Resenha - Theater Of Salvation - Edguy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Haggen Kennedy
Enviar Correções  

Quem acompanha a banda desde o início sabe que o Edguy ainda tem muito pra mostrar. Felizmente, eles pensaram nisso quando fizeram esse disco. E que disco, hein. Só o começo, com a faixa de introdução "The Healing Vision", já dá pra ver a qualidade magnífica do CD. Seguindo com "Babylon", é simplesmente impossível não se empolgar com a porradaria power que impregna essa faixa. Letra boa, refrão marcante, fácil de se cantar e muito, muito coro. O disco é muito bom, mesmo.
Quem é que se lembra de quando o "Kingdom of Madness", primeiro disco da banda, saiu? Poucos se interessaram pela banda com o argumento de que ainda precisariam melhorar muito mais. Pois é, o sucessor "Vain Glory Opera" derrubou barreiras. Com presenças marcantes de gente como Hansi Kürsch (Blind Guardian) e Timo Tolkki (Stratovarius), o disco foi fenomenal. Já em "Theater of Salvation" não há nem o que se discutir. Parece que decidiram fazer um disco pra ser colocado em uma lista de melhores do ano. Sim, porque não fica só nas duas primeiras faixas a qualidade irrefutável deste lançamento. Ao contrário, não tem uma única faixa ruim. Isso é no mínimo admirável. A propósito, não dá pra ficar sem falar na faixa-título. O que é aquilo?! A música tem simplesmente 12 minutos, mas parece que tem 5. Fe-no-me-nal.

publicidade

Sammet, Jens, Dirk, Exxel e Felix: fizeram por merecer. Que discão. Continuem assim. Os ouvidos agradacem (e muito).


Outras resenhas de Theater Of Salvation - Edguy

Resenha - Theater of Salvation - Edguy




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Edguy: nunca disse que odeio os EUA, diz Tobias SammetEdguy
"nunca disse que odeio os EUA", diz Tobias Sammet

Edguy, Avantasia: Tobias Sammet e os álbuns que mudaram a sua vidaEdguy, Avantasia
Tobias Sammet e os álbuns que mudaram a sua vida


Iron Maiden: Tenho inveja dos fogos do Slipknot,diz BruceIron Maiden
"Tenho inveja dos fogos do Slipknot",diz Bruce

Monsters of Rock: a feijoada que quase derrubou King DiamondMonsters of Rock
A feijoada que quase derrubou King Diamond


Sobre Haggen Kennedy

Nascido ao fim dos anos 70 e adolescido em meio ao universo metálico, Haggen Heydrich Kennedy já trabalhou e atuou numa vultosa gama de atividades, como o jornalismo, o desenho, a informática, o design e o ensino, além de outros quefazeres. Atualmente vive em Atenas, Grécia, onde estuda História, Arqueologia e Grego Antigo na Universidade de Atenas. A constante nesse turbilhão de ofícios, todavia, sempre constituiu-se de dois fatores: as línguas (ainda hoje trabalha com tradução e interpretação) e a música - esse último elemento, definitivo alimento espiritual.

Mais matérias de Haggen Kennedy no Whiplash.Net.

WhiFin