Resenha - Fellini Days - Fish

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Guilherme Vignini
Enviar Correções  

9


Esse é o novo álbum do Fish, ex-vocalista do Marillion, explorando desta vez o universo de Frederico Fellini, grande cineasta italiano, responsável por uma das maiores revoluções na indústria cinematográfica mundial.

Fish, mais até que cantar, é um mestre nas letras. Desde os tempos do Marillion fez verdadeiros poemas cantados e aqui ele não perdeu sua velha forma. É uma pena que muitas pessoas no Brasil não consigam entender o que ele quer dizer pois com certeza teria dez vezes mais fãs do que hoje.

publicidade

O cd começa com "3D", uma introdução ao universo felliniano com um ritmo bem progressivo em seus nove minutos de duração. "So Fellini" é uma música com boa presença do guitarrista John Wesley, ao estilo de "Brother 52".

"Tiki 4" lembra mais os trabalhos de seus primeiros discos solos, mas com uma produção mais bem cuidada, com um excelente trabalho do tecladista John Young e backing vocals femininos muito bem encaixados. "Our Smile" é mais uma daquelas baladas que Fish faz com perfeição: bonitas sem serem "meladas" e sem cair em clichês baratos. Para quem só conhece "Kayleigh" pode ouvir sem medo.

publicidade

"Long Cold Day" tem o pique de "Worm in a Bottle" do álbum "Sunsets on Empire" é um som pesado com boa melodia vocal e um solo muito bonito de guitarra. "Dancing in Fog" Fish canta com muita emoção sobre dançar na neblina. "Obligatory Ballad" é outra balada que não faz feio para "Sugar Mice" ou "Lavender".

A música seguinte é "The Pilgrim’s Address", uma letra fortíssima, onde um soldado da guerra do Golfo manda uma carta com algumas questões ao presidente dos Estados Unidos. O desfecho da história é fantástico. O velho Fish não perdeu a mão com o tempo. O álbum termina com "Clock Moves Sideways", comparando a bagunça do mundo de hoje com os cenários surrealistas de Fellini.

publicidade

Esse CD é melhor que o anterior, "Rain Gods With Zippos". Se você gosta do estilo pode ir atrás sem medo que o velho "urso de Haddington" continua em plena forma. Confira também no seu site www.the-company.com outros lançamentos dele, já que ele controla totalmente seu trabalho lança vários discos ao vivo por ano além de ter recursos traduzidos para o português e todas as letras.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Pink Floyd: a história por trás de AnimalsPink Floyd
A história por trás de "Animals"

Hard Rock: As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1Hard Rock
As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1


Sobre Guilherme Vignini

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin