Resenha - Last Bewitchment - Penumbra

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Mais um cd de heavy gótico? Vocais femininos? Um vocal masculino rasgado? Teclados em excesso? Será que os franceses do Penumbra não conseguiram algo que soasse diferente de Nightwish ou Lacuna Coil, ou outros nomes do gênero? Desde o estouro das bandas heavy com vocalistas femininas, houve uma verdadeira explosão de bandas gothic-metal, heavy tradicional, ou até mesmo hard-rock com vocais femininos... algumas boas, mas muitas literalmente iguais.

Inspiração: 30 canções (não somente rock) para mantê-lo motivadoSexo: como se comportam os fãs de cada vertente de Metal?

O Penumbra de fato nos faz lembrar a princípio os finlandeses do Nightwish. Principalmente se ouvirmos a primeira música, "Neutral", aonde os teclados ficam em evidência e os corais lembram muito a música de Tarja & cia. A faixa seguinte, "Princess of My Dreams" já lembra muito The Gathering, pela mescla de peso e melodia, e vocais mais limpos,não tão operísticos, com um show de vocais rasgados. Já a faixa título consegue embolar todo o meio de campo, misturando a agressividade do black metal com toques heavy e ao mesmo tempo progressivos.

Este é o diferencial do Penumbra. Nunca transitar por um estilo apenas. Faixas como "Moaning on Earth" e "A Torment of Fears" lembram o death melódico de bandas como InFlames, ao passo de que a faixa "Insurrection" traz muitos elementos do speed oitentista misturado com climas góticos (vocais limpos e urrados). E o cd também tem baladas, como a bela "Testament" com belíssimos arranjos de cordas, e a quase épica "The Young Martyr" que prima pelo belíssimo trabalho orquestrado. Destaques? Difícil... todas as faixas são legais e com estilo, mas é legal conferir a última: "Pie Jesus", cantada em Francês.

Um disco que peca pela falta de originalidade, mas que tem como mérito agregar vários estilos, com muita habilidade e coesão. Para uma banda formada em 1996, era de se esperar algo melhor, com mais personalidade, mas mesmo assim vale conferir. Se acertarem a mão no próximo cd, farão um grande lançamento.

Line Up:
Jarlaath - Vocais
Neo: Guitarras
Dorian - Guitarras
Zoltran - Teclados
Agone - Baixo, Vocais Limpos
Galic - Bateria
Meduza - Vocais Soprano

Site: www.season-of-mist.com

Gravadora: Hellion Records




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Penumbra"


Inspiração: 30 canções (não somente rock) para mantê-lo motivadoInspiração
30 canções (não somente rock) para mantê-lo motivado

Sexo: como se comportam os fãs de cada vertente de Metal?Sexo
Como se comportam os fãs de cada vertente de Metal?

Raimundos: O verdadeiro motivo para a saída de Rodolfo da bandaRaimundos
O verdadeiro motivo para a saída de Rodolfo da banda

Guns N' Roses: a história da saída de cada integranteGuns N' Roses
A história da saída de cada integrante

Lemmy Kilmister: Esta coisa de Black Metal me faz rir!Lemmy Kilmister
"Esta coisa de Black Metal me faz rir!"

Iron Maiden: Descubra como o heavy metal pode salvar sua vidaIron Maiden
Descubra como o heavy metal pode salvar sua vida

Ozzy: quando viu o Slipknot, ele pensou mas que porra é essa?Ozzy
Quando viu o Slipknot, ele pensou "mas que porra é essa?"


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336