Liberdade ao Rock: mais um final de semana de muito Rock/Metal

Resenha - Liberdade ao Rock (Praça da Bandeira, Macapá, Amapá, 26/01/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Bruno Blackened Monteiro
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Mais um final de semana de muito Rock/Metal na capital amapaense. E muito mesmo! Este que vos escreve deve que se desdobrar para cobrir os dois principais eventos: Liberdade ao Rock e Welcome to Inferno. Como o Liberdade iria começar primeiro, dirigi-me à Praça da Bandeira, "casa" da programação. As duas horas de atraso com que o Liberdade começou devido à chuva que caia "à prestação" deixaram-me apreensivo para não perder as bandas do outro evento, mas deu tudo certo.

5000 acessosJames Hetfield: O equilíbrio entre Metallica e vida familiar5000 acessosLed Zeppelin: "Stairway To Heaven" vale mais de US$500 milhões?

A expectativa era muito alta em relação ao show da PROFETIKA, um dos mais aguardados e respeitados nomes do Thrash Metal amapaense. Com os metalheads amontoados em peso na frente do palco, o grupo formado por Michel Silva (vocal), Tato Silva (bateria), Felipe Kaleb (baixo), Jaime Lopes e Jr Baima (guitarras) começou a pancadaria com Mercenário, música que não está presente no EP Serial Killer, mas que deve ganhar em breve sua versão de estúdio.

O set continuou com as patadas Thrash do EP citado acima e fizeram a festa dos metalheads: moshes e muito headbanging com Início do Final, Mãos ao Alto e a clássica Serial Killer (com o refrão cantado pela platéia ensandecida). E que show! Nem por um segundo sequer a banda deixou a peteca cair e transformou a frente do palco em um inferno, o que significa que a qualidade musical da banda é inquestionável. Mais uma vez, este resenhista parabeniza a PROFETIKA pelo seu som agressivo, visceral e pelos shows cada vez mais intensos!

Pouco depois, mais Heavy/Thrash Metal com a banda METAL ALLIANCE. Apesar do set curto, clássicos como Iron Maiden (IRON MAIDEN cover), Electric Eye (JUDAS PRIEST cover), Seek and Destroy e Master of Puppets (METALLICA covers), foram suficientes para causarem mais headbanging e rodas, com direito até a um pônei entrando nela (sim, isso mesmo, um pônei). Ultimamente, shows da METAL ALLIANCE tem gerado acontecimentos inusitados.

Ao término da apresentação, dirigi-me ao Noise Club, local onde estava acontecendo o Welcome to Inferno, para conferir mais shows de música rápida, agressiva e pesada, do jeito que nós, metalheads, amamos.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Profetika"0 acessosTodas as matérias sobre "Metal Alliance"

James HetfieldJames Hetfield
O equilíbrio entre Metallica e vida familiar

Led ZeppelinLed Zeppelin
"Stairway To Heaven" vale mais de US$500 milhões?

HumorHumor
Namorar um headbanger é sair da zona de conforto

5000 acessosMTV: experts indicam as maiores bandas de Heavy Metal5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 19905000 acessosGuns N' Roses: Axl Rose expulsa pessoa do show em Curitiba5000 acessosPink Floyd: Todos erguemos muros ao redor... qual é o seu?5000 acessosRamones: veja a foto da capa do "Rocket To Russia" colorida!4272 acessosLoudwire: 10 incríveis momentos de Bruce Dickinson no palco

Sobre Bruno Blackened Monteiro

Metalhead, Gamer, Otaku e Jornalista. Essas são as palavras que me descrevem melhor. Um jovem que faz de tudo para apoiar o Heavy Metal, seja através de resenhas, artigos, fotos, reportagens, entrevistas ou mesmo estando assiduamente nos shows apoiando e bangueando ao som das bandas. Amo o Metal desde os 16 anos e minhas vertentes favoritas são Thrash, Death e Power Metal. Também gosto de Gothic, Doom e Black Metal, mas o Thrash é o que me move! THRASH!

Mais matérias de Bruno Blackened Monteiro no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online