Alcatrazz: Graham Bonnet mostra que ainda tem lenha pra queimar

Resenha - Alcatrazz (Carioca Club, São Paulo, 01/09/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Diego Camara
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Performático e genial. Essas são as palavras que melhor se encaixam para o gabarito do ex-RAINBOW Graham Bonnet. Apesar da idade e da forma física pra lá de esquisita, o clássico vocalista não perdeu o folego um momento sequer e mostrou grande performance. Esperado pelos tiozões do metal e uma grata surpresa para os jovens. Confira abaixo como foi o super show, que contou com mais de 3 horas de música somadas as bandas de abertura.

2536 acessosRainbow: para Joe Lynn Turner, nova formação "desrespeita os fãs"5000 acessosCapas de álbuns: as mais obscuras e marcantes da história

Fim de tarde e apenas o vazio enchia a frente do Carioca Club em São Paulo. Nem parecia que seria dia de show, especialmente do show de uma banda clássica do heavy metal como o ALCATRAZZ. O público demorou bastante pra aparecer – muita gente inclusive chegando na hora do show ou após as aberturas – o que é bastante espantoso. Sem pegar filas, o público entrou com tranquilidade na casa.

O primeiro show começou exatamente às 18h30min (com 30 minutos de atraso). A MAD OLD LADY entrou no palco liderada pelo vocalista Eduardo Fagundes. Em um setlist curto, a banda mostrou grande empolgação. Apesar do público pequeno – que ainda chegava, aos poucos – não perderam o ritmo e souberam encantar a plateia. O destaque fica para a ótima linha de baixo e a versatilidade dos três vocalistas, que cobrem um grande range que vai do heavy metal à música clássica.

O setlist, completamente original, foi bastante divertido: destaque especial para a música “Viking Soul”, tocada no final, e que parece realmente ser a cara da banda. Outros destaques foram as músicas “Power of the Warrior”, com um solo de guitarra fantástico, e “Someone”, que mistura uma abertura em piano bastante intimista com guitarras pesadas e um vocal carregado, indo do clássico ao rock. Uma excelente banda para se ouvir e dar uma chance, especialmente se você é fã de novidades.

Após o show animado da MAD OLD LADY, a banda SAGITTA apareceu no palco às 19h15min para sua apresentação. Encontraram uma casa mais receptiva, com um público mais animado e especialmente com iluminação de verdade. Com um vocal que remonta o bom e velho power metal da década de 80, além da pegada rápida nas guitarras e um teclado bastante melódico, a banda empolgou o público.

Destaques para os ótimos covers do QUEENSRYCHE, “Take Hold of the Flame”, e a pegajosa “Rising Force” de YNGWIE MALMSTEEN, ambas muito bem executadas. Entre as próprias, “Satori” é uma ótima composição com aquele exótico toque oriental, e “Ohm” tem uma pegada bem forte nas guitarras e uma bateria impecável. Sentimos a falta do cover de “Eagle Fly Free”, que estava na setlist e acabou cortada.

Pela montagem do palco, era preciso apenas retirar uma das baterias para que o ALCATRAZZ pudesse começar seu show. O início do espetáculo foi às 20h30min, mais uma vez destaque pela rapidez que a produção se desdobrou para que os shows não sofressem um atraso maior do que o esperado.

Bonnet abriu o show com a conhecida “Assault Assault” do MSG, arrasando o público desde o início. A sequência do começo do show não poderia ficar melhor quando “God Blessed Video”, conhecida como o maior sucesso do ALCATRAZZ e que ajudou a alavancar de vez a banda.

Se a maioria dos fãs não sabia cantar a maioria das músicas do ALCATRAZZ, não faltou animação no povão: entre pulos, gritos e chifres, não restou à banda nada além de fazer valer a pena cada segundo do show.

Graham Bonnet não perdia o ânimo: mesmo quando a dificuldade era decorar suas próprias músicas que compôs pelo ALCATRAZZ: no palco não eram poucas as folhas coladas com pedaços de letras – senão letras inteiras – escritas a mão. A voz perfeita de Bonnet ainda se encaixa perfeitamente nas músicas, remontando ainda aos tempos áureos de seu disco no RAINBOW.

A pouca interação dele com o público – preferiu mais tocar músicas do que contar histórias – foi ofuscada pelo domínio do palco: caminhando de um lado para o outro, mostrando ótima saúde, deixou o público atônito e calado. Em diversos momentos parecia que observar em silêncio era o caminho melhor para o público, especialmente quando não se sabia bem como reagir a um som tão bem construído por todos os integrantes da banda.

“All Night Long”, clássico do RAINBOW, foi um dos grandes destaques e fechou o show. Bonnet foi extremamente bem sucedido em dominar o público, fazendo todos repetirem o refrão em uníssono, como nos bons e velhos tempos.

No bis não poderia ser diferente e “Since You’ve Been Gone”, cover de Russ Ballard eternizado pela performance genial do RAINBOW, foi o grande destaque. Outras músicas tocadas foram “Dancer”, também do MSG, e “Lost In Hollywood”, outro clássico do álbum do RAINBOW que teve Bonnet nos vocais.

Assim a banda se despediu do público e com bastante alegria deixaram o palco. Com 01h30min de apresentação, o ALCATRAZZ trouxe um setlist conciso e escolhido a dedo, que não deixou ninguém sentir falta das principais músicas da banda e de outros sucessos da carreira do vocalista. A tristeza fica realmente pela falta do público, que perdeu uma grande oportunidade de conferir um dos grandes astros do rock clássico, coisa que não se vê mais todos os dias.

Setlist Mad Old Lady:

1. Mad Train
2. Glances in the Dark
3. Too Blind to See
4. My Heart
5. King
6. Power of the Warrior
7. Someone
8. Prison
9. Far Away
10. Viking Soul

Setlist Sagitta:

1. Fight For Your Dreams
2. Holy Child
3. Ohm
4. Temple of Lies
5. Rising Force (cover Yngwie Malmsteen)
6. Knockout
7. Take Hold of the Flame (cover Queensryche)
8. Take Off
9. Satori

Setlist Alcatrazz:

1. Assault Attack (cover Michael Schenker Group)
2. To Young to Die, Too Drunk to Live
3. God Blessed Video
4. Love’s No Friend
5. Stand in Line (cover Impellitteri)
6. Big Foot / Jet to Jet
7. Skyfire
8. Kree Nakoorie (Hiroshima)
9. Will You Be Home Tonight?
10. Desert Song (cover Michael Schenker Group)
11. Night Games
12. All Night Long (cover Rainbow)

Encore:

13. Dancer (cover Michael Schenker Group)
14. Since You’ve Been Gone (cover Russ Ballard)
15. Lost in Hollywood (cover Rainbow)

Mad Old Lady

Sagitta

Alcatrazz

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

RainbowRainbow
Para Joe Lynn Turner, nova formação "desrespeita os fãs"

1102 acessosRainbow: vídeos da performance da banda de Blackmore em Londres0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Rainbow"

Ronnie James DioRonnie James Dio
Rockstars respondem qual foi sua melhor banda

RainbowRainbow
Blackmore explica porque serão apenas músicos novos

MetallicaMetallica
Vídeo com covers de Ronnie James Dio

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Alcatrazz"0 acessosTodas as matérias sobre "Rainbow"0 acessosTodas as matérias sobre "Michael Schenker"0 acessosTodas as matérias sobre "Mad Old Lady"0 acessosTodas as matérias sobre "Sagitta"

Capas de álbunsCapas de álbuns
As mais obscuras e marcantes da história

CuriosidadeCuriosidade
Artistas que odeiam suas próprias músicas

Zakk Wylde e Dave GrohlZakk Wylde e Dave Grohl
A treta por causa de canções para Ozzy

5000 acessosHair Metal: Os maiores cabelos da história do rock pesado5000 acessosSeparados no nascimento: Ian Hill e Stênio Garcia5000 acessosBlack Metal: o cotidiano fascinante dos fãs adolescentes5000 acessosBlack Metal: o lado mais negro da cena brasileira5000 acessosMegadeth: Dimebag Darrell quase foi guitarrista da banda5000 acessosAndreas Kisser: não tenho por que não ouvir as bandas do Max

Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre Diego Camara

Mais matérias de Diego Camara no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online