Resenha - Atlantis - Atrocity

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  


Sempre existirão bandas que ainda conseguem fazer alguma diferença em meio à centenas de outros conjuntos, e o Atrocity com seu décimo álbum de estúdio denominado "Atlantis" é certamente um destes casos.

publicidade

Formado na Alemanha por Alex Krull nas vozes, as guitarras aos cuidados de Mathias Röderer e Thorsten Bauer, Christian Lukhaup no baixo e Martin Schmidt na bateria, o Atrocity está na ativa desde 1985, sendo um dos pioneiros no estilo death metal em seu país e, como tantos outros grupos, a banda foi incorporando outros estilos – até mesmo o famigerado pop - em sua música no decorrer de sua carreira.

publicidade

Quanto ao disco em questão, "Atlantis", é um dos trabalhos mais versáteis que escutei este ano. Com a sonoridade bastante calcada no death metal na maioria das faixas, além de várias incursões ao gótico, dark, arranjos sinfônicos e algumas poucas passagens mais acessíveis, sendo um álbum relativamente variado e muito, muito pesado. E a distorção, atmosferas e a excelente organização das melodias se completam num disco dinâmico, que vem contar a estória e mistérios da civilização atlante.

publicidade

Não dá para deixar de citar a atuação do cantor Alex Krull, que tem uma voz urrada e áspera impressionante nas faixas mais pesadas e que também se sai muito bem com as vozes limpas nas demais canções; o excelente trabalho dos teclados, que mesmo quando está ao fundo conseguem se impor, sejam em momentos épicos ou melancólicos. E nem um pouco atrás fica o desempenho das guitarras com seus riffs brutais e nervosos, tudo apoiado pelos competentes baixo e bateria.

publicidade

As faixas que chamam a atenção logo de cara são "Reich of Phenomena", "Superior Race", "Clash Of The Titans" e "Apocalypse", que são uma bela fusão de death, gótico e arranjos sinfônicos, culminando em músicas muito densas; a espetacular "Enigma", com vozes limpas e rasgadas se intercalando, além de bela voz feminina dando um apoio ao fundo e "Gods Of Nations", que possui um bom jogo de vozes e um refrão bem diferente.

publicidade

"Atlantis" apresenta ainda uma faixa multi-mídia, com vídeo-clip, MP3, a fonte utilizada no encarte para instalação em Mac ou PC e a conversão para as línguas inglesa e alemã dos textos ilegíveis impressos na parte gráfica do cd.

ATROCITY – Atlantis (2004 – distribuído por Hellion Records)
1. Reich of Phenomena
2. Superior Race
3. Gods Of Nations
4. Ichor
5. Enigma
6. Morbid Minds
7. Omen
8. Cold Black Days
9. Atlantean Empire
10. Clash Of The Titans
11. Apocalypse
12. Lost Eden
13. The sunken Paradise
14. Aeon
15. Ein Volk

http://www.atrocity.de

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


A-Ha: pop norueguês que influenciou algumas bandas de metalA-Ha
Pop norueguês que influenciou algumas bandas de metal

Depeche Mode: 5 belos covers feitos por bandas de Rock e MetalDepeche Mode
5 belos covers feitos por bandas de Rock e Metal


Guns N' Roses: o Chinese Democracy que você nunca viuGuns N' Roses
O "Chinese Democracy" que você nunca viu

Black Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela bandaBlack Sabbath
A passagem de Ian Gillan pela banda


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin