Disturbed: um ótimo primeiro show no Brasil

Resenha - Disturbed (Espaço Lux, São Paulo, 23/08/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Eduardo Contro
Enviar Correções  





Noite fria em São Bernardo em plena terça-feira, nem isso foi capaz de desanimar o público que foi em grande número conferir o show do Disturbed no último dia 23.

Fotos: Divulgação

Com atraso de mais de 1h, o grupo de Chicago subiu aos palcos brasileiros pela primeira vez em seus 16 anos de carreira. O grande atraso se deu, em boa parte, pela fila gigantesca que se formou na entrada do Espaço Lux. O problema só não foi acentuado, pois a banda esperou todo mundo entrar na casa para começar a apresentação.

Mas voltando ao palco, o Disturbed abriu seu show às 23h05 com "Prayer", um verdadeiro petardo do CD "Believe", do ano 2000, que colocou todo mundo pra pular. Na sequência vieram "Liberate" e "The Game". Os pontos altos da noite, porém, ficaram com as mais rápidas "Ten Thousand Fists" e "Indestructible".

Mesclando em seu set algumas músicas do álbum novo Asylum, de 2010, com diversas mais conhecidas como "Stupify", que fez muito sucesso e foi até tema de um filme de Adam Sandler (Little Nick), o grupo conseguiu agradar bastante o público. Público este, vale ressaltar, dos mais comportados que vimos recentemente em shows de Rock. Talvez pela grande quantidade de seguranças que inibiam as figuras mais agitadas, o fato é que rodinhas só rolaram mesmo na última música, o que chega a surpreender pelo peso do som.

A qualidade do áudio merece aqui uma crítica à parte. Realmente bastante ruim! Uma pena. O volume altíssimo dos instrumentos e do microfone se embolaram e as caixas mal suportaram, o que além de deixar todo mundo surdo ainda prejudicou a exibição da banda. Apesar disso, os integrantes não se abalaram e trataram de compensar com muita agitação no palco e interação com o público. Destaques para o vocal David Draiman que chamava a galera o tempo inteiro pra agitar e o guitarrista Dan Donegan, que toca demais! A banda em si é de realmente encher os olhos. Até Mike Wengren, batera, provou que um solo de bateria nem sempre pode ser chato.

Com a música "Down With The Sickness" o Disturbed encerrou sua apresentação de 1h30 de duração na cidade de São Bernardo. David agradeceu o público e entoando o grito "We’re Disturbed", em couro com a platéia, se despediu em grande estilo do público brasileiro.

SET
Prayer
Liberate
The Game
The Animal
The Infection
Land of Confusion
Droppin' Plates
Inside the Fire
Warrior
Crucified
Stricken
Never Again
Fear / Meaning of Life / Numb / Voices
Another Way to Die
Stupify
Ten Thousand Fists

Indestructible
Solo de Bateria
Down with the Sickness


adWhipDin