Booze & Glory: Hooligans ingleses quebram tudo São Paulo

Resenha - Booze & Glory (São Paulo, Clash Club, 11/06/2016)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Jorge A. Silva Junior
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Com apenas sete anos de carreira, o grupo britânico BOOZE & GLORY se consolidou como um dos principais nomes do street punk mundial. Natural de Londres, a banda já lançou três álbuns de estúdio – 'Always On The Wrong Side' (2010), 'Trouble Free' (2011) e 'As Bold As Brass' (2014) –, além da coletânea de singles 'London Skinhead Crew' (2013) e alguns EPs/splits.

5000 acessosGuns N' Roses: os 10 melhores não-clássicos da banda5000 acessosTommy Lee: baterista zombou da habilidade de Ulrich no Twitter

Texto: Jorge Junior
Fotos: Higor Nayde

Com toda essa moral o quarteto formado por Question Mark (vocal/guitarra), Liam The Lion (guitarra/vocal), Super Bubbles (baixo) e Frank Pelle (bateria) desembarcou no Brasil pela primeira vez para show único em São Paulo. O objetivo da noite – alcançado com louvor – foi contagiar o local com a seguinte fórmula: músicas com melodias e refrãos marcantes que mais parecem ser cantadas por torcidas de futebol, além de letras que enaltecem a classe trabalhadora britânica, o consumo de cerveja e também o West Ham United, time pelo qual os integrantes são fanáticos.

Pontualmente às 20h30 de um sábado gelado na capital paulista, onde os termômetros marcavam em torno de 11ºC, o BOOZE & GLORY entrou em campo para ser ovacionado pelo público (que encheu metade da casa) ao mesmo tempo em que abria seu repertório com "Swinging Hammers" e "Our Passion", faixas do álbum 'Trouble Free'.

Daquele momento em diante a festa skinhead regada a muita cerveja não se limitou apenas à pista, uma vez que em praticamente todas as músicas pessoas subiram ao palco sem que os seguranças e roadies oferecessem qualquer tipo de resistência. E o clima realmente começou a esquentar a partir da sequência "Hooligan" e "Carry On", sendo que a segunda foi lançada recentemente em formato de single e já tinha sua letra na ponta da língua do público que seguia se divertindo enquanto entornava mais e mais cerveja.

Após o baixista Bubbles anunciar "Come On You Irons", que homenageia a torcida e o time do West Ham, muita gente com camisetas e agasalhos do clube londrino puderam se imaginar nas arquibancadas do saudoso Boleyn Ground (Upton Park), estádio onde os 'Hammers' mandaram seus jogos entre 1904 e 2016.

Outros pontos altos da noite ficaram reservados para o final, quando a banda tocou a tão aguardada "London Skinhead Crew", que contou com uma invasão em massa do palco, além de "Leave The Kids Alone" e "Only Fools Get Caught", as duas últimas contidas em 'As Bold As Brass' e que foram responsáveis por encerrar uma apresentação contagiante de pouco mais de uma hora. Saldo mais do que positivo para um evento na qual skinheads, hooligans e fãs de street punk puderam celebrar o momento em paz, harmonia e respeito.

Saudações especiais à loja Atrox Casual Club, à produtora Liberation MC e à assessoria Ultimate Music Press, que ajudaram a tornar este evento uma realidade que poucos acreditavam.

SINDICATO OI

A abertura ficou a cargo do grupo paulistano SINDICATO OI, formado por Doug 84 (vocal), Índio (guitarra e vocal), Soleta (baixo) e Português (bateria). Na ativa desde 2000, a banda lançava oficialmente seu novo álbum, 'Pela Glória das Ruas' (The Firm Records, 2016).

O repertório que durou pouco mais de meia hora contou com composições próprias, como "O Lixo e a Fúria", "Rolê" e "Cerveja, Mulher e Treta", além dos covers "Skinhead Girl" (SYMARIP) e "Chaos" (THE 4 SKINS). A recepção do público foi notável, mostrando que a cena street punk nacional segue forte e unida.

BOOZE & GLORY – Set List:

01. Swinging Hammers
02. Our Passion
03. Down And Out
04. Sick Of You
05. Day I'm In My Grave
06. Off We Go
07. Hooligan
08. Carry On
09. Waiting For Tomorrow
10. I Hope You Still Remember
11. Always Left Behind
12. Come On You Irons
13. Maybe
14. London Skinhead Crew
15. Blood From A Stone
16. Leave The Kids Alone
17. Only Fools Get Caught

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Booze & Glory"

Guns N RosesGuns N' Roses
Os 10 melhores não-clássicos da banda

Tommy LeeTommy Lee
Baterista zombou da habilidade de Ulrich no Twitter

Corey TaylorCorey Taylor
Seria melhor se a mídia nem falasse de Metal

5000 acessosPink Floyd: Rolling Stone elege as 10 melhores músicas5000 acessosSlash: os 10 álbuns da vida do guitarrista inglês5000 acessosBruce Dickinson: a história do "Bíceps de Aço" com o Samson5000 acessosOzzy: Sabbath não é minha banda, eu sou membro da banda Black Sabbath5000 acessosGuns N' Roses: momento 'Jackass' na Argentina em 19925000 acessosBandas: Por que ninguém está indo a seus shows?

Sobre Jorge A. Silva Junior

Jorge Junior é paulistano, jornalista diplomado e colaborador do Whiplash.Net desde 2009. Tem mais de 400 matérias e notas publicadas, que somam aproximadamente um milhão e meio de acessos. Também realizou a cobertura de shows de grande porte, entre eles Ringo Starr, Eric Clapton, Deep Purple, System Of A Down, Red Hot Chili Peppers e Ozzy Osbourne. O autor pode ser seguido no Twitter: @jorgejunior85.

Mais matérias de Jorge A. Silva Junior no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online