Matérias Mais Lidas

Rush: como eles dividiam grana das composições e como eram os egos, segundo Geddy LeeRush: como eles dividiam grana das composições e como eram os egos, segundo Geddy Lee

Rock in Rio: a jogada de mestre que fez o festival ter tantas grandes bandas em 1985Rock in Rio: a jogada de mestre que fez o festival ter tantas grandes bandas em 1985

Metallica: James Hetfield surpreende ao listar músicas que mais se orgulha de ter feitoMetallica: James Hetfield surpreende ao listar músicas que mais se orgulha de ter feito

Kirk Hammett: ele descreve com detalhes briga de Axl Rose e Kurt Cobain no VMA 1992Kirk Hammett: ele descreve com detalhes briga de Axl Rose e Kurt Cobain no VMA 1992

Iron Maiden: para Herman Li, quem não gosta de Senjutsu não gosta de metalIron Maiden: para Herman Li, quem não gosta de "Senjutsu" não gosta de metal

Iron Maiden: Bruce Dickinson revela as músicas da banda que mais curte cantarIron Maiden: Bruce Dickinson revela as músicas da banda que mais curte cantar

Mr. Bungle: Dave Lombardo e Scott Ian demonstram apoio ao vocalista Mike PattonMr. Bungle: Dave Lombardo e Scott Ian demonstram apoio ao vocalista Mike Patton

Guns N' Roses: veja quanto custava uma cópia de Use Your Illusion no dia do lançamentoGuns N' Roses: veja quanto custava uma cópia de "Use Your Illusion" no dia do lançamento

Deep Purple: quando tomaram porre de caipirinha e foram sequestrados no BrasilDeep Purple: quando tomaram porre de caipirinha e foram "sequestrados" no Brasil

Raimundos: por que Rodolfo não queria gravar Selim e como foi convencido do contrárioRaimundos: por que Rodolfo não queria gravar "Selim" e como foi convencido do contrário

Guns N' Roses: todas as faixas de Use Your Illusion (I & II), da pior para a melhorGuns N' Roses: todas as faixas de "Use Your Illusion" (I & II), da pior para a melhor

Guns N' Roses: Matt Sorum surpreende ao revelar quem era o integrante sóbrio da bandaGuns N' Roses: Matt Sorum surpreende ao revelar quem era o integrante sóbrio da banda

Kerrang: 12 bandas de rock e heavy metal que nunca se venderamKerrang: 12 bandas de rock e heavy metal que nunca "se venderam"

Andreas Kisser: Revelando luta da esposa contra o câncerAndreas Kisser: Revelando luta da esposa contra o câncer

Ozzy Osbourne: 10 curiosidades sobre No More Tears, que completa 30 anos nesta sextaOzzy Osbourne: 10 curiosidades sobre "No More Tears", que completa 30 anos nesta sexta


Stamp

Portishead

Por Srta. Machiavelli
Em 06/04/06

Bristol, Inglaterra, é a terra natal do Trip-Hop, estilo musical marcado por sons distantes, sob uma batida hipnotizante e vocais melancólicos. Portishead é o nome de uma cidade da Costa Ocidental de Bristol, onde Geoff Barrow, o fundador da banda que leva o mesmo nome da cidade, cresceu. Geoff nunca gostou muito da vida exageradamente calma que levava em Portishead, e ainda muito jovem deixou a cidade para ir trabalhar num estúdio de gravação no coração de Bristol. Ele tinha apenas 17 anos, e nos intervalos dentro do estúdio gostava de ficar experimentando misturas de samples nos gravadores, enquanto sonhava em um dia ter a sua própria banda, com a qual faria uma música diferente de tudo o que passava por ali. Ele era muito esforçado, e levava seus momentos de DJ dentro do estúdio muito a sério.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Quando achou que estava bom naquilo que pretendia fazer, Geoff começou a procurar uma vocalista para sua "banda". Foi numa agência de empregos em Bristol que ele conheceu Beth Gibbons, a voz do Portishead. Ela já tinha trabalhado numa banda cover e fazia apresentações em pubs. Geoff e Beth se deram muito bem, pois compartilhavam os mesmos gostos e ideais musicais. Não demoraram a compor sua primeira música juntos, e pouco depois se uniram ao guitarrista de jazz Adrian Utley.

O talento do trio era inegável, o que ajudou bastante na abertura de portas para apresentações e um pouco mais tarde para um contrato com a gravadora inglesa "Go! Discs", em 1993.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A partir da colaboração do engenheiro de som e percursionista Dave McDonald, em 1994 saía o primeiro disco do Portishead, o elogiadíssimo "Dummy". Puxado pelo single "Sour Times (Nobody Loves Me)", "Dummy" ganhou em 1995 o concorrido "Mercury Music Prize", o mais importante da música inglesa, desbancando gente como Oasis, PJ Harvey e Tricky (o principal expoente do Trip-Hop até então), além de ter sido um grande sucesso radiofônico e comercial ao redor do mundo inteiro.

O Portishead tinha tudo para ser uma das melhores e mais produtivas bandas da década passada. Sem dúvidas foram uma das melhores, mas não das mais produtivas. Seu segundo trabalho, o auto-intitulado "Portishead", saiu em 1997, depois de a banda ter trabalhado em cima dele por dois anos. "Portishead", curiosamente, era visto como o único disco de 1997 com potencial para tomar o posto de melhor disco do ano (ou da década) de "OK Computer", do Radiohead. Embora seja um disco cheio de qualidades, ele não alcançou essa proeza. Mas conseguiu superar "Dummy". "Portishead" é um álbum de crescimento musical para a banda, que deu mais espaço aos vocais de Beth Gibbons e ousou experimentar nos processos de mixagem, alcançando ótimos resultados nas duas empreitadas. As composições também aparecem mais elaboradas e a banda mais auto-confiante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O próximo disco lançado pelo Portishead foi o registro de um show no legendário "Roseland", em Nova York. O disco, "PNYC - Portishead New York Concert", traz onze faixas básicas, os maiores sucessos da banda, em interpretações impecáveis. Embora perca muito do clima proposto pelo "trip-hop", aquela coisa etérea e distante, o CD tem compensações. A voz de Beth Gibbons,por exemplo, ao vivo é um prodígio, como se verifica nas faixas "Humming", "Mysterons", "Glory Box", entre outras. Entre todas.

Uma das características mais marcantes da música do Portishead é o chamado "Elemento surpresa". Você nunca sabe a que a música deles vai evoluir. Quando menos espera, eles mudam completamente o caminho natural que a composição estava seguindo, para algo melhor, realmente surpreendente. E você fica ali, viajando, quase não-acreditando no que está ouvindo. E não é só Trip Hop, é algo mais... É o que diferencia uma grande banda de uma banda de tendências. O Portishead surgiu do Trip-Hop, mas ficou maior do que ele.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Tunecore 2
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Ultimate Guitar: as 28 canções mais sombrias de todos os temposUltimate Guitar
As 28 canções mais sombrias de todos os tempos


Slayer: quando o católico pai de Tom Araya descobriu que a banda era satanistaSlayer
Quando o católico pai de Tom Araya descobriu que a banda era satanista

Guitarristas e vocalistas: os 10 melhores casamentosGuitarristas e vocalistas
Os 10 melhores "casamentos"