Tuska Open Air: Um fim de semana totalmente Heavy Metal

Resenha - Tuska Open Air 2011 (Helsinki, Finland, 22-24/07/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Quando nos mudamos pra Helsinki, eu e minha esposa aguardamos ansiosamente pelo primeiro Festival Tuska Open Air. Já vimos vários vídeos e DVDs com shows das banda que mais gostamos nesse festival e quando começaram a vender os ingressos já garantimos os nossos. Só depois de algum tempo que veio a confirmação de algumas bandas que nos faria bater muita cabeça!

The Agonist: "Alissa tenta matar a banda desde que foi demitida", diz Vicky PsarakisGuns N' Roses: a versão de Axl Rose sobre a separação

Esse ano foram confirmados: AMON AMARTH, DEVIN TOWNSEND PROJECT, MORBID ANGEL, AT THE GATES, ARCH ENEMY, BLIND GUARDIAN, KATATONIA, EPICA, AMORPHIS, MESHUGGAH, KILLING JOKE, ELECTRIC WIZARD, BULLDOZER, TURISAS, ENSLAVED, WINTERSUN, MOONSORROW, TAROT, WITCHERY, BLACK BREATH, AGNOSTIC FRONT, KVELERTAK, SPIRITUAL BEGGARS, GRAVE, HELL, IMPALED NAZARENE, OMNIUM GATHERUM, GHOST, CHURCH OF MISERY, MYGRAIN, MISERY INDEX, JEX THOTH, ROTTEN SOUND, SHINING, HOODED MENACE, CAVUS, MEDEIA, AXEGRESSOR, TINNER, BLACK CRUCIFIXION, LIGHTHOUSE PROJECT, ORANSSI PAZUZU, FLESHPRESS, FEASTEM, GAF, GORESOERD, CAUSE FOR EFFECT e MONONEN.

Compramos os ingressos para todo o fim de semana e acreditem, a estrutura suportou as cerca de 10 mil pessoas por dia e todo mundo pôde assistir os shows bem de pertinho com palco e som excelentes e cronograma perfeito, sem nenhum atraso! A iluminação não tinha muito pois aqui em Helsinki, no verão, o Sol começa a se pôr por volta das 22h da noite.

No primeiro dia chegamos as 15:30 da tarde para conferirmos os show do ARCH ENEMY. O show foi excelente! Estava um calor de lascar (nos enganaram quando falaram que a Finlândia era fria) e a banda estava escorrendo de tanto suar. A Angela Gossow é fantástica. Não desafina nada e agita o tempo todo. Além de músicas do novo álbum, as que mais empolgaram foram as sempre aclamadas "Ravenous" e "Nemesis".

Logo depois acompanhamos o show do AT THE GATES. Eu estava com muita expectativa pois eles, junto com o DARK TRANQUILLITY, foram os precursores do Death Metal Melódico da Suécia. Mas no fim das contas o show foi bom. Pena que o vocalista Tomas Lindberg não estava na sua melhor tarde, meio rouco, deu umas desafinadas. Acho que depois da Angela do ARCH ENEMY, qualquer um que cantasse gutural teria que mandar muito bem. Mas o show foi bom por si só. Ouvir as músicas antigas e clássicos como "Blinded By Fear" depois da reunião que aconteceu em 2007 foi bem legal.

Pra fechar o primeiro dia foi escolhido o MORBID ANGEL! Ver o David Vincent depois de sua volta em 2004 foi muito bom! Pena que agora ele pinta o cabelo de preto e está parecendo o Nikki Sixx do MÖTLEY CRÜE, mas tirando o visual Glam do Vincent o show foi fantástico! Tocaram todos os clássicos de "Altars of Madness" até o "Domination" e até as músicas do novo disco (que eu particularmente não gostei) ficaram boas ao vivo. A falta do Peter Sandoval foi ofuscada pelo excelente e rapidíssimo baterista Tim Yeoung. Foi muito bom ver uma das melhores bandas dos anos 90 (que salvou aquela década).

No segundo dia, já um pouco cansados, tivemos que chegar cedo pois o EPICA iria tocar as 14:30. Chegamos e o show logo começou. O tempo estava meio estranho e começou a cair umas gotas do céu, mas isso não fez o show perder o fôlego. Simone Simons (vestida de paquita da Xuxa) mandou bem e a banda é muito boa ao vivo. Gostamos do que vimos. Mas mesmo assim, acho que o EPICA falta alguma coisa. Não sei se é porque tem muito gutural ou se quando a Simone canta é muito lírico. Acho que o meio termo seria o ideal como o bom e velho AFTER FOREVER fazia.

Depois conferimos o show do KATATONIA! Foi bom demais! O KATATONIA é perfeito ao vivo e o baterista Daniel Liljekvist é um monstro. A criatividade que ele tem nas linhas de bateria são de se tirar o chapéu. Jonas Renkse cativou a plateia dizendo que quando em entrevistas perguntam se eles são da Suécia, ele diz que não... que eles são da Finlândia! Nessa hora o público foi a loucura claro! (Nota do Autor: Existe uma rivalidade em Suécia e Finlândia pior do que Brasil x Argentina por causa dos laços históricos). Voltando, a banda aguentou o solzão de rachar e tocou cerca de 1 hora e 15 de muita coisa boa. Incluindo a música mais aclamada pelo público do show "My Twin".

A penúltima banda a tocar no sábado foram os "nerds" do BLIND GUARDIAN! Eu esperei esse show por mais de 8 anos, já que em Brasília haveria o show deles, mas 2 dias antes, o organizador sumiu e o show foi cancelado! A banda como sempre toca muito ao vivo e empolga. "Valhala" foi cantada por cerca de 6 mil pessoas que estavam na frente do palco, foi emocionante. Parecia que eu estava escutando o "Tokyo Tales" (o clássico deles). Além de clássicos eles levaram algumas musicas mais recentes e fecharam com a excelente "Mirror Mirror". Só pra completar, Hansi Küsch ainda está cantando muito!

Pra fechar o sábado tivemos o DEVIN TOWNSEND PROJECT que eu particularmente nunca tinha ouvido falar até o Tuska confirmar sua participação. Aqui na Finlândia ele é enorme e foi um dos shows mais aguardados segundo uma pesquisa do Festival no Facebook. Como estávamos muito cansados da correria de dois dias de sol na cabeça e bateção de cabeça, deixamos o festival pra salvarmos alguma energia pro dia seguinte e fugir do metrô lotado.

No terceiro e último dia, chegamos e já fomos massacrados pela porradaria do MESHUGGAH! As guitarras de 8 cordas alinhadas com a quebradeira dos tempos de bateria fizeram o show ser perfeito. Eles tocam numa sincronia ímpar e numa empolgação que contagia. Pena que o vocalista Jens Kidman ensaiou alguns insultos pra platéia e isso não foi muito legal. Mas tirando isso, não consigo entender como que a banda decora tantos tempos e quebradas diferentes. Eles são excelentes no que fazem e fazem com perfeição.

Logo depois aguardamos ansiosos pelo show do AMORPHIS. Os Finlandeses estão enormes por aqui e dividiam as atenções da quantidade de camisetas com o AMON AMARTH. O show começou com muita pirotecnia, explosões e muitas chamas! Tomi Joutsen ao vivo segura muito a onda e canta perfeito. Suas linhas melódicas com voz limpa são muito bonitas e seu gutural é forte e potente! A banda é muito bem ensaiada e tocam tudo muito bem. A escolha do setlist foi uma mistura de 2 ou 3 músicas pré Tomi somadas as músicas do novo disco de trabalho. Destaque para "Silver Bride" onde todo mundo cantou junto o refrão. Excelente show! Nota 10 com certeza!

No Club Stage (já que eram 4 palcos) fomos conferir o show do BLACK CRUCIFIXION, banda com 20 anos que fazem um Black Metal bem old school. O BLACK CRUCIFIXION começou na Lapônia, terra do Papai Noel, mas de bom velho eles não tem nada. O show de meia hora apenas foi o último do palco das bandas independentes. Aqui eles bem são conhecidos, mas gostam do fato de serem independentes. O show foi bem agressivo e com muito peso. O Vocalista Forn (volgo TImo Ilvari) trabalha comigo e conta bastante sobre os bastidores da cena metal da Finlândia, e claro, fui lá dar uma moral pro show deles.

Pra fechar todo o festival com chave de ouro foram escolhidos os Vikings do AMON AMARTH. O palco da banda é muito profissional e bonito. Tudo muito sincronizado e com muitas chamas e uma bandeira da ilustração do novo álbum ao fundo. O show foi maravilhoso! O vocalista Johan Hegg é muito bom de carisma e empolgou a galera com sua simpatia logo na segunda música. A banda tem muita presença de palco e cativa todo mundo! Com certeza foi um dos melhores shows que já vi na vida! Pena que foi pouco, apenas 1 hora e meia de cavalgadas e espírito Viking, mas deixou o gosto de quero mais. Destaque para a música de abertura "War of The Gods" do novo disco e a também empolgante "Twilight of The Thunder God".

Em resumo, o festival foi muito bem organizado. Nos anos que se passaram o festival ocorria em um parque perto da estação central de trem e os Finlandeses que conversei não gostaram dessa mudança para Suvilahti (que foi uma antiga área industrial), mas eu achei muito legal o local. A estrutura contava com 1 Palco Principal, 1 Palco Secundário, 1 Palco coberto para 2 mil pessoas e mais 1 Palco Interno para 800 pessoas para as bandas independentes. Além dos palcos, ainda tinham uma estrutura de bares enorme e uma pracinha de alimentação com opções honestas de pratos tipicamente finlandeses como Salsicha com batata frita e ainda um mini mercadinho.

Além dos shows em destaque, também conferimos alguns shows excelentes como o ENSLAVED, TURISAS, KILLING JOKE, ELECTRIC WIZARD e o muito bom MOONSORROW. Com certeza, dependendo das bandas, ano que vem iremos conferir mais uma vez um fim de semana totalmente Heavy Metal na terra do Metal.

Um abraço!

Bruno Ribeiro




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Amon Amarth"Todas as matérias sobre "Morbid Angel"Todas as matérias sobre "At The Gates"Todas as matérias sobre "Arch Enemy"


The Agonist: Alissa tenta matar a banda desde que foi demitida, diz Vicky PsarakisThe Agonist
"Alissa tenta matar a banda desde que foi demitida", diz Vicky Psarakis

Babymetal: Sabaton, Arch Enemy e rapper participam de novo álbumBabymetal
Sabaton, Arch Enemy e rapper participam de novo álbum

Angela Gossow: Não existe deus! Simplesmente lide com isso!Angela Gossow
"Não existe deus! Simplesmente lide com isso!"

Arch Enemy: nós não queremos ser o próximo MetallicaArch Enemy
"nós não queremos ser o próximo Metallica"

Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia


Guns N' Roses: a versão de Axl Rose sobre a separaçãoGuns N' Roses
A versão de Axl Rose sobre a separação

Slipknot: para cada Mustaine falando merda há um HetfieldSlipknot
"para cada Mustaine falando merda há um Hetfield"

Iron Maiden: os fãs mais insuportáveis em lista da MTVIron Maiden
Os fãs mais insuportáveis em lista da MTV

Heavy Metal: "cristãos podem aprender muito com o gênero"Queen: algumas curiosidades sobre a bandaKarl Golden: em vídeo de humor, como foi a audição de Axl pro AC/DC?Pearl Jam: baixista reage ao ódio que banda recebe por opiniões políticas

Sobre Bruno Ribeiro

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336