Resenha - Mechanized Warfare - Jag Panzer

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

8


"Insatisfação" não fazia parte do vocabulário dos fãs de Jag Panzer, até dois/três anos atrás. Fato considerável, lembrando que o grupo está na ativa desde 1983, quando lançou o EP historicamente conhecido como "The Tyrants". No entanto, algumas pequenas alterações no andamento das músicas, com acréscimos visíveis de influências neo-clássicas e progressivas, foram o bastante para quebrar a concórdia entre a banda e seus admiradores.

Iron Maiden: curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"

Bruce Dickinson: A esposa o traiu com Nikki Sixx, do Motley Crue?

"Thane To The Throne", o álbum responsável pela controvérsia, trouxe um novo público para o Jag Panzer. Contudo, os integrantes do grupo parecem não ter se importado com a conquista, e se dedicaram imediatamente, através de "Mechanized Warfare", a acertar o clima desarmônico com os antigos seguidores.

O resultado é bem positivo e equilibrado. Um metal tradicional/power, que traz faixas capazes de agradar tanto os apaixonados pelo debute "Ample Destruction", como também os fãs recém conquistados. É o caso de "Take To The Sky", "The Scarlet Letter" e "Power Surge".

Falar do trabalho de guitarras deste conjunto é até bobagem. Sempre foi fenomenal e pelo visto nunca deixará de ser. Melodias cativantes, técnica soberba e muita pegada. Mark Briody e Chris Broderick continuam brilhantes, realizando perfeitamente funções que já estiveram a cargo do monstruoso Joey Tafolla.

Harry Conklin está cantando como nunca. Seu vocal se adequa a qualquer passagem, da mais suave à mais agressiva, sendo peça essencial para a manutenção do ritmo veemente do disco. Da mesma forma, a produção de Jim Morris, acima de qualquer suspeita, anos luz á frente da média.

"Mechanized Warfare" está entre os grandes lançamentos do metal em 2001. Pode não ser um primor em originalidade, mas mostra uma banda que, já na maioridade de sua carreira, segue seus princípios e estilo iniciais, e ainda assim consegue surpreender e emocionar.

Se você não é fã, mantenha-se distante. Ao contrário, pode procurar, pois vai achar exatamente o que deseja.

Site Oficial – http://www.jagpanzer.com

Harry Conklin (Vocais)
Chris Broderick (Guitarras & Teclados)
Mark Briody (Guitarras & Teclados)
John Tetley (Baixo & Backing Vocals)
Rikard Stjernquist (Bateria)

Material cedido por:
Century Media Records – http://www.centurymedia.com.br
Telefone: (0xx11) 3097-8117
Fax: (0xx11) 3816-1195
Email: [email protected]




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Iron Maiden: curiosidades sobre o The Number Of The BeastIron Maiden
Curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"

Bruce Dickinson: A esposa o traiu com Nikki Sixx, do Motley Crue?Bruce Dickinson
A esposa o traiu com Nikki Sixx, do Motley Crue?


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin