Gustavo Di Padua: Como foi o Workshop no Amapá

Resenha - Gustavo Di Padua (Centro de Convenções Azevedo Picanço, Macapá, 12/10/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Blackened
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Depois de Kiko Loureiro (ANGRA), Edu Ardanuy (DR. SIN) e Marcelo Barbosa (ALMAH), mais uma fera da guitarra aterrissou no Amapá: Gustavo Di Padua (ALMAH), que tem no currículo passagem por bandas como AQUARIA, GLORY OPERA e também um disco solo (The Stairs [2008]).

Edu Falaschi: músicas surpresas do Almah em show do Tropical ButantãMegadeth: as pérolas mais polêmicas ditas por Mustaine

Quebrando limites e barreiras, o músico também já tocou com artistas como Maurício Matar, Sydnei Magal e Erasmo Carlos. Além desses trabalhos, Gustavo atua como produtor. Para saber mais, não deixe de conferir a entrevista com ele no Blog Olhar Alternativo e neste mesmo site.

A masterclass fez parte da programação Rock! Um Grito pela Vida, cujo objetivo foi arrecadar dinheiro e alimentos ao Instituto Joel Magalhães (IJOMA), que ajuda pessoas com câncer. No cast, além do workshop, ocorreram performances das bandas HIDRAH, VENNECY (que comemorou dois anos de formação) e um grupo de tributo a QUEEN, ANGRA e ANDRE MATOS.

As 17:00h, Gustavo Di Padua sobe ao palco do Centro de Convenções Azevedo Picanço munido de sua Fender Stratocaster e fala algumas palavras inicias de agradecimento, emendando com uma música de seu disco solo. Na hora de tocar, Di Padua mostra feeling, pegada, energia e técnica. No quesito desempenho, mostra-se um grande entertainer.

Ainda na infância, Gustavo começou tocando flauta doce e depois passou a praticar no violão que pertencia ao pai. Com a ajuda de revistas de cifras, Di Padua começou a tirar suas primeiras músicas. Passar para a guitarra foi algo natural, segundo ele. Sobre a pirataria na indústria musical, Di Padua mantém um ponto de vista otimista: apesar dos fãs adquirirem grande parte do material pela internet, acredita que o fã tem vontade de comprar o disco, com encarte e tudo mais.

Sua entrada no ALMAH se deu por convite de Edu Falaschi. Ao discorrer sobre o assunto, mostrou-se satisfeito, tanto com suas bandas anteriores quanto com seus projetos atuais. Além de músico, Gustavo é produtor. Este trabalho surgiu pela necessidade de produzir seu próprio material, o que ajudou, e muito, a conseguir a sonoridade desejada às suas composições.

Pausa nas perguntas e o guitarrista apresenta a faixa Second Floor, de The Stairs. Após isso, ao ser questionado se já pensou em desistir de ser músico, Di Padua respondeu que não, que a música é a sua vida e seu orgulho e que, apesar das dificuldades (a principal, para ele, é a financeira), é gratificante e divertido. Os shows são tudo para o guitarrista, o palco é o lugar mais importante. A sensação de tocar para um público grande que gosta e acompanha o trabalho do artista ou banda é a "grande mágica" do show.

Com o tempo quase esgotando, Di Padua executa a última música do workshop, algo bem pesado e energético, completado por uma performance digna de um show completo. O tempo inteiro, o guitarrista foi atencioso, humilde e carismático, um exemplo para muitos músicos metidos a rockstars. Parabéns, Gustavo! Os metalheads amapaenses ficam no aguardo por sua volta com o ALMAH!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Almah"


Edu Falaschi: músicas surpresas do Almah em show do Tropical Butantã

Edu Falaschi: Deus, ex-colegas do Angra e 25 anos de carreiraEdu Falaschi
Deus, ex-colegas do Angra e 25 anos de carreira

Edu Falaschi: No Kazagastão, o teste para o Iron Maiden, o Angra e maisEdu Falaschi
No Kazagastão, o teste para o Iron Maiden, o Angra e mais

Edu Falaschi: 10 discos que marcaram a vida do vocalistaEdu Falaschi
10 discos que marcaram a vida do vocalista


Megadeth: as pérolas mais polêmicas ditas por MustaineMegadeth
As pérolas mais polêmicas ditas por Mustaine

Epica: belas fotos da bela vocalista Simone SimonsEpica
Belas fotos da bela vocalista Simone Simons

Lauren Harris: Como é ser filha do baixista do Iron MaidenLauren Harris
Como é ser filha do baixista do Iron Maiden

Lindo Demais: conheça o London, o primeiro smartphone da MarshallKrisiun: "Edu Falaschi não viveu o underground"Nirvana: "O show no Brasil foi uma merda, e a culpa é minha"Tommy Lee: baterista zombou da habilidade de Ulrich no Twitter

Sobre Bruno Blackened

Metalhead desde os 16, jornalista desde os 23. Grande incentivador da cena Metal amapaense através de resenhas, reportagens, fotos, artigos, entrevistas e assiduidade nos shows. Minhas vertentes favoritas são o Thrash, Death e Power Metal. \m/

Mais matérias de Bruno Blackened no Whiplash.Net.