Resenha - All That You Can't Leave Behind - U2

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ana Therezo
Enviar Correções  

7


All That You Can’t Leave Behind, lançado em outubro pela Universal, já alcançou - só em terras tupiniquins - a marca de 350 mil cópias vendidas.

U2: Adam Clayton dá mais pistas do novo disco

Wonder Years: O soundtrack do grande sucesso de público e crítica

Com um legado de mais de 10 anos de estrada e muito experimentalismo (leia-se Achtung Baby, Zooropa e Pop), o U2 volta com o velho rock que, aliás, é tudo o que eles não poderiam ter deixado para trás - como faz alusão o próprio nome do álbum.

O quarteto irlandês usou neste trabalho a receita de seu início de carreira: simplicidade, porém sem grandes novidades. O que se ouve são os insistentes falsetes impelidos pela voz de Bono e as melodias repetitivas de The Edge. O destaque fica mesmo para as letras, altamente politizadas.

Foi justamente a letra de "Walk On" (quarta faixa), dedicada a Aung San Suu Kyi, que impediu a distribuição do álbum em Burma (país asiático), já que a "homenageada" está detida nas mãos do governo por ser da oposição política e uma das pessoas que mais lutou pelos direitos dos povos que existem naquele país.

Mesmo cheias de boas intenções e com letras politicamente corretas, algumas faixas ainda recorrem a artifícios eletrônicos, como é o caso do funk "Elevation" (terceira faixa) e "Stuck In a Moment You Can't Get Out Of" (segunda faixa), que apesar da combinação guitarra-bateria, deixa passar um nada discreto sintetizador, entre outras parafernálias.

Em contrapartida, "Peace on Earth" (oitava faixa) é guiada por belíssimos arranjos de guitarra acústica, e "In a Little While" (sexta faixa) - umas das melhores, senão a melhor do CD - envereda pela soul music, lembrando Otis Redding. "Wild Honey" (sétima faixa) vem proporcionar ao ouvinte um gostinho de rock a la Rolling Stones, mas tudo volta à mesmice em "Kite" (quinta faixa) e "Grace" (décima-primeira faixa).

"The Ground Beneath Her Feet", feita originalmente para a trilha sonora do filme "The Million Dollar Hotel" e faixa-bônus do CD, não chega a ser enfadonha como o filme, mas não merece ser comparada a baladas como "I Still Haven't Found What I'm Looking For" ou "With or Without You".

Resta "Beautiful Day", um dos carros-chefes do álbum, que resume em exatos 4 minutos e 8 segundos o significado da palavra "pop".

Track List
1. Beautiful Day
2. Stuck in a Moment You Can't Get Out Of
3. Elevation
4. Walk On
5. Kite
6. In a Little While
7. Wild Honey
8. Peace on Earth
9. When I Look At The World
10. New York
11. Grace
12. Bonus Track: The Ground Beneath Her Feet

Observação: Vale destacar que o U2 tem usado seu site http://www.u2.com.br para denunciar ao mundo as atrocidades que ocorrem em Burma, onde os direitos humanos estão longe de serem respeitados. Visite o site, vale a pena!




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


U2: Adam Clayton dá mais pistas do novo discoU2
Adam Clayton dá mais pistas do novo disco

U2: The Edge confirma novas músicas a caminhoU2
The Edge confirma novas músicas a caminho

Grana: quanto renderam os artistas e bandas de rock mais bem pagos do último anoGrana
Quanto renderam os artistas e bandas de rock mais bem pagos do último ano

Em 10/05/1960: nascia Bono, vocalista do U2

Marc Bolan e T. Rex: Álbum-tributo trará U2, Elton John e Joan Jett


Evanescence: Amy Lee faz cover sombrio de música do U2Evanescence
Amy Lee faz cover sombrio de música do U2

Demonstrações de afeto: fotos de rockstars que já se beijaram, parte 1Demonstrações de afeto
Fotos de rockstars que já se beijaram, parte 1


Wonder Years: O soundtrack do grande sucesso de público e críticaWonder Years
O soundtrack do grande sucesso de público e crítica

Slipknot: veja a evolução das máscaras de cada integrante da estreia aos dias atuaisSlipknot
Veja a evolução das máscaras de cada integrante da estreia aos dias atuais


Sobre Ana Therezo

Engenheira, Escritora de Araque e, atualmente, moradora das planícies gélidas Canadenses. Fã de Rock em todas as suas vertentes, mas com tendências xiitas ao Heavy Metal, ganhou seu primeiro bolachão - No Rest for the Wicked, em 1988. Vinte e poucos anos depois e, contrariando aqueles que acreditam que o gosto musical muda com o passar do tempo, continua escutando Ozzy, AC/DC, Deep Purple e afins. Colaboradora e leitora do Whiplash! desde que o site tinha caveirinhas na página principal, e que a lista dos melhores guitarristas de todos os tempos era o assunto da vez.

Mais matérias de Ana Therezo no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin