Cockney Rejects: ícone do street punk deixa sua marca em SP

Resenha - Cockney Rejects (Clash Club, São Paulo, 30/04/2017)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Jorge A. Silva Junior
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Fundado em 1978 na zona leste de Londres, o COCKNEY REJECTS ajudou a impulsionar a segunda geração do punk rock com músicas que retratavam a realidade da classe trabalhadora inglesa, além de não se render ao modismo que aos poucos tomava conta do gênero que estourou na terra da Rainha com os SEX PISTOLS alguns anos antes.

Blind Guardian: Algumas verdades sobre Hansi KürschSexo: como se comportam os fãs de cada vertente de Metal?

Fotos: Rafael Cusato

E a importância do grupo liderado pelos irmãos Jeff "Stinky" Turner (vocal) e Mick Geggus (guitarra) ficou registrada eternamente na coletânea 'Oi! The Album', idealizada pelo jornalista Garry Bushell e lançada pela EMI Records em 1980. A abertura do disco, com a faixa "Oi! Oi! Oi!", do Rejects, não só mostrou ao mundo a face mais real da música vinda dos subúrbios londrinos como também deu nome ao gênero Oi!, também chamado de street punk.

Com tamanha moral e na ativa há quase quatro décadas, o COCKNEY REJECTS desembarcou no Brasil pela terceira vez - as anteriores aconteceram em 2008 e 2010 - para três shows, sendo o último deles marcado para São Paulo, na Clash Club. O público compareceu em ótimo número e lotou a pequena casa de shows localizada na zona oeste da capital paulista.

No repertório o COCKNEY REJECTS não inventou e deu aos fãs exatamente o que eles esperavam: clássico atrás de clássico em pouco mais de uma hora, tudo ao melhor estilo "coletânea ao vivo". E falando em coletânea, a maior parte do que foi tocado na noite pode ser conferido nos dois discos de estreia do grupo, 'Greatest Hits Volume 1 e 2', ambos lançados em 1980.

O clima de festa e celebração se arrastou por praticamente todas as músicas, desde a abertura com "Fighting In The Streets", que foi seguida por "Your Country Needs You", a única do álbum 'East End Babylon' (2012) incluída no set. Além dos irmãos Geggus, a formação atual do grupo ainda conta com Vince Riordan (baixo) e Andrew Laing (bateria).

Mas é sempre bom destacar a estreita ligação do grupo com o futebol, mais especificamente com o West Ham United, tradicional clube inglês na qual passaram jogadores lendários como Bobby Moore e Geoff Hurst e que também ficou famoso por seus torcedores violentos, que deram origem aos hooligans.

E seguindo a linha do fanatismo pelo futebol com uma ligeira dose de violência, "We Are The Firm", "East End" e "I'm Forever Blowing Bubbles" - o hino dos Hammers (apelido do West Ham) - fizeram com que muita cerveja fosse jogada para o alto como um verdadeiro culto de celebração. Os outros pontos altos da noite aconteceram nas músicas "I'm Not A Fool", "Join The Rejects", "The Greatest Cockney Rip Off", "Bad Man", "Flares 'N' Slippers" e "Police Car", até o fechamento em grande estilo com "Oi! Oi! Oi!".

Mais uma vez o COCKNEY REJECTS provou ao vivo que um bom show de rock não necessita de enrolação e superproduções, mas sim de energia contagiante aliada à competência musical vinda de um estilo que retrata exatamente aquilo que seus integrantes acreditam. Come on you irons!

ABERTURA

A abertura do evento ficou a cargo da banda paulistana FACA PRETA, que está na ativa desde 2013. O repertório foi composto por músicas de seu EP autointitulado, além do cover "Riot Squad", do lendário grupo britânico COCK SPARRER. Para mais informações sobre essa grata surpresa do punk nacional, acesse www.facebook.com/FacaPreta.

Set List COCKNEY REJECTS
Clash Club, São Paulo, 30/04/2017

01. Fighting In The Streets
02. Your Country Needs You
03. New Song
04. We Are The Firm
05. Subculture
06. The Power And The Glory
07. I'm Not A Fool
08. Headbanger
09. On The Run
10. Where The Hell Is Babylon?
11. We Can Do Anything
12. East End
13. The Rocker
14. Join The Rejects
15. On The Streets Again
16. The Greatest Cockney Rip Off
17. Bad Man
18. War On The Terraces
19. Flares 'N' Slippers
20. Police Car
21. I'm Forever Blowing Bubbles
22. Oi! Oi! Oi!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Cockney Rejects"


Blind Guardian: Algumas verdades sobre Hansi KürschBlind Guardian
Algumas verdades sobre Hansi Kürsch

Sexo: como se comportam os fãs de cada vertente de Metal?Sexo
Como se comportam os fãs de cada vertente de Metal?

Musculação: os músicos mais bombados do heavy metalMusculação
Os músicos mais bombados do heavy metal

Iron Maiden: sobre o que fala a música "Aces High"?Entrevistas: Coices e tretas entre artista e entrevistadorSlipknot: Corey Taylor conta qual foi a máscara mais difícil de usarO peso da emoção: a trajetória de Blaze Bayley

Sobre Jorge A. Silva Junior

Jorge Junior é paulistano, jornalista diplomado e colaborador do Whiplash.Net desde 2009. Tem mais de 400 matérias e notas publicadas, que somam aproximadamente um milhão e meio de acessos. Também realizou a cobertura de shows de grande porte, entre eles Ringo Starr, Eric Clapton, Deep Purple, System Of A Down, Red Hot Chili Peppers e Ozzy Osbourne. O autor pode ser seguido no Twitter: @jorgejunior85.

Mais matérias de Jorge A. Silva Junior no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336