Tarja Turunen em SP: lugar de mulher é mesmo no rock n'roll

Resenha - Tarja Turunen (HSBC Brasil, São Paulo, 12/03/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ana Clara Salles Xavier
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O show da TARJA TURUNEN que aconteceu no último sábado, dia 12/03 mostrou que lugar de mulher é mesmo no rock n’ roll. Abaixo, 8 motivos que confirmam o que eu acabei de escrever.

176 acessosRio Rock City: O Power Metal morreu?5000 acessosÁlbuns ao vivo: 10 grandes registros da história do rock

1 - Mulher preza pela qualidade. Ou seja, TARJA soube escolher muito bem os músicos que estão acompanhando-a nessa turnê. No baixo, DOUG WIMBISH da banda LIVING COLOUR, MAX LILJA do APOCALYPTICA no cello, CHRISTIAN KRESTCHMAR nos teclados, o virtuoso guitarrista JULIAN BARRET e nada mais nada menos que MIKE TERRANA na bateria. Com um time desses, não tinha como o show ser ruim.

2 - Mulher é simpática e carismática. Isso TARJA mostrou durante todo o show fazendo caras e bocas em todas as músicas, sorrindo o tempo inteiro (sem parecer falsa), agradecendo imensamente o público e falando várias frases em portunhol.

3 - Mulher sabe ser modesta, mesmo que essa modéstia possa parecer de mentira. TARJA continua com uma voz impecável, não desafinou em nenhuma música e mesmo assim depois de cantar “Stargazers” (uma música do NIGHTWISH que matou a saudade os fãs da ex-banda da vocalista) disse que precisava descansar um pouco suas cordas vocais, dando a entender que sua voz já não era mais a mesma. Até parece, porque durante todo o show não deu pra ouvir UMA falha.

4 - Mulher quando tem uma banda de rock pode ter presença de palco e atitude que muito marmanjo por aí e ainda sim continuar feminina. TARJA fez chifrinhos com as mãos durante todo o show, trocou de roupa algumas vezes, sentava no chão para cantar mais perto do público e mesmo assim continuou parecendo uma deusa nórdica.

5 - Mulher tem brilho próprio. Mesmo depois de ter sido mandada embora do NIGHTWISH e deixando muitos fãs com saudade da época em que cantava na banda, TARJA conseguiu trilhar uma carreira solo impecável. Isso foi perceptível na escolha do set list e na reação do público quando ela cantou músicas como “Dark star”, “I walk alone” e “In for a kill”.

6 - Mulher tem jogo de cintura mesmo quando alguém estraga uma ‘surpresa’ que estava reservando para o final. Como quando o público começou a pedir “Wishmaster” um pouco antes da hora, e TARJA sorriu e fez gestos com a mão do tipo: ‘é depois, é depois’.

7 - Mulher tem múltiplos talentos e com TARJA não é diferente. Além de cantar (e diga-se de passagem, cantar muito) em determinado momento do show ela se sentou ao piano e tocou “Minor heaven”. Ficou simplesmente impecável!

8 - Mulher não esquece seu passado. E isso TARJA deixou claro ao cantar, além de “Stargazers”, do NIGHTWISH, “Higher than hope” e lógico “Wishmaster”, fechando o show com chave de ouro. Isso mostra o quanto TARJA quer agradar seu público, pois tenta de alguma forma, dar atenção a todas as fases da sua carreira.

Com todos esses motivos, você ainda acha que lugar de mulher não é no rock n’ roll/heavy metal?

Foto: Thais Azevedo
Foto: Thais Azevedo

SET LIST
1- Dark Star
2- My Little Phoenix
3- I Feel Immortal
4- In For A Kill
5- Falling Awake
6- I Walk Alone
7- Solo de bateria
8- Little lies
9- Underneath
10- Stargazers
11- Higher Than Hope/We Are/Minor Heaven/Archives of Lost Dreams (acústico)
12- Ciaran’s Well
13- Crimson Deep
14- Where Were You Last Night/Heaven is a Place on Earth/Living on a Prayer
15- Die Alive
16- Until My Last Breath
17- Wishmaster

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

TarjaTarja
Cantora fará show de graça em Piedade (SP)

176 acessosRio Rock City: O Power Metal morreu?361 acessosBrother Firetribe: banda de Emppu Vuorinen completa 15 anos5000 acessosNightwish: nasce a filha de Floor Jansen e Hannes Van Dahl742 acessosNightwish: inseto que vive nas sombras ganha nome de Tuomas0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Nightwish"

Metal sinfônicoMetal sinfônico
Os 10 melhores segundo o TeamRock

IdiomaIdioma
Bandas que já cantaram em sua língua natal

NightwishNightwish
"Não sei quanto dinheiro ganhamos e não quero saber!"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Tarja Turunen"0 acessosTodas as matérias sobre "Nightwish"

Álbuns ao vivoÁlbuns ao vivo
10 grandes registros da história do rock

MotorheadMotorhead
Lemmy fala sobre Hendrix, velhice, nazismo e viagra

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Nirvana e Green Day entre as bandas favoritas

5000 acessosClassic Rock: elegendo os 10 melhores álbuns de estréia5000 acessosFotos de Infância: Slash, do Guns N' Roses5000 acessosMetallica: A reação de James a famosos usando camisetas da banda5000 acessosMetal Hammer: As melhores músicas da história do Death Metal5000 acessosSlash: A lição aprendida após espalhar que Paul Stanley era gay5000 acessosJoão Gordo: "Velho, o rock está morrendo!"

Sobre Ana Clara Salles Xavier

Ana Clara Salles, 24 anos, paulistana. Fã do Guns n' Roses, Black Label Society, Judas Priest, Led Zeppelin e Beatles, no seu acervo musical tem espaço também para bandas dos anos 80 como Sisters of Mercy e Depeche Mode. Afinal, como já disse uma vez Friedrich Nietzsche: "sem música, a vida seria um erro".

Mais matérias de Ana Clara Salles Xavier no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online