Chidlren Of Bodom: um caminhão carregado de ódio

Resenha - Hate Crew Deathroll - Children Of Bodom

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O Children Of Bodom apareceu como um foguete no final dos anos 1990 com um death metal melódico sombrio, ríspido, com muita técnica e sangue no olho. Os três primeiros discos chocaram o mundo, principalmente pela pouca idade de deus integrantes, em sua maioria, na casa dos 20 e poucos anos. Sem sombra de dúvidas, com a entrada do novo século, o Children Of Bodom deixava de ser uma promessa para ser uma realidade.

Kryour: prestando tributo ao Children of Bodom em vídeo ao vivoGuitarristas: os 10 maiores de todos os tempos segundo a Time

Com o caminho pavimentado, em 2003 sai o excelente "Hate Crew Deathroll", que continua extremamente pesado, técnico, porém mais maduro e moderno que seus brilhantes antecessores.

Alexi Laiho mais uma vez presenciou seus fãs com um trabalho estupendo, que sem sombra de dúvida, figura entre os melhores lançamentos da carreira da banda que até tempos atrás era revelação e atualmente pode ser considerada veterana.

Logo de cara, uma dobradinha que faz o disco todo valer a pena: "Needled 24/7" e "Sixpounder". A primeira, típica música de abertura, rápida, cruel e certeira. A segunda é um dos maiores clássicos da banda, e ambas são carregadas do sentimento que dá nome ao álbum e que sempre foi a base do som da banda: o ódio.

Conforme dito, apenas essas duas já valeriam o investimento, mas ainda sobra espaço e tempo para pedradas de respeito, como "You're Better Off Dead!", "Angels Don't Kill" (que parece trilha sonora de filme de terror/suspense), "Bodom Beach Terror" e seu peso marcante que lembra um pouco o álbum anterior, "Follow The Reaper", além da sensacional faixa título, com a sensacional introdução no teclado, que no COB está longe de ser apenas um coadjuvante no som.

A repercussão de "Hatecrew..." ajudou o COB a se tornar um fenômeno no mundo inteiro e a consolidar seu nome na cena mundial. Se você tem entre 30 e 40 anos, certamente presenciou a febre que a banda foi entre a galera headbanger (pelo menos a que buscava novidades e não estava presa nos anos 80).

Um disco moderno, pesado, inovador e que diz muito sobre os rumos do metal neste século. Se conhece, ouça de novo. Se não conhece, corra atrás para corrigir esse erro em sua vida.

Ano de lançamento: 2003

Faixas:

"Needled 24/7"
"Sixpounder"
"Chokehold (Cocked 'n' Loaded)"
"Bodom Beach Terror"
"Angels Don't Kill"
"Triple Corpse Hammerblow"
"You're Better Off Dead"
"Lil' Bloodred Ridin' Hood"
"Hate Crew Deathroll"

Formação:

Alexi Laiho: Vocal/guitarra
Alexander Kuoppala: guitarra
Janne Wirman: teclado
Henkka T. Blacksmith: baixo
Jaska Raatikainen: bateria


Outras resenhas de Hate Crew Deathroll - Children Of Bodom

Resenha - Hate Crew Deathroll - Children Of Bodom




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Children Of Bodom"


Kryour: prestando tributo ao Children of Bodom em vídeo ao vivo

Alexi Laiho: aparentemente tive a clavícula quebrada por 10 anos, afirma Alexi LaihoAlexi Laiho
"aparentemente tive a clavícula quebrada por 10 anos", afirma Alexi Laiho

Children Of Bodom: Natal, comilança, álcool e chutes no sacoChildren Of Bodom
Natal, comilança, álcool e chutes no saco

Mascotes do Metal: os dez maiores segundo The GauntletMascotes do Metal
Os dez maiores segundo The Gauntlet


Guitarristas: os 10 maiores de todos os tempos segundo a TimeGuitarristas
Os 10 maiores de todos os tempos segundo a Time

Postura: 12 coisas que você nunca deve dizer a um músicoPostura
12 coisas que você nunca deve dizer a um músico

Rock In Rio I: Pra quem tem menos de quarenta anos fica difícil imaginarRock In Rio I
Pra quem tem menos de quarenta anos fica difícil imaginar

Ultimate Classic Rock: as 25 músicas mais tristes da históriaHeaven & Hell: mistérios e autocensura na capa de álbumSlayer: "Importante não é a melodia, mas a fúria na voz"Metallica: veja vídeo de ensaio com Lady Gaga para o Grammy

Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336