo CoB de fazer música, rápida mas com um peso extra, excelente música para a abertura do álbum. Nela ouvimos vários elementos novos. Janne Warman toca seu teclado como nunca, trazendo novas sonoridades à música e com um refrão lindo. Você vai querer escutar todas as músicas depois de ouvir essa. A próxima música, Sixpounder, entra com as guitarras bem ao estilo da banda Pantera, pesadas e cadenciadas, mas isso é só o início. Logo vemos a agilidade que a banda sempre traz às suas músicas, e podemos destacar aqui as guitarras, que misturam momentos mais cadenciados com solos mais rápidos e muito bem colocados.

publicidade

A terceira música, Chokehold (Chocked 'n' Loaded) já é mais ao estilo do Hatebreeder, com momentos mais rápidos e alguns mais cadenciados. O grande destaque dessa música é o refrão, onde há o backing vocal dos outros integrantes da banda seguidos por Laiho cantando bem ao seu estilo. A sonoridade que isso trouxe foi incrível, e esse backing vocal permeia o restante do álbum. Bodom Beach Terror, a quarta música, parece que não nos trará nada de muito bom, mas isso até que o vocalista grita 'Let's go' e a banda entra com tudo. Novamente o destaque da música é o refrão só que agora com todos cantando em backing e Laiho na primeira voz. Lindo, perfeito, maravilhoso.

publicidade

A quinta música, e com certeza uma das melhores do álbum, é Angels Don't Kill. Aqui a banda conseguiu fazer sua música mais pesada, e não só desse álbum mas de todos os álbuns que já fez. Quem gostou da música Everytime I Die do disco anterior vai se apaixonar por essa música. Ela tem uma atmosfera muito pesada e é muito cadenciada. Inicia com o sempre perfeito teclado de Janne Warman para depois entrarem as guitarras sem nenhuma pressa. Se você prestar bem atenção dá até para entender o que Laiho canta nessa música. Os solos são bem lentos e cheios de feeling. É uma música bem melancólica mas que te conquista logo nas primeiras notas. Nela Jaska toca com grande tranquilidade, sem fazer uso do bumbo duplo, talvez até um descanso para ele, já que nas anteriores ele não deu nenhuma folga à sua bateria. É difícil definir essa música com palavras, mas uma que certamente a define é PERFEIÇÃO.

publicidade

Depois desse descanso vem a sexta música, Triple Corpse Hammerblow, que demora um pouco até te conquistar, mas é só chegar ao refrão que você vai estar adorando a música. Mais uma vez temos os vocais do restante dos integrantes e, a partir daí, as guitarras e o teclado estão colocados com muita maestria. You're Better Off Dead, é a sétima música e também a escolhida para o single da banda, single esse que em duas semanas alcançou ouro na Finlândia. Quem ainda não ouviu essa música não vai se arrepender, o som é bem rápido e os solos são perfeitos, excelente para levantar o ânimo de qualquer um.

Lil' Bloodred Ridin' Hood, a oitava música é uma porrada em nossas orelhas desde o início, aqui temos o velho e bom CoB só que com mais peso. Aqui tudo está perfeito, as guitarras estão ótimas, o teclado de Janne sempre nos traz boas surpresas e a cozinha também está excelente, com Hennka e Jaska se entendendo muito bem.

Mas se você acha que tudo isso já está ótimo para o álbum você irá se apavorar com a última música do disco, que traz o mesmo nome do álbum. Hate Crew Deathroll é um delírio do início ao fim. Essa música não poderia ter ficado melhor, traz uma letra cheia de raiva e a atmosfera que o som traz é o mesmo, com os teclados um pouco mais sombrios e Laiho cuspindo as letras com fúria e convicção. Jaska acaba com a sua bateria nessa música! Tudo está perfeito até que a banda se prepara para o refrão, e digo sem nenhum temor, que esse refrão é lindo, perfeito, emocionante. Dá vontade de chorar quando vejo o que essa banda é capaz de fazer!!! Tanto a letra do refrão quanto os backing vocals estão perfeitos e se isso já não bastasse Laiho está maravilhoso, a sua voz não poderia se encaixar melhor. A perfeição é um adjetivo que não consegue definir essa música, ela é muito mais do que isso. Tudo nela está extraordinário: solos, guitarras, bateria, baixo, os grandes teclados do Janne e Laiho cantando melhor do que nunca. Aqui nessa música você notará o quanto ficou bom o trabalho dos backing vocals. Quando essa música acaba, você fica com um gostinho de quero mais, mas infelizmente o álbum acaba aqui, e não poderia acabar melhor.

Na versão Finlandesa do álbum ainda há um cover do Slayer, Silent Scream, que dispensa comentários.

Esse álbum ficou perfeito, principalmente pelas mudanças que a banda propôs: as guitarras dobradas, os backing vocals, o maior peso colocado nas músicas, os vocais mais "limpos", tudo veio só a acrescentar nesse novo álbum, tanto que em menos de uma semana após o lançamento do álbum a banda já alcançou o primeiro lugar nas paradas Finlandesas. Mas muitas pessoas, infelizmente, não gostaram muito dessas mudanças que a banda está propondo, e podemos ver muitas opiniões divididas acerca do novo álbum, muitos estão amando e alguns até odiando esse álbum. Fica para você, caro leitor, tirar suas próprias conclusões. E para os mais atentos, notarão que esse álbum traz muitas influências de outras bandas, quem tiver um ouvido bem aguçado poderá notar semelhanças em algumas partes das músicas com outras bandas.

O álbum foi lançado no dia 07 de Janeiro na Finlândia, deverá ser lançado no início de Fevereiro no Japão, provavelmente com a cover do Ramones "Somebody Put Something in My Drink" como bônus, e para a Europa e restante do mundo no mês de Março. Mas se você não aguenta esperar até lá pode comprar ele diretamente no site da gravadora Spinefarm (http://www.spinefarm.fi/metal).

publicidade


Outras resenhas de Hate Crew Deathroll - Children Of Bodom

Chidlren Of Bodom: um caminhão carregado de ódio




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Em 30/10/2000: Children Of Bodom lançava o excelente Follow The Reaper

Bodom After Midnight: banda de Alexi Laiho anuncia primeiros showsBodom After Midnight
Banda de Alexi Laiho anuncia primeiros shows


Rock/Metal: 7 nomes de bandas que você pronuncia errado, parte 2Rock/Metal
7 nomes de bandas que você pronuncia errado, parte 2

Children Of Bodom: Alexi não se atreveria a tocar Dire StraitsChildren Of Bodom
Alexi não se atreveria a tocar Dire Straits


Marilyn Manson: Sou ainda pior fora do palcoMarilyn Manson
"Sou ainda pior fora do palco"

Bruce Dickinson: sua coleção de clássicos do MetallicaBruce Dickinson
Sua coleção de clássicos do Metallica


Sobre Eduardo 'seventh_son' Ukstin

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin