Resenha - Heathenreel - Elvenking

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

9


Não há nada melhor do que curtir um disco, o qual chegou até você com todas as possibilidades de ser uma mala sem alça e te dar uma baita dor de cabeça ao ouvir, e acabou se tornando uma agradável e surpreendente audição.

O Elvenking vem da Itália, terra boa, centro metálico de qualidade dos anos 90, mas donde vêm derivando uma enxurrada de clones e músicos oportunistas. As referências feitas a eles rondavam uma influência de Skyclad, com toques de Rhapsody, entre outras coisas. De maneira alguma isso seria um ponto negativo, porém, sem dúvida, consiste num fator bastante propício ao surgimento de mais uma cópia chula.

publicidade

Então tratemos de comemorar, pois dessa vez todas as expectativas foram ralo abaixo e temos novidade e alta qualidade com a marca italiana.

A descrição sobre o estilo tinha suas razões, todavia merece mais especificidade. Digamos que o Skyclad ganhou peso e velocidade e o Thyrfing perdeu exatamente nestes quesitos. Nasce aí o Elvenking, apartado por lados progressivo e sinfônico, e toque experimental considerável.

publicidade

As melodias e harmonias das guitarras são marcantes e é impossível imaginar quaisquer delas sem o acompanhamento fantástico das flautas, violinos, violas, violão clássico, entre outros instrumentos que intervêm constantemente.

Os vocais soam-me perfeitos para as partes mais lentas, mas merecem certo aperfeiçoamento na hora em que a agressividade instrumental se instaura. Damnagoras tem boa atuação, sem falhas grotescas, porém, precisa retocar e repensar uma ou outra idéia.

publicidade

A nota não aumenta por mínimos detalhes, aos quais, além dos já citados, incluo a mixagem de Fredrik Nordström (In Flames, Dark Tranquillity, Arch Enemy). Na verdade, o resultado é bom, mas vindo dele, poderia ter ido bem além. Suas experiências anteriores não incluíam tantas possibilidades e variações e talvez isso tenha o confundido.

Por fim o inacreditável surge pela ocorrência dessas onze faixas que compõem "Heathenreel", serem apenas o começo de uma história, o debute do grupo. Se os italianos se segurarem numa boa administração do sucesso e na consciência da necessidade de mudar e encantar novamente, meus dedos já começarão a coçar pra soltar um dez no próximo álbum.

publicidade

Site Oficial – http://www.elvenking.net

Formação:

Damnagoras (Vocais)
Jarpen (Guitarras)
Aydan (Guitarras)
Gorlan (Baixo)
Zender (Bateria)

Material cedido por:

Rock Brigade / Laser Company Records – http://www.lasercompany.com.br
Rua Madre de Deus 432 - CEP: 03119-000
São Paulo / SP – BRASIL
Tel.: (0xx11) 6605-6011
Fax: (0xx11) 6605-2288
Email: [email protected]

publicidade


Outras resenhas de Heathenreel - Elvenking

Resenha - Heathenreel - Elvenking




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Legião Urbana: a versão de Renato Rocha sobre a sua saídaLegião Urbana
A versão de Renato Rocha sobre a sua saída

Separados no nascimento: Bruce Dickinson e Leopoldo PachecoSeparados no nascimento
Bruce Dickinson e Leopoldo Pacheco


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin