Matérias Mais Lidas

Rainbow: o curioso método de teste para entrar na banda de Ritchie BlackmoreRainbow
O curioso método de teste para entrar na banda de Ritchie Blackmore

Timo Tolkki: citando Andre Matos, ele cancela masterclass após vender 5 ingressosTimo Tolkki
Citando Andre Matos, ele cancela masterclass após vender 5 ingressos

System of a Down: a música escatológica que gerou briga e quase acabou com a bandaSystem of a Down
A música escatológica que gerou briga e quase acabou com a banda

Greta Van Fleet: Não temos nada a ver com o MetallicaGreta Van Fleet
"Não temos nada a ver com o Metallica"

Supertramp: A bizarra coincidência entre o 11 de setembro e o álbum de 1979 da bandaSupertramp
A bizarra coincidência entre o 11 de setembro e o álbum de 1979 da banda

Charlie Brown Jr: a briga de Chorão com Marcelo Camelo, detalhada por Tadeu PatollaCharlie Brown Jr
A briga de Chorão com Marcelo Camelo, detalhada por Tadeu Patolla

Metallica: 10 das performances vocais mais subvalorizadas de James HetfieldMetallica
10 das performances vocais mais subvalorizadas de James Hetfield

Iced Earth: após acordo, Jon Schaffer é liberado; veja vídeo da saída do tribunalIced Earth
Após acordo, Jon Schaffer é liberado; veja vídeo da saída do tribunal

Iron Maiden: quais eram os discos favoritos de Steve Harris e Adrian Smith em 1985Iron Maiden
Quais eram os discos favoritos de Steve Harris e Adrian Smith em 1985

Jimmy Page: quando o guitarrista arregou para Pepeu Gomes em canja no BrasilJimmy Page
Quando o guitarrista arregou para Pepeu Gomes em canja no Brasil

Rainbow: a situação que deixou Ritchie Blackmore desiludido de vez com DioRainbow
A situação que deixou Ritchie Blackmore desiludido de vez com Dio

Scorpions: a reação de Klaus Meine ao ouvir versões forró para músicas da bandaScorpions
A reação de Klaus Meine ao ouvir versões forró para músicas da banda

Pitty: cantora publica foto nua na internet e bate recorde de curtidasPitty
Cantora publica foto nua na internet e bate recorde de curtidas

Paul Stanley: Só porque eu não gosto de alguma coisa, não significa que seja ruimPaul Stanley
"Só porque eu não gosto de alguma coisa, não significa que seja ruim"

Restart: após uma década, como está garota do meme puta falta de sacanagemRestart
Após uma década, como está garota do meme "puta falta de sacanagem"


Radiohead: Fotos e resenha do show no Rio de Janeiro

Resenha - Radiohead (Jeunesse Arena, Rio de Janeiro, 20/04/2018)

Por Gabriel von Borell
Em 23/04/18

Fotos: Edmar Moreira @crisecriativadrops

Nove anos depois de sua primeira excursão pelo Brasil, o Radiohead voltou ao Rio de Janeiro, na última sexta-feira (20), na Jeunesse Arena, na Barra da Tijuca, para fazer mais uma impressionante e notável apresentação. Aliás, a atual turnê, do álbum "A Moon Shaped Pool" (2016), pode não ser tão empolgante quanto aquela do álbum "In Rainbows" (2007), mas Radiohead é Radiohead.

Apesar da confusão com troca de datas e local do show, 10 mil pessoas prestigiaram a banda inglesa, segundo a organização do Soundhearts Festival, e fizeram bonito, cantando, dançando e se entregando de corpo e alma a cada música destacada no repertório.

Antes do grupo liderado pelo vocalista Thom Yorke, o evento contou com as participações das bandas Junun e Flying Lotus, que subiram ao palco enquanto o público chegava aos poucos. Com 13 minutos de atraso, e contrariando a pontualidade britânica, o Radiohead iniciou seu show às 22h13, quando a arena já estava bastante cheia.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A faixa escolhida para abrir o setlist foi a bela "Daydreaming", que faz homenagem à ex-companheira de Yorke, com quem viveu por 23 anos, e mãe de seus dois filhos, Rachel Owen, morta em dezembro de 2016, vítima de câncer.

A apresentação seguiu com "Ful Stop", que, assim como "Daydreaming", faz parte do disco mais recente do Radiohead. A pegada eletrônica da canção traz influências do grupo alemão Kraftwerk, com quem o Radiohead se apresentou em 2009, na Praça da Apoteose.

Conhecidos pelas excelentes projeções no palco e pelo espetáculo de luz e cores que provoca diversas sensações catárticas na plateia, Thom Yorke, os guitarristas Ed O'Brien e Jonny Greenwood, o baixista Colin Greewood e os bateristas Phil Selway e Clive Deamer, tocaram a envolvente "15 Step", do "In Rainbows". Diante da reação efusiva dos fãs, o frontman soltou uma série de "obrigados", em inglês e português.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A temperatura do show foi esquentando cada vez mais com "Myxomatosis", do disco "Hail to the Thief" (2003), "Lucky", do conceituado "Ok Computer" (1997), "Nude", "Pyramid Song", presente em "Amnesiac" (2001), e a irresistível "Everything is its right place", do álbum "Kid A" (2000).

Mais para frente, "No Surprises", emocionou o público. Não foi muito diferente com "Weird Fishes/ Arpeggi". Em termos de interação, Yorke e o restante da banda praticamente não conversavam com os fãs. E nem era preciso. A experiência compartilhada entre os músicos e a plateia transcende o campo das palavras. É muito mais ampla, está em cada batida, em cada movimento, em cada acorde.

Para fechar a primeira parte da apresentação, às 23h40, o Radiohead escolheu "Feral" e "Bodysnatchers". A plateia nem teve muito tempo para respirar e a banda retornou ao palco para executar "Street Spirit (Fade Out)", com direito a um coro de arrepiar qualquer fã, "All I Need" e "Desert Island Disk".

Após "Lotus Flower" e "The National Anthem", "Idioteque" botou todo mundo para exorcizar seus fantasmas, às "0h12. Passado o momento de transe antes do bis, Yorke voltou sozinho ao palco para entregar uma versão acústica (e linda) de "True Love Waits". Em seguida, os outros integrantes reapareceram em "Present Tense".

Para encerrar o show apoteótico, com quase 2h30 de apresentação, Thom e cia tocaram os hits "Paranoid Android" e "Karma Police", deixando os fãs ávidos por mais canções. Enquanto o Radiohead se despedia, o público cantou repetidas vezes o trecho "For a minute there, I Lost Myself, I lost myself", na esperança de ouvir outros clássicos que ainda faltavam, como "Creep" e "Fake Plastic Trees".

Mas não teve jeito. As luzes da arena se acenderam, a música dos alto-falantes subiu e os "roadies" entraram em cena para retirar os instrumentos do palco. Era hora de voltar para casa remontando na cabeça cada momento de uma noite memorável.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Setlist:

1- "Daydreaming"
2- "Ful Stop"
3- "15 Step"
4- "Myxomatosis"
5- "Lucky"
6- "Nude"
7- "Pyramid Song"
8- "Everything in Its Right Place"
9- "Let Down"
10- "Bloom"
11- "Reckoner"
12- "Identikit"
13- "I Might Be Wrong"
14- "No Surprises"
15- "Weird Fishes/Arpeggi"
16- "Feral"
17- "Bodysnatchers"

Bis:

18- "Street Spirit (Fade Out)"
19- "All I Need"
20- "Desert Island Disk"
21- "Lotus Flower"
22- "The National Anthem"
23- "Idioteque"

Bis 2:

24- "True Love Waits"
25- "Present Tense"
26- "Paranoid Android"
27- "Karma Police"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

💬 Ler e postar comentários


Stamp
publicidade
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Radiohead: em vídeo aleatório, Kevin Bacon toca e canta Creep para suas cabrasRadiohead
Em vídeo aleatório, Kevin Bacon toca e canta "Creep" para suas cabras


Radiohead: O que Lars Ulrich pensa da banda? E Kirk Hammett?Radiohead
O que Lars Ulrich pensa da banda? E Kirk Hammett?

Capas de disco: como seriam se fossem gifs animadosCapas de disco
Como seriam se fossem gifs animados

Os mais feios: Gene Simmons, Lemmy Kilmister, Alex Van Halen...Os mais feios
Gene Simmons, Lemmy Kilmister, Alex Van Halen...


Slipknot: Corey Taylor explica porque o mundo pop não suporta o Heavy MetalSlipknot
Corey Taylor explica porque o mundo pop não suporta o Heavy Metal

Anthrax: Scott Ian apresenta a solução para o Phil AnselmoAnthrax
Scott Ian apresenta a solução para o Phil Anselmo


Sobre Gabriel von Borell

Gabriel von Borell, nascido em 30/03/85, jornalista. Não vive sem música e também não se apega a rótulos musicais. Acredita que todo preconceito é burro, inclusive o musical. Escuta de tudo um pouco, considerando que um jornalista deve estar aberto pra conhecer e comentar sobre qualquer músico ou banda. Pode ser encontrado no Twitter em @gabrielborell.

Mais matérias de Gabriel von Borell no Whiplash.Net.