Pink Floyd: álbum complica a vida de cientista famoso há décadas

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruce William, Fonte: Ultimate Classic Rock
Enviar Correções  

"The Dark Side of the Moon" é um dos maiores clássicos do Pink Floyd, e da história da música. Mas o álbum é responsável por difundir algo que não carece de verdade, informa o cientista e apresentador Neil deGrasse Tyson em conversa com a Hollywood Reporter em agosto de 2017. "Não existe um lado negro da lua", diz Tyson, que relata ter passado boa parte de sua vida explicando para as pessoas - fãs ou não de Pink Floyd - que esta crença está incorreta.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Culpo o Pink Floyd por isto. Não há um lado negro. Há um lado distante e outro próximo, mas ambos recebem a luz do sol. Porém como o Pink Floyd tem um disco com este nome há décadas que eu venho lidando com esta ideia das pessoas. Como educador, se eu tivesse uma máquina do tempo, voltaria ao passado e mudaria o nome do álbum para 'The Far Side of the Moon' ("O lado distante da Lua"), e isto pouparia muito tempo da minha vida", diz Neil ao Hollywood Reporter.

Ele observa ainda que no final da música "Eclipse" há uma frase que diz "não há um lado escuro da lua", mas a frase seguinte torna tudo confuso novamente "Tudo está escuro". O curioso é que a frase, dita por Gerry O' Driscoll, um dos inúmeros colaboradores do álbum, foi editada a partir do original, que provavelmente teria agradado o cientista, já que ela trazia mais um trecho dizendo: "The only thing that makes it look light is the sun" ("A única coisa que o faz parecer brilhante é o sol").

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Cli336 Goo728 Goo336