Nightwish: Uma grande apresentação no Rio de Janeiro

Resenha - Nightwish (Circo Voador, Rio de Janeiro, 10/12/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Renan Ambrozzi
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Plena noite de uma segunda-feira, um calor dos infernos, Circo Voador, ao meu ver eram muitos os fatores que fariam um show ficar vazio neste dia, mas uma banda como o NIGHTWISH não deixaria por pouco. Cada vez mais aumentava o público e diminuía o espaço, gente se amontoando em todos os cantos por uma boa visão do palco.

Nightwish: Floor Jansen canta "Qué Se Siente" na TV holandesaJethro Tull: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin

Durante as quase duas horas de espera entre a abertura dos portões e o começo do show foi aquela tensão, ainda com a ajuda do DJ em péssimas escolhas de músicas.

Então que as luzes finalmente começaram a se apagar e começava o show que ficaria gravado em minha memória como melhor do ano. De forma épica inicia-se a introdução "Crimson Tide" acompanhado pelo show de luzes azuis e o alvoroço da entrada da banda com a primeira música "Storytime", single do novo álbum "Imaginaerum" que animou aquele amontoado de gente como se fosse um clássico da banda. De fato se tornou um, ainda mais na fabulosa voz de Floor Jansen, que retomou o elemento lírico que consagrou a banda.

O show prosseguiu com a clássica e porrada "Dark Chest Of Wonders" regada a coro do público e valendo um headbanging animal de Floor e terminando com Hietala apresentando a magnífica vocalista ao público que só faltava subir ao palco de tanta euforia. A música seguinte foi outra clássica "Wish I Had An Angel" que bastou o anúncio para matar muitos fãs do coração e seguida pela emocionante "Amaranth", digo de passagem que ficou sensacional na voz da Floor. Logo em seguida a banda saiu do palco para começar a representação da épica e com um quê sombrio "Scaretale", também regada com uma grande participação do público.

Um dos melhores momentos do show veio com as participações do músico inglês Troy Donockley com sua uilleann pipes, um espécie de gaita de fole, dando uma pegada bem folk às músicas, a começar por uma das melhores faixas de "Imaginaerum", "I Want My Tears Back", logo depois da fantástica demostração de talento veio a lenta e belíssima "The Crow, The Owl And The Dove", mostrando que há espaço para músicas lentas porém ainda sim emocionante.

A gaita de Donockley continuou presente em um dos maiores clássicos da banda, "Nemo", que também possui um solo belíssimo do guitarrista Emppu. Não preciso dizer a emoção de todo os fãs ao ouvir o teclado inicial da música, preciso? Então que temos aquele riff animado de "Last Of The Wilds", uma música que de imediato se tornou uma das minhas faixas preferidas da banda e também um dos melhores instrumentais, sem contar na imensa vontade que deu de dançar e ouvir música celta e viking.

Voltando então a nostalgia o show seguiu com "Wishmaster", obviamente com muita batida de cabeça, seguida de "Ever Dream" com uma incrível demostração do potencial vocal de Floor Jansen, relembrando a era Tarja com grandes líricos. Depois de muitos aplausos, e de fato merecidos, o show prosseguiu com o grande cover de Gary Moore, quase que apropriado da banda, "Over The Hills And Far Away", uma música realmente majestosa.

Chegamos ao que seria a última faixa clássica do show com "Ghost Love Score" que também impressionou com toda uma ópera de talentos. Então, quase no final, tivemos a nova "Song Of Myself" puxando muitas vozes do público nos refrões e, chegamos ao final com Floor Jansen anunciando a "Last Ride OF The Day", terminando um show na porrada e headbangings da mesma forma que começou, tanto que parecia que haveria mais, que ainda havia começado até surgir a instrumental "Imaginaerum" como encerramento.

De conclusões gerais digo que o show impressionou muito, foi fatalmente o melhor show do ano, o mais animado, com qualidade tanto musical quanto de produção. O próprio Circo me impressionou com a qualidade sonora e visual durante todo o show. Foi uma grande apresentação e bem descontraída com Marco e Floor conversando com o público algumas vezes e também com as brincadeiras de Emppu.

Foi uma emoção enorme ouvir a banda ao vivo e ainda mais com o talento desse mulherão que é a Floor Jansen que, como disse antes, trouxe de volta aquele fervor lírico da banda. De fato o NIGHTWISH se mostrou uma banda extremamente talentosa no conjunto e em cada membro em particular.

Setlist:

01. Intro: Crimson Tide
02. Storytime
03. Dark Chest Of Wonders
04. Wish I Had An Angel
05. Amaranth
06. Scaretale
07. I Want My Tears Back (c/Troy Donockley)
08. The Crow, The Owl And The Dove (c/Troy Donockley)
09. Nemo
10. Last Of The Wilds (c/Troy Donockley)
11. Wishmaster
12. Ever Dream
13. Over The Hills And Far Away
14. Ghost Love Score
15. Song Of Myself
16. Last Ride Of The Day
17. Encerramento: Imaginaerum

A foto acima foi registrada na apresentação do dia anterior em Porto Alegre. Crédito: Liny Rocks (http://www.facebook.com/photoslinyrocks); veja a galeria completa no link abaixo:

Galeria - Nightwish (Opinião, Porto Alegre, 09/12/2012)


Outras resenhas de Nightwish (Circo Voador, Rio de Janeiro, 10/12/2012)

Nightwish: show no RJ mostra um imbróglio com final felizNightwish: um show maravilhoso no Rio de JaneiroNightwish: peso e vocal poderoso incendiaram a segunda carioca




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Nightwish"Todas as matérias sobre "After Forever"Todas as matérias sobre "Revamp"


Nightwish: Floor Jansen canta "Qué Se Siente" na TV holandesaNightwish: mais informações sobre shows no Brasil em 2020

Nightwish: shows em duas cidades do Brasil são anunciados para 2020Nightwish
Shows em duas cidades do Brasil são anunciados para 2020

Nightwish: banda vem ao Brasil em 2020, com disco novoNightwish
Banda vem ao Brasil em 2020, com disco novo

Tarja Turunen: Carlinhos Brown participa de novo disco da cantoraTarja Turunen
Carlinhos Brown participa de novo disco da cantora

Nightwish: Jukka Nevalainen deixa definitivamente o posto de bateristaNightwish
Jukka Nevalainen deixa definitivamente o posto de baterista

Tarja Turunen: eu não tenho interesse nenhum em ouvir NightwishTarja Turunen
Eu não tenho interesse nenhum em ouvir Nightwish

Como cantar grandes clássicos do Heavy MetalComo cantar grandes clássicos do Heavy Metal
Como cantar grandes clássicos do Heavy Metal

Nightwish: Floor e a dificuldade em lidar com lado suave da bandaNightwish
Floor e a dificuldade em lidar com lado suave da banda


Jethro Tull: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led ZeppelinJethro Tull
A fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin

Slipknot: Corey Taylor não tem a cara limpa por baixo da máscaraSlipknot
Corey Taylor não tem a cara limpa por baixo da máscara

Pink Floyd: dupla sertaneja desvirtua clássico da bandaPink Floyd
Dupla sertaneja desvirtua clássico da banda

Lemmy: "Eddie Van Halen nunca chegará aos pés de Hendrix!"Oito razões pra dormir com um bateristaGuns N Roses: Bon Jovi fez com Steven Tyler o que ele fez com AxlIron Maiden: Jimmy Page relembra Rock in Rio de 2001

Sobre Renan Ambrozzi

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336