Metalcore: quatro trabalhos modernos que devem ser ouvidos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Guilherme Niehues, Fonte: Horns Up
Enviar correções  |  Comentários  | 

O METALCORE é um dos estilos que mais crescem no mundo atualmente contando com infinitas bandas que dão as principais carcateristicas ao estilo, podemos citar AS I LAY DYING, ALL THAT REMAINS, HASTE THE DAY e etc. Porém, é possível identificar a evolução do estilo não em termos de quantidade, mas sim, em termos de qualidade. Afinal, a proposta é bastante simples: trazer uma harmonia de peso e melodia em um mesmo local, sem perder a desenvoltura.

5000 acessosSlipknot: Veja membros atuais sem máscara5000 acessosAngra: Aquiles detona ex-companheiros de banda em workshop

O que podemos encontrar em um álbum e/ou banda que executa o Metalcore?

Vocal Gutural – Vocal predominante, uma característica marcante no estilo. Algumas vezes em sintonia da Guitarra Solo;

Vocal Melódico – Vocais cantados de forma leve e harmoniosa, em contraste com os gritos;

Guitarras – Afinações baixas, riffs rápidos e dobras;

Baixos – Rápidos e na maioria das vezes com o uso de palhetas;

Bateria – Veloz e alternando com condução e pedais duplos encaixando com as palhetadas das guitarras e baixo.

Mas, claro como em qualquer estilo, não existe uma regra clara a ser seguida, e o que importa realmente é agradar o ouvinte. Deixando um pouco o conceito do estilo, vamos ao que interessa, 4 (quatro) trabalhos modernos que devem ser ouvidos! O que levamos em conta nessa lista, antes que critiquem? Absolutamente nada, é apenas um meio de expor o trabalho de bandas que executam o METALCORE em sua plenitude e vale a pena conferir. :)

Nota: consideramos trabalho moderno aqueles que foram lançados até 5 anos contados da data de hoje.

As I Lay Dying – The Powerless Rise (2010)

Um álbum poderoso, que reforça o nome da banda no cenário do METALCORE e também do cenário atual, quando utilizamos o termo METAL. É dificil tentar imaginar um ou outro termo que se destaca nesta bolacha, mas talvez seja possível dizer algo sobre a dobradinha de vocais de Tim Lambesis (urros/gritos/berros) e Josh Gilbert (vocal limpo) que permite ao ouvinte a se libertar de toda a sua fúria nas partes mais pesados e dar uma respirada quando entra os vocais limpos. De qualquer forma, se mantém como um álbum impecável, por trazer mais peso do que o seu antecessor o ótimo An Ocean Between Us (de 2007), e brincar em alguns momentos até com o nosso querido Thrash Metal.

Haste the Day – Attack of the Wolf King (2010)

O último e melhor álbum da banda. A evolução da banda nos brindou com ums dos mais memoráveis álbum do estilo. Diferentemente do nosso escolhido acima, aqui o peso é deixado de lado e dá lugar a melodia e harmonia destes elementos, trazendo um álbum mais cadenciado e diferenciado. E aqui fica uma curiosidade, a banda possui 3 vocais adicionais, além do vocalista principal, isso significa que você não ouvirá sempreas mesmas vozes em toda a música.

I Wrestled a Bear Once – Ruining it for Everybody (2011)

Uma salada mista é o que esses caras fazem. Aqui você ouve de tudo, vocais rasgados (feitos por uma FÊMEA), vocais limpos, passagens que lembrar o nintendinho 8-bit e um som bastante quebrado. Mas, não deixa de ser METALCORE com pitadas de Post-Hardcore e uma criatividade absurda. Em termos de letras, a banda é bastante criativa e você pode até dar umas boas gargalhadas com elas, por exemplo: Deodorant Can’t Fix Ugly (Desodorante não “corrige” a feiura, em uma tradução literal) e com a Karate Nipples (que dispensa tradução). Simplesmente, uma ideia diferente do estilo que ouvimos atualmente.

August Burns Red – Leveler (2011)

August Burns Red, banda supimpa! Aqui veremos o que podemos rotular de Metalcore Técnico, ou seja, apresenta um nível um pouco mais elevado de técnica em cada um de seus instrumentos. Não que isso deixe as outras escolhidas no chinelo e nem nada, mas devido a toda a quebra de ritmo que ocorre na música e variações de riffs e tudo mais, mostra que os caras sabem o que fazem. Em contrapartida, todo o resto do estilo está presente, mas vale lembrar que a banda as vezes também é rotulada pela mídia com pitadas de Thrash Metal e Progressive Metal. Então fica ligado, que essa banda um dia pode estar no mainstream.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 23 de abril de 2013

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "As I Lay Dying"

As I Lay DyingAs I Lay Dying
Falta de remédio fez mamas de Lambesis aumentarem

MetalcoreMetalcore
Nove razões para você adorar o estilo

MetalcoreMetalcore
Os trabalhos essenciais do estilo segundo About.com

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "As I Lay Dying"0 acessosTodas as matérias sobre "Haste The Day"0 acessosTodas as matérias sobre "Iwrestledabearonce"0 acessosTodas as matérias sobre "August Burns Red"

SlipknotSlipknot
Veja membros atuais sem máscara

AngraAngra
Aquiles detona ex-companheiros de banda em workshop

QueenQueen
Perguntas e respostas e curiosidades diversas

5000 acessosMetallica: noiva toca "Master..." na bateria no casamento5000 acessosMegadeth: Electra mostra para Kiko como está fera no Português5000 acessosEm 08/03/1995: Ingo Schwichtenberg, baterista do Helloween, comete suicídio5000 acessosAngra: banda errou na escolha de Fabio Lione?5000 acessosMalmsteen: "A 1ª vez que fui ao Brasil não consegui acreditar"5000 acessosDave Lombardo: o que ele realmente acha de Lars Ulrich?

Sobre Guilherme Niehues

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online