Colin Hart: roadie publica livro sobre Purple e Rainbow

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Lara Paiva, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 11/09/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Imagem
Era julho de 1971, quando Colin Hart, um garoto da cidade de South Shields, Inglaterra, saiu para a sua primeira turnê nos EUA como roadie do MATTHEW’S SOUTHERN COMFORT. A turnê também contava com os grupos FACES E DEEP PURPLE. Durante a viagem, torna-se empresário do Purple, apesar do Ian Gillan (vocalista do grupo) só saber do novo funcionário ao vê-lo derramar um litro a mais de cerveja do que Rod Stewart (vocalista do Faces) havia pedido. Quarenta anos depois, a editora Wymer orgulhosamente apresenta o livro “A hart Life: The life story of Deep Purple and Rainbow's tour manager”, que conta as histórias de Hart como empresário dessas bandas de rock.
Rock e Metal: Doze ótimos álbuns para iniciantesHá quem goste: As 10 bandas mais odiadas do universo

Ele dedicou aproximadamente 30 anos de sua vida aos grandes roqueiros. Este é um fato e é sua história. Um conto que possui excesso de ganância, petulância, raiva e devoção. Porém está contrabalançado por um extremo puro de talento, carisma e, claro, musicalidade. É constantemente chamado de “simplesmente o cara” por observar todos os conceitos quebrados, maquiagens e mudanças nas formações das bandas. Começou aos 24 anos e deixou 30 anos depois, justificando-se que havia caminhado por toda estrada do rock ‘n’ roll. O livro conta a história de duas mais inovadoras, que depois foram copiadas, banda de rock vista através dos olhos, ouvidos e emoções da “mãe galo” (como Jon Lord o chamava). Hart era, para os grupos, o seu mentor, motorista, cuidador, provedor, protetor, pai e confidente. Na verdade, ele é o único que pode dizer, deste conto, que acompanhou não uma, mas duas bandas gigantescas.

Hart vivia como se estivesse numa montanha-russa, trabalhou para o Purple, durante o período de maior sucesso da banda. Ele estava no cassino que pegou fogo em Montreal, onde depois nasceria a música “Smoke On The Water”. Assistiu os lendários concertos no Japão, a saída de Gillan e Roger Glover, a audição em que fez David Coverdale se juntar para banda e o grande Califórnia Jam, festival que teve 400.000 pessoas.

Quando Ritchie Blackmore deixou Deep Purple em meados de 1975 e formou o Rainbow, Colin Hart juntou-se a ele e continuou como empresário da banda durante a sua turnê e viu as diversas formações. Ele foi, invariavelmente, o homem que tinha que dar a notícia para muitos dos candidatos que faziam o teste para a banda: "Nós vamos voltar a falar com você", apesar de nunca retornar!

Mais uma vez, estava no meio do mandato de 9 anos do Raibow. Ele viu o período do Rising (1976), a melhor formação em sua opinião. Também viu os problemas durante a gravação “Long Live Rock ‘N’ Roll”, a saída do Ronnie James Dio, a fase Graham Bonnet culminando com o primeiro festival Monsters of Rock em Donington, que foi um grande sucesso comercial durante a fase de Joe Lynn Turner.

Em 1984, quando Blackmore terminou com o Rainbow para se reunir com o Deep Purple, Hart voltou a acompanhar a trajetória daquela gigante banda de rock que estava em uma grande tour pelos EUA em 1985, no que foi a segunda maior turnê que passou por lá naquela época, só perdendo para Bruce Springsteen. Um déjà vu aconteceu na vida de Colin, a saída de Gillan, a entrada de Turner e a saída de Blackmore enquanto Steve Morse surgiu para levar a banda para o novo milênio, embora a história de Colin chegasse ao fim em 2001.

“A Hart Life” foi escrita em parceria com Dick Allix, seu amigo de longa data e foi baterista da Vanity Fare na década de 60. Hart conta a sua história desde sua vida em South Shields até se mudar para Califórnia com o Rainbow, e depois para Flórida, onde vive atualmente. Conta sobre as turnês que acompanhou do Deep Purple e Rainbow, apesar de cruzar com o caminho de Jimi Hendrix, George Harrison, Elton John, Eric Clapton, Led Zeppelin, AC/DC, Def Leppard, Scorpions e Iron Maiden, para poder citar alguns! Uma verdadeira fascinação dentro da história do rock ‘n’ roll por trás dos palcos. Inclui depoimentos do baixista Roger Glover e do sobrinho de Colin, Paul Mann, que conduziu a Orquestra Sinfônica de Londres ao lado de Deep Purple em 1999.

O livro foi publicado, originalmente, em 2008 no Japão com o título "Between A Rock & A Hard Place", este é vendido no site da editora:
http://www.wymeruk.co.uk/Store/index.php?_a=viewProd&product...

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Rock e Metal
Doze ótimos álbuns para iniciantes

Smoke on the Water: jovens garotas tocam clássico do Deep PurpleDeep Purple: gravadora deu a ideia para título de novo discoDeep Purple: Roger Glover garante que turnê do "adeus" será longaDeep Purple: confira nova música, "All I Got Is You"Todas as matérias e notícias sobre "Deep Purple"

Deep Purple
Os shows mais difíceis da vida de Steve Morse

Deep Purple
Entre 1968 e 1976, o material clássico e de maior impacto

Música Fácil
3 músicas fáceis que você toca errado na guitarra

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Deep Purple"Todas as matérias sobre "Rainbow"

Há quem goste
As 10 bandas mais odiadas do universo

Limp Bizkit
Os visuais mais bizarros do guitarrista Wes Borland

Ronnie James Dio
Escolhendo entre coprofilia, necrofilia e bestialismo

Motivação: 10 músicas de metal que melhorarão sua auto-estimaGuns N' Roses: de banda perigosa a esquecida?Metallica: CJ Ramone diz porque se recusou a tocar na bandaObituário: todas as mortes do Rock e Metal em 2016Google: "não nos culpem pela pirataria"AC/DC: quem Dave Mustaine gostaria de ver no vocal?

Sobre Lara Paiva

Estudante de jornalismo da UFRN. Aos 12 anos começou a escutar Black Sabbath. No início, os pais pensavam que isso seria uma fase, mas a fase virou uma tórrida paixão pelo Rock and Roll.

Mais matérias de Lara Paiva no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online