Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemOzzy Osbourne diz que "tinha muito o que provar" com "No More Tears"

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagemMetade das pessoas com menos de 23 anos desconhecem Pink Floyd, David Bowie e Bon Jovi

imagemO clássico do Helloween que fez Angra mudar nome original de "Running Alone"

imagemJen Majura disse que sair do Evanescence não foi decisão dela e recebe apoio dos fãs

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis


Stamp

Resenha - Last Bewitchment - Penumbra

Por Rafael Carnovale
Em 16/11/02

Nota: 7

Mais um cd de heavy gótico? Vocais femininos? Um vocal masculino rasgado? Teclados em excesso? Será que os franceses do Penumbra não conseguiram algo que soasse diferente de Nightwish ou Lacuna Coil, ou outros nomes do gênero? Desde o estouro das bandas heavy com vocalistas femininas, houve uma verdadeira explosão de bandas gothic-metal, heavy tradicional, ou até mesmo hard-rock com vocais femininos... algumas boas, mas muitas literalmente iguais.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O Penumbra de fato nos faz lembrar a princípio os finlandeses do Nightwish. Principalmente se ouvirmos a primeira música, "Neutral", aonde os teclados ficam em evidência e os corais lembram muito a música de Tarja & cia. A faixa seguinte, "Princess of My Dreams" já lembra muito The Gathering, pela mescla de peso e melodia, e vocais mais limpos,não tão operísticos, com um show de vocais rasgados. Já a faixa título consegue embolar todo o meio de campo, misturando a agressividade do black metal com toques heavy e ao mesmo tempo progressivos.

Este é o diferencial do Penumbra. Nunca transitar por um estilo apenas. Faixas como "Moaning on Earth" e "A Torment of Fears" lembram o death melódico de bandas como InFlames, ao passo de que a faixa "Insurrection" traz muitos elementos do speed oitentista misturado com climas góticos (vocais limpos e urrados). E o cd também tem baladas, como a bela "Testament" com belíssimos arranjos de cordas, e a quase épica "The Young Martyr" que prima pelo belíssimo trabalho orquestrado. Destaques? Difícil... todas as faixas são legais e com estilo, mas é legal conferir a última: "Pie Jesus", cantada em Francês.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Um disco que peca pela falta de originalidade, mas que tem como mérito agregar vários estilos, com muita habilidade e coesão. Para uma banda formada em 1996, era de se esperar algo melhor, com mais personalidade, mas mesmo assim vale conferir. Se acertarem a mão no próximo cd, farão um grande lançamento.

Line Up:
Jarlaath – Vocais
Neo: Guitarras
Dorian – Guitarras
Zoltran – Teclados
Agone – Baixo, Vocais Limpos
Galic – Bateria
Meduza – Vocais Soprano

Site: www.season-of-mist.com

Gravadora: Hellion Records

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale.