Foo Fighters: comprovando sua importância no cenário atual

Resenha - Foo Fighters (Jockey Club, São Paulo, 07/04/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Silvia Tancredi, Fonte: Shine And Rock
Enviar Correções  

Alguns minutos antes do horário previsto para começar sua apresentação, às 20h30, o Foo Fighters subiu ao palco do Lollapalooza, que está sendo realizado no Joquey Clube de São Paulo, hoje e amanhã, para fechar com chave de ouro a noite do primeiro dia do festival.

Foo Fighters: Dave Grohl sai em defesa de professores em áudio de quase 9 minutos

Kirk Hammett: "Mustaine toca rápido e eu, melódico"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Dave Grohl parecia não se conter de alegria nos primeiros segundos que pisou no palco. E os fãs, afoitos, foram presenteados com os brilhantes rifs que anunciavam a primeira canção All My Life. Na sequência, gritos inundaram o show, pois começava o hit mais famoso do grupo, Time Like These.

Com uma faixa no cabelo, Grohl demonstrava que, com ele, não tem tempo ruim e sua principal característica é o carisma. Os demais músicos do grupo atuaram sempre no mesmo ritmo, comprovando que não é à toa que Foo Fighters é a melhor banda de rock da atualidade. Em seguida, seguiram as canções Rope e The Pretender.

Emoção

Trajando camiseta, calça jeans e tênis pretos, Grohl comprovou que o tempo só lhe fez bem e o Foo Fighters é a sua realização não só profissional, mas, sim, pessoal. Ao cantar My Hero, ele se emocionou. E a platéia mais ainda, quando alguém lançou uma bandeira do Brasil e ele a pegou com firmeza, demonstrando a felicidade de estar de volta ao Brasil, depois de dez anos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ao se apresentar disse "Hey. Hi. We're Foo Fighters. Nice to meet you. We're a band and we have a lot of fuckin' time and fuckin' songs." Em seguida, continuou a sessão de hits, com Learn To Fly, White Limo, Arlandria e Breakout.

Gritos

Grohl tem a marcante característica de não cantar as músicas, mas, sim, gritá-las. E isso se evidenciou no show do Lolla. Como que imaginando que deveria economizar sua voz, trocou de lugar com o baterista Taylor Hawkins, o qual cantou com maestria a bonita Cold Day In The Sun.

Na sequência, Grohl voltou e foram apresentadas as músicas Long Road To Ruin, Stacked Actors, Walk (para delírio total da plateia, afinal a canção foi premiada no Grammy), Generator, Monkey Wrench (na qual Grohl não economizou gritos) e This Is a Call.

The Wall

De repente, os espectadores foram agraciados com a interpretação da música In The Flesh do disco The Wall do Pink Floyd, cantada pelo Taylor. Momento grandioso. Roger Waters certamente aprovaria a homenagem.

Oh!

Os fãs do Foo Fighters prestaram uma homenagem ao grupo, quando este cantou a última canção Best Of You. Grande parte dos presentes levantou, cada um, um cartaz com a palavra Oh, bem no momento do coro dessa canção. Grohl e cia aprovaram a atitude.

Bis

O grupo, depois de tocar For All The Cows e Dear Rosemary, convocou a cantora que anteriormente havia se apresentado a retornar. O Jockey Club quase caiu abaixo, quando Joan Jett tocou dois dos seus principais hits junto ao Foo Fighters: Bad Reputattion e I Love Rock n' Roll. Para encerrar, como disse Grohl "this song is for you", Everlong.

Tocando grande parte dos seus hits e praticamente o seu último disco inteiro (Wasting Light), Foo Fighters comprova o quão importante é para o cenário do rock da atualidade. E Dave Grohl confirma a simpatia de pessoa que é. Vida longa ao Foo Fighters!


Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline WhipDin