Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemAndre Matos sempre foi de esquerda e reprovaria governo atual, diz irmão do maestro

imagemDo Ozzy ao Slayer: veja os momentos mais metal do desenho South Park

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemSyd Barrett em 1967 analisando os principais singles lançados em julho

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemDaniel Cavanagh, do Anathema, sobrevive a tentativa de suicídio

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemComo CDs e MP3s decepcionaram Jimmy Page

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"


Stamp

Resenha - Mechanized Warfare - Jag Panzer

Por Thiago Sarkis
Em 09/11/01

Nota: 8

"Insatisfação" não fazia parte do vocabulário dos fãs de Jag Panzer, até dois/três anos atrás. Fato considerável, lembrando que o grupo está na ativa desde 1983, quando lançou o EP historicamente conhecido como "The Tyrants". No entanto, algumas pequenas alterações no andamento das músicas, com acréscimos visíveis de influências neo-clássicas e progressivas, foram o bastante para quebrar a concórdia entre a banda e seus admiradores.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

"Thane To The Throne", o álbum responsável pela controvérsia, trouxe um novo público para o Jag Panzer. Contudo, os integrantes do grupo parecem não ter se importado com a conquista, e se dedicaram imediatamente, através de "Mechanized Warfare", a acertar o clima desarmônico com os antigos seguidores.

O resultado é bem positivo e equilibrado. Um metal tradicional/power, que traz faixas capazes de agradar tanto os apaixonados pelo debute "Ample Destruction", como também os fãs recém conquistados. É o caso de "Take To The Sky", "The Scarlet Letter" e "Power Surge".

Falar do trabalho de guitarras deste conjunto é até bobagem. Sempre foi fenomenal e pelo visto nunca deixará de ser. Melodias cativantes, técnica soberba e muita pegada. Mark Briody e Chris Broderick continuam brilhantes, realizando perfeitamente funções que já estiveram a cargo do monstruoso Joey Tafolla.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Harry Conklin está cantando como nunca. Seu vocal se adequa a qualquer passagem, da mais suave à mais agressiva, sendo peça essencial para a manutenção do ritmo veemente do disco. Da mesma forma, a produção de Jim Morris, acima de qualquer suspeita, anos luz á frente da média.

"Mechanized Warfare" está entre os grandes lançamentos do metal em 2001. Pode não ser um primor em originalidade, mas mostra uma banda que, já na maioridade de sua carreira, segue seus princípios e estilo iniciais, e ainda assim consegue surpreender e emocionar.

Se você não é fã, mantenha-se distante. Ao contrário, pode procurar, pois vai achar exatamente o que deseja.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Site Oficial – http://www.jagpanzer.com

Harry Conklin (Vocais)
Chris Broderick (Guitarras & Teclados)
Mark Briody (Guitarras & Teclados)
John Tetley (Baixo & Backing Vocals)
Rikard Stjernquist (Bateria)

Material cedido por:
Century Media Records – http://www.centurymedia.com.br
Telefone: (0xx11) 3097-8117
Fax: (0xx11) 3816-1195
Email: [email protected]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis.