Death Metal: o filho bastardo do Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rafael Nunes Campos
Enviar correções  |  Comentários  | 

O Punk realmente foi sensacional, não? Foi um tapa na cara da cultura Pop. Porém ele foi rapidamente assimilado. Na música pode-se dizer que o reflexo foi quase que imediato. No início dos anos oitenta variados estilos haviam sido influenciados por ele. Do esporro do Hardcore ao Pop deslavado da New Wave. Mais precisamente no Heavy Metal, o filho nasceu com o nome de death metal.

5000 acessosDave Mustaine: a história por trás de "The Four Horsemen"5000 acessosMetromix: a lista dos vocalistas mais irritantes do rock

O interesse do Rock pelo ocultismo é antigo. Em 1968 os Rolling Stones mostraram simpatia pelo diabo. Na década de 70 os peso-pesados Led Zeppelin e Black Sabbath usufruíram dos louros de mostrar na sua música um interesse maior pelo ocultismo. Jimmy Page era fã do mago Aleister Crowley, um maluco que se denominava pastor da igreja de satã. Já o velho Sabbath fazia um som macabro de impressionar qualquer um. Quem nunca se borrou ouvindo a introdução de "Black Sabbath" (a música)? Tony Iommi nunca negou que se inspirou nos velhos filmes de terror pra dar direção à postura do Sabbath. E nunca levou a sério as declarações de satanista.

Em 81, sai um disco que misturava Metal Pesado, o desleixo do Punk e a adoração pelo cramulhão. Seu nome é "Welcome to Hell". A banda em questão é o Venom. Tinham a pompa charmosa de um Kiss e o refinamento de um Sex Pistols. Tocavam Metal como o Judas Priest e adoravam o diabo. Eram de Newcastle (Inglaterra) e influenciaram o mundo do Metal. Imediatamente surgiram inúmeros seguidores. Na Suíça o Hellhammer era apenas uma das bandas que se diziam claramente influenciadas por Venom. Depois seu líder Tom Warrior reformulou o grupo mudando o nome para Celtic Frost. A banda fazia um som cru e ríspido que botou um monte de gente de cabelo em pé. Se o Death Metal é um moleque mal-criado, os pais atendem por Venom e Celtic Frost.

É lógico que um monte de gente boa surgiu logo após essas duas. E quase tão originais e legais quanto elas. Seria injustiça não citar Slayer, Possessed, Bathory, Sodom, Kreator, Destruction. Ainda que algumas dessas bandas tenham se enveredado pelos caminhos do Thrash Metal, elas de alguma forma influenciaram o estilo.

Na segunda metade da década de 80 surgiram grupos que iriam consolidar de vez esse estilo infame. Death, Napalm Death, Morbid Angel, Carcass, Cathedral, Paradise Lost, Obituary e Cannibal Corpse iriam surgir praticamente do mesmo caldeirão, sendo as responsáveis pelas facetas mais variadas do estilo. Grindcore, Death Tradicional, Splatter, Doom, Black. O barulho tinha muitos nomes. É até engraçado pensar que algumas dessas bandas hoje tão diferentes tenham saído do mesmo buraco sujo e fedorento.

No inicio dos anos 90 o estilo crescia em popularidade no vácuo do Thrash. Pra chamar atenção não adiantava mais se dizer, tinha que se mostrar filho do tinhoso. Um marcava na testa o sinal da cruz invertida. Outros começaram a queimar Igrejas na Noruega nas folgas do dever de casa. O tempo se encarregou de enterrar esses chatos.

Mas a genética se mostra mais cedo ou mais tarde. O Death Metal, filho bastardo do Heavy Metal que por sua vez é neto do bom e velho Rock’n’Roll, mudou muito e continua seu processo de evolução. Bandas como a dos nossos compatriotas do Krisiun pisaram no acelerador e mostraram que para fazer Death Metal tem que conhecer e muito de música.

Ainda que você não considere isso música.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias

Dave MustaineDave Mustaine
A história por trás de "The Four Horsemen"

MetromixMetromix
A lista dos vocalistas mais irritantes do rock

Dimebag DarrellDimebag Darrell
Namorada fala sobre a vida ao lado do músico

5000 acessosManowar: o dia em que a banda arregou pro Twisted Sister5000 acessosTotal Guitar: os melhores e piores covers da história5000 acessosCapas de álbuns: as mais obscuras e marcantes da história5000 acessosJack Bruce: "Foda-se o Led Zeppelin, eles são um lixo!"5000 acessosGhost: O inacreditável bolo de aniversário de Papa Emeritus5000 acessosNightwish: "Vendemos mais na minha época que na anterior"

Sobre Rafael Nunes Campos

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online