Resenha - Legend Begins - Beholder

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

7


Formado em 1998, este septeto italiano, após uma demo e dois MCD’s, lançou em 2000 seu debut, "The Legend Begins". O que vemos aqui é uma banda fortemente influenciada por Blind Guardian, Helloween e que segue os passos do Rhapsody, mas de maneira mais discreta, apostando mais no peso das guitarras e na agressividade de baixo/bateria. E diferentemente de seus compatriotas, o Beholder tem dois vocalistas, um masculino (Patrick Wire) e um feminino(Leaman Sidhe), que se revezam nas músicas de maneira muito interessante, um canta uma estrofe ou duas, o outro canta a mesma quantidade, ambos fazendo backings para o outro. Sem dúvida um show de personalidade, o que jamais dirá que esta banda é cópia do Rhapsody ou Blind Guardian.

publicidade

Músicas como "The Ring of Freedom" e "Ivory Tower" são bem speed, chegando a lembrar Stratovarius, pela boa intromissão dos teclados de Pete Ryan. Boas faixas e bem empolgantes. Já "Call for Revenge", por seus riffs, é muito inspirada por Iron Maiden, principalmente da fase "Piece of Mind". De cara vemos que o vocal de Patrick é limitado porém competente, e que a vocalista Leaman dá um show particular, não sendo operística, mas cantando agressivamente. Outro destaque iria para a mais cadenciada "Blood and Pain", com uma bateria bem agressiva.

publicidade

O lado mais épico (que chega a lembrar o Blind Guardian de "Nightfall at Milddle Earth") se concentra nas faixas "The Ancient Prophecy" e "The Fallen Kingdom", que são muito boas, mas como todas as do cd, sofrem com a produção, que está apenas razoável, muitas vezes os sons de guitarra soam embolados, o que dificulta a audição do cd. Ainda somos brindados com uma boa balada, "Until Darkness Falls" e com uma faixa de oito minutos, a melhor do cd, "Chains of Fate", que capta todos os elementos das outras faixas e os condensa de forma irrepreensível. O cd conta a história do guerreiro Lorengaard, e cada faixa funciona como um capítulo, sendo bem interessante. Um conceito bem elaborado.

publicidade

Um bom "debut", mas o segundo cd, que deve sair agora em 2002, precisa ser mais bem produzido, pois competência a banda já mostrou que tem.

Line Up:

Patrick Wire – Vocais
Leanan Sidhe – Vocais
Matt Treasure – Guitarras
Markus Mayer – Guitarras
Andy Mcklein – Baixo
Pete Ryan – Teclados
Mike Sachs – Bateria

Material Cedido pela:

Rock Brigade Records
Rua dos Bonitos 89, São Paulo ( SP) – Tel:11-66056011
http://www.rockbrigade.com.br

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


AC/DC: as 10 melhores músicas da banda com Bon ScottAC/DC
As 10 melhores músicas da banda com Bon Scott

Ortografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?Ortografia
Como deveriam realmente se chamar as bandas?


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin