Avenged Sevenfold em POA: grande banda em plena forma

Resenha - Avenged Sevenfold (Casa do Gaúcho, Porto Alegre, 07/04/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Glauco Ignácio Malta
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

No último dia 07 de abril, Porto Alegre presenciou um show histórico no Centro de Eventos Casa do Gaúcho, onde os fans do Avenged Sevenfold esperavam ansiosos pela primeira apresentação da banda em terras gaúchas.

Avenged Sevenfold: veja Breakdown da música "Exist"Linkin Park: Mike Shinoda fala como Chester se sentia

A entrada na casa foi marcada por uma demora excessiva por parte da organização onde este que vos escreve levou quase duas horas em uma fila que tinha no máximo uns 60 m até a entrada principal; e infelizmente este não seria o único problema da organização na noite que estava apenas começando.

Após a entrada na Casa procurei um lugar onde houvesse condições de assistir ao show tranqüilamente para tentar fazer umas fotos, pois a pista estava totalmente tomada. Devo ressaltar que o local é pequeno para um show deste porte, impossibilitando que a banda pudesse usar toda a produção de palco que foi apresentada nos outros shows no Brasil.

Após alguns minutos de espera sobe ao palco a banda de abertura "Trill", com um set list curto e apresentando apenas músicas próprias que não empolgaram a platéia presente; a banda possui músicos competentes mas, o ponto fraco são as letras em português que caem no clichê das milhares de bandas "emo" que existem por aí (ressalto que não tenho nada contra as bandas de rock que cantam em nossa língua), o destaque fica por conta do baterista que tem boa técnica e toca pesado.

Logo no começo da apresentação da banda, a grade que fica na frente do palco começou a querer ceder por conta da lotação na pista, fazendo com que o vocalista pedisse para o público se afastar (coisa que não aconteceu) pois haviam pessoas passando mal na frente do palco.

Imediatamente após o término da apresentação, os rodies e técnicos começaram a preparar o palco para a grande atração da noite, que estava programada para subir ao palco às 21 hs.

Os técnicos pediam para ao público para dar um passo atrás para poderem efetuar os reparos necessários na grade, e que o show não começaria enquanto não estivesse tudo OK, (claro tomaram uma grande vaia) mas não desistiram, numa correria louca dava pra ver a tensão estampada em cada um deles; enquanto isso jogavam e distribuíam água para as pessoas que estavam na frente do palco para se hidratarem.

Após todos os esforços, e uma hora depois conseguiram deixar a grade em plenas condições para o furacão que estava por passar. Foi engraçado ver a cara de espanto dos presentes quando começou a rolar nos PA's o som dos "Carpenters" que abre os shows dessa turnê. De cara entram com "Nightmare" fazendo com que a casa quase viesse abaixo e cantada em uníssono por todos os presentes, sem pausas emendam "Critical Acclaim", "Welcome To The Family".

A banda esbanjou simpatia, e o vocal M. Shadows demonstrou porque na opinião humilde deste é um dos melhores vocalistas de rock da nova geração, com uma cozinha competentíssima contando com o novo baterista Arin Ilejav que foi o efetivado no lugar de Mike Portnoy, mostrou muita competência nas baquetas deu conta do recado, e mostrando o porque da sua escolha.

Com um set list baseado no disco de 2010 "Nightmare", o que se viu foi uma verdadeira celebração ao rock n' Roll, de uma banda afiadíssima, e grande entrosamento entre Zacky Vengeance e Synyster Gates (guitarras), Johnny Christ (baixo). A grande surpresa da noite foi por conta do 1º bis onde a platéia pedia para que tocassem a música "A Little Piece Of Heaven", quando M. Shadows retorna ao palco sorrindo e falando que não estão tocando essa música nesta tour, aí é que a galera gritou mais forte ainda o nome da música repetidamente. Então M. Shadows olha para os outros membros da banda, se vira para a platéia e diz: "Ok, just for you." Só estando lá, pra ver a energia e a sintonia da banda com o público cantando a música do início ao fim.

Para o segundo bis, prestaram uma bela homenagem ao baterista falecido em 2009 "The Rev" tocando a música "Fiction'. Um grande show de uma grande banda em plena forma, ao final da apresentação ficou aquele gosto de quero mais, e que esperamos voltem logo com um set mais longo abrangendo outros álbuns da banda que ficaram de fora desta tour brasileira.

Set list:
1.Nightmare
2.Critical Acclaim
3.Welcome to the Family
4.Beast and the Harlot
5.Buried Alive
6.So Far Away
7.Afterlife
8.God Hates Us
9.Bat Country
10.Unholy Confessions
Encore 1:
11.A Little Piece Of Heaven
Encore 2:
12.Fiction
13.Save Me

Veja fotos do show no link abaixo:
http://www.iflog.net/malta/foto/309448


Outras resenhas de Avenged Sevenfold (Casa do Gaúcho, Porto Alegre, 07/04/2011)

Avenged Sevenfold em POA: resenha do Rota do RockAvenged Sevenfold: Até tocaram música pedida pelos gaúchos




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Avenged Sevenfold"


Avenged Sevenfold: veja Breakdown da música "Exist"

Pantera ou A7X?: sim, até o Avenged Sevenfold prefere PanteraPantera ou A7X?
Sim, até o Avenged Sevenfold prefere Pantera

A7X: M. Shadows comenta como Mr. Bungle influenciou a banda

Avenged Sevenfold: As bandas deveriam aprender com o MetallicaAvenged Sevenfold
As bandas deveriam aprender com o Metallica

Avenged Sevenfold: nunca tivemos sucesso de verdade no mainstreamAvenged Sevenfold
"nunca tivemos sucesso de verdade no mainstream"

Avenged Sevenfold: guitarrista dá aula de humildade ao responder sobre elogiosAvenged Sevenfold
Guitarrista dá aula de humildade ao responder sobre elogios


Linkin Park: Mike Shinoda fala como Chester se sentiaLinkin Park
Mike Shinoda fala como Chester se sentia

Guitarra: o riff mais popular de todos os temposGuitarra
O riff mais popular de todos os tempos

Eddie Van Halen: Eruption foi um acidenteEddie Van Halen
"Eruption foi um acidente"

Rock e metal: o outro lado das capas de discosNirvana: Dave Grohl explica porque não toca clássicos ao vivoNightwish: Tarja duvida muito que possa ocorrer uma reuniãoVinnie Paul: "O Linkin Park é a única banda grande desse século"

Sobre Glauco Ignácio Malta

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClioIL