Resenha - Shapes Of Memory - Ivory Gates

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por André Toral
Enviar Correções  


Diz a lenda que, para retornarmos de um sonho, temos dois caminhos a seguir: ou atravessar o portal de espinhos e lembrar do sonho e faze-lo tornar-se realidade, ou atravessar o portal de marfim (Ivory Gate) e deixar as memórias no mundo dos sonhos.

publicidade

É assim que começa "Shapes of Memory", atravessando um dos portais ("Through The Ivory Gates")...

Se musicalmente podemos considerar esse um disco conceitual, onde uma música tem relação com a outra, nos temas das letras é um álbum bem variado, indo desde temas mais voltados a fantasia ("Unchained"), literatura ("Masquerade – Edgar Allan Poe "The Masque Of The Red Death"), questões do mundo moderno, solidão e destruição da natureza ("The Witness", "Trancendence") e reflexões sobre as memórias acumuladas ao longo de uma vida ("Images Reflected"), tema esse que também dá título ao disco.

publicidade

O encerramento se dá com a música "What I believe", que, dividida em três partes distintas, reflete sobre a necessidade de lutar pelo que se acredita, apesar das dificuldades.

Enfim, em pouco mais de cinqüenta minutos, a Ivory Gates mostra sua proposta com um estilo único, com músicas bastante trabalhadas mas sem soar auto-indulgentes, tendo como referências mais próximas os trabalhos mais antigos de Queensryche, Kansas e mais atualmente Symphony X, somados aos arranjos vocais de Rush e Uriah Heep.

publicidade


Outras resenhas de Shapes Of Memory - Ivory Gates

Resenha - Shapes of Memory - Ivory Gates




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Megadeth: O recadinho provocante da vocalista do HuntressMegadeth
O recadinho provocante da vocalista do Huntress

Slayer: assista Ivete Sangalo cantando Dead Skin MaskSlayer
Assista Ivete Sangalo cantando "Dead Skin Mask"


Sobre André Toral

Formado em Administração de Empresas. Curte Hard clássico dos anos 70 e início dos 80; Heavy Metal é sua religião.

Mais matérias de André Toral no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin