Resenha - Izz - I Move

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Guilherme Vignini
Enviar Correções  

9


Já faz algum tempo que eu ouvia falar dessa banda de Nova York, classificada como Rock Progressivo. Sempre muito elogiada pelo seu trabalho de estréia "Sliver Of A Sun", a banda começou a ganhar espaço em todas as publicações e sites especializados em Prog.

publicidade

No ano passado eles tocaram no festival Progday, um dos mais importantes, ao lado por exemplo do NDV (banda do baterista / vocalista do Spock’s Beard Nick di Virgillio) e recentemente eles irão tocar com o Flower Kings, o que mostra que eles já estão conquistando um espaço valioso.

Esse último trabalho deles é muito bom. Fazem um som bem diferente do progressivo "convencional" (algumas pessoas chamam de "prog-pop"). Eles têm dois bateristas um acústico e outro que cuida da parte eletrônica. Só isso já daria uma sonoridade diferente (o Yes fez isso na turnê do Union e o resultado foi fantástico). O som às vezes parece muito mais com uma música pop normal, com seus 4 ou 5 minutos de duração, refrões fortes,etc, SE eles não tivesse a inteligência de sutilmente incorporarem técnicas "progressivas" nas músicas. Isso é feito brilhantemente atualmente por bandas como os "dinossauros" Yes e Rush ou o Everon da nova geração. Ou seja na primeira ouvida as vezes não se fica muito impressionado (se você espera ouvir um "Close to the Edge" por exemplo), mas ele fica melhorando a cada audição, e em pouco tempo começa-se a perceber que a proposta da banda é fazer música de boa qualidade, e todos os elementos progressivos estão presentes nas faixas do cd.

publicidade

Existem algumas músicas que realmente boas, como "Spinnin’ Round", que tem ótima melodia de voz. A música título "I Move" me lembra bastante de algumas fases do Rush. A super-pop "I Wanna Win", que poderia tocar em qualquer rádio e que tem um solo de guitarra belíssimo, que lembra bastante de Steve Rothery do Marillion. A badada "Believe" também mostra muito bom gosto e é um dos melhores momentos do álbum.

publicidade

O cd tem momentos "puros" de progressivo, como na instrumental "Star Evil Gnoma Su"e "Coming Like Light" , que soam como um King Crimson com toques de Keith Emerson e "Knigh of Nights" e "The Mists of Daklriada" que agradarão os fãs de progressivo.

Recomendo esse cd á todos que gostam de música bem feita, bem tocada e sem preconceitos musicais, pois o cd é muito bom e com certeza vamos ouvir muito falar desse pessoal do IZZ nos próximos anos.

publicidade

Website: www.izznet.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Heavy Metal: os 10 melhores solos de guitarra de todos os temposHeavy Metal
Os 10 melhores solos de guitarra de todos os tempos

Black Sabbath: Tony Iommi explica como tocar ParanoidBlack Sabbath
Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"


Sobre Guilherme Vignini

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin