Resenha - KavooKavala - Raimundos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Assentada a poeira, após a saída de Rodolfo Abrantes do Raimundos, a banda lança finalmente seu álbum de estúdio completo, considerando que o CD “Éramos Quatro” tinha músicas gravadas com Rodox no vocal. A banda acertou em cheio em incorporar o guitarrista Marquinho (Ex-Peter Perfeito), que impôs mais qualidades às guitarras e aos solos, e vem agora com um cd com o inusitado título de “KavooKavala”, e com uma arte muito legal, toda em desenhos. Ponto para a banda, que inovou nessa parte.
1946 acessosMr. Catra: Projeto Rock de cantor pede ajuda5000 acessosJohnny Ramone: "Não era bom abrir o show do Black Sabbath"

Musicalmente, o cd mostra que o Raimundos nunca vai se acabar (roubando da música “Marujo” do primeiro cd): “Fique! Fique!”, a primeira faixa, é um hardcore pesadão de respeito, com Digão melhorando sensivelmente em seu vocal, que agora está bem mais colocado, e com as guitarras mais agressivas e os backings de Canisso, que fazem diferença da formação anterior. O cd alterna momentos de puro punk rock como a energética “Crocodilo Meio Quilo”, a poppy punk “Joey” (bela homenagem a Joey Ramone, cujo refrão, chupado de “Mulher de Fases”, é muito legal: “bota aquele som que o Joey mandou pra mim”) e “Vento Certo” (que de longe lembra o poppy punk de bandas como Blink 182 e Green Day), e faixas mais puxadas para o rock tradicional brazuca influenciado por Titãs e Paralamas, como “Vento Certo (Água da Mina)”, a cativante e acessível “Princesinha” (a música “romântica”) e na tipicamente rockeira “Atitude Severa”. Todas até bem legais, mas pouco inovadoras. A banda parece não querer arriscar muito nesse momento.

O Hardcore pesadão volta na faixa título, que tem a participação de Derrick “Fumaça” Green, do Sepultura, como o personagem KavooKavala, na curtíssima “El Mariachi” (uma das melhores do cd, que lembra muito “Wipe Out” do cd “Lapadas do Povo”), e na faixa “Baixo Calão”, aonde os vocais de Digão se alternam com o de Telo (que é co-autor em várias músicas). A banda realmente surpreende quando incorpora o espírito Ska na faixa “Pegamutakalá” (que lembra muito o Rappa) e na pesadíssima “Mas Vó”, aonde a letra séria sobre sofrimento e luta chega a assustar, vindo da banda que já escreveu pérolas como “Nega Jurema” e “Minha Cunhada”.

Quanto aos boatos que o cd conteria recados para o ex-vocalista Rodolfo, é uma questão de interpretação pessoal.

Não é um cd fraco. Mas a banda poderia fazer melhor, principalmente pelo potencial demonstrado nos shows com a nova formação. Mas vale a pena conferir, pois pelo menos eles não acabaram e mostram que podem sobreviver sem Rodolfo. Isso já é um bom recomeço.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

RaimundosRaimundos
"Eu perdoei, mas eu não esqueci", diz Digão

1946 acessosMr. Catra: Projeto Rock de cantor pede ajuda244 acessosSPTV: A História do Rock no Brasil, dos 80 aos 20000 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Raimundos"

RaimundosRaimundos
"Eu perdoei, mas eu não esqueci", diz Digão

PolêmicaPolêmica
As maiores tretas no Rock em 2014

RaimundosRaimundos
Ficou aquele gostinho de que podia ser melhor

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Raimundos"

Johnny RamoneJohnny Ramone
"Não era bom abrir o show do Black Sabbath"

GuitarraGuitarra
Os melhores solos da história segundo a Guitar World

Black SabbathBlack Sabbath
Os vocalistas misteriosos da banda

5000 acessosMetallica: Jason Newsted, 14 anos de humilhação5000 acessosMaquiagem, spikes e sorrisos: conheça o Happy Black Metal5000 acessosNirvana: divulgadas novas fotos da cena da morte de Kurt Cobain4553 acessosIron Maiden: Assista a introdução dos shows da nova tour5000 acessosPearl Jam: homenagem emocionante ao Eagles Of Death Metal5000 acessosJimi Hendrix: roadie diz que ele foi morto por empresário

Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online