Helloween: A banda já fez apresentações mais interessantes no Brasil

Resenha - Helloween (Credicard Hall, São Paulo, 25/03/2006)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando De Santis
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.







A expectativa para o show do Helloween aumentou, após o lançamento do álbum "Keeper Of The Seven Keys - The Leagcy" e a promessa de que a banda gravaria a apresentação na cidade de São Paulo para um novo DVD. A forte chuva que caiu na capital paulista provavelmente atrapalhou quem já enfrentava a fila desde o começo da tarde. Fila que pouco antes de começar o show, deixara de existir. Aliás, nesse quesito, o público paulistano deixou a desejar, não lotando completamente a casa como nas turnês anteriores. Talvez o preço alto dos ingressos tenha afastado o pessoal.

Mas tudo bem, quantidade não significa qualidade... a galera presente agitou do começo ao fim, afinal de contas, valia tudo para ser filmado pelas diversas câmeras que estavam espalhadas pelo ambiente. Após a introdução de "For Thouse About Rock" do AC/DC, as luzes se apagaram e então, o guardião das sete chaves apareceu no placo, fazendo a leitura introdutória de "The King For A 1000 Years". Vale mencionar que apesar da figura usar uma capa idêntica ao personagem das capas dos "Keepers" e "Time Of The Oath", era possível ver o belo par de tênis brancos que o indivíduo usava. E então em cima de uma parede de amplificadores, apareceu Sascha Gerstner (guitarra), fazendo a introdução de violão. Foi o suficiente para levar os fãs ao delírio. Apesar dos mais de 13 minutos de música, a galera não deixou a empolgação cair e na seqüência, Andi Deris, com uma presença de palco fenomenal, anunciou o hit "Eagle Fly Free", que fez com que todos cantassem. O som das guitarras de Sascha Gerstner e Michael Weikath estavam um pouco embolados e de vez em quando, microfonias causavam caretas no público.

Markus Grosskopf (baixo) e o novo baterista, Dani Löble, mandaram bem e seguraram a onda na cozinha alemã. Markus é disparado o mais carismático, correndo e sorrindo o tempo todo. "Hell Was Made In Heaven" passou batida e foi logo esquecida quando os primeiros acordes do clássico "Keeper Of The Seven Keys" foram executados. Sem dúvida alguma, o ápice da apresentação. Solos muito bem executados, Andi em ótima fase, cantando no seu estilo e o público cantando todos os versos. Se eu pudesse dar um conselho ao quinteto alemão, diria: Fechem o show sempre com essa música, para ter certeza que o público sairá satisfeito e com uma boa impressão final.

O show era uma mistura de músicas clássicas com as mais recentes, e ambas conseguiam bons efeitos. Das antigas, destaque para a belíssima balada "A Tale That Wasn't Right", do álbum "Keeper Of The Seven Keys - Part I", com grande performance de Andi Deris. E das mais recentes, vale destacar o hit "Power", do álbum "The Time Of The Oath" (só que desta vez, sem a brincadeira entre o lado direito versus o lado esquerdo). Do álbum "The Dark Ride", executaram a dispensável "If I Could Fly" e surpreenderam com a composição "Mr. Torture", do ex-baterista, Uli Kusch (atualmente no Masterplan).

Durante a apresentação, houve dois solos interessantes: No primeiro, o baterista Dani, desafiava o baixista Markus, na bateria. Markus tocava em uma bateria toda desfalcada, e o máximo que conseguiu tirar nas baquetas foi a introdução de "We'll Rock You" do Queen. No segundo solo, Sascha desafiou o batera Dani, na guitarra. Dani empunhava um mini guitarra elétrica e tentava ser o mais virtuoso possível. Bem divertido e descontraído, diferente dos solos pra lá de tediosos de outras bandas.

No final da primeira parte da apresentação, em "Future World", Andi brincou com o público, fazendo com que cantassem o refrão por diversas vezes, como era feito nas tours dos Keepers I e II. "Invisible Man" do "The Legacy" fechou a primeira parte da apresentação. E ao coro de "Happy happy Helloween", a banda retornou ao palco com a estranha "Mrs. God". Sem dar tempo para respirar, a introdução do clássico "I Want Out" veio na seqüência e para fechar a apresentação, "Dr. Stein" do "Keeper II".

Não há dúvidas que o Helloween é uma das grandes bandas no cenário do Metal atual. A apresentação em São Paulo foi fantástica e deixou a grande maioria dos fãs satisfeitos com o que viram. Muitos podem discutir se o setlist foi o mais adequado, mas não dá para discutir que o Helloween já fez apresentações mais interessantes em outras passagens pelo Brasil. E deixar "How Many Tears" de fora foi um pecado imperdoável...


Outras resenhas de Helloween (Credicard Hall, São Paulo, 25/03/2006)

Helloween: Uma banda excelente sofrendo crise de nostalgia



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Helloween"


Helloween: Grapow e Kusch estão fora da reunião porque traíram a banda, diz Andi DerisHelloween
Grapow e Kusch estão fora da reunião porque traíram a banda, diz Andi Deris

Ídolos imortais: Ingo Schwichtenberg, um monstro do power metalÍdolos imortais
Ingo Schwichtenberg, um monstro do power metal

Collectors Room: o renascimento do Helloween em Master of the Rings (vídeo)Rock Ao Vivo em POA: com Scorpions, Whitesnake e Helloween, já tem lotes esgotados

Em 29/08/1988: Helloween lançava a parte 2 de Keepers of The Seven KeysEm 29/08/1988
Helloween lançava a parte 2 de "Keepers of The Seven Keys"

Helloween: veja vídeo ao vivo da música Halloween, do novo DVDHelloween
Veja vídeo ao vivo da música "Halloween", do novo DVD

Helloween: por que a banda topou substituir o Megadeth no BrasilHelloween
Por que a banda topou substituir o Megadeth no Brasil

Helloween: veja trailer oficial de United Alive

Helloween: o que esperar do novo álbum, segundo Sascha GerstnerHelloween
O que esperar do novo álbum, segundo Sascha Gerstner

Helloween: em exclusiva, falando sobre shows no Brasil e novo discoHelloween
Em exclusiva, falando sobre shows no Brasil e novo disco

Roland Grapow: conheça a banda que acompanhará o guitarrista nos shows pelo BrasilRoland Grapow
Conheça a banda que acompanhará o guitarrista nos shows pelo Brasil

Em 07/08/1962: nasce Michael Weikath, do Helloween

Helloween: shows no Brasil atrasarão novo álbum da reuniãoHelloween
Shows no Brasil atrasarão novo álbum da reunião

Helloween: veja vídeo ao vivo de Pumpkins United, do novo DVDHelloween
Veja vídeo ao vivo de "Pumpkins United", do novo DVD

Para entender: o que é power metal?Para entender
O que é power metal?

Helloween: garoto de 11 anos cantando clássicos da bandaHelloween
Garoto de 11 anos cantando clássicos da banda

Helloween: Tudo o que fazemos surge naturalmenteHelloween
"Tudo o que fazemos surge naturalmente"


Metallica: Conheça a lista de exigências do camarim da bandaMetallica
Conheça a lista de exigências do camarim da banda

Megadeth - Perguntas e RespostasMegadeth - Perguntas e Respostas
Megadeth - Perguntas e Respostas

Fotos de Infância: Janis JoplinFotos de Infância
Janis Joplin

Heavy Metal: os 10 melhores solos de guitarra de todos os temposRock Brasileiro da Década de 70Kiss: banda foi banida de diversas rádios devido a polêmica de SimmonsTurisas: vocalista reclama da cerveja brasileira em show

Sobre Fernando De Santis

Paulistano, nascido em 1979, Fernando De Santis passa grande parte do seu tempo viajando entre São Paulo, Santos e Curitiba. Nas horas de viagens dentro de ônibus ou aviões, costuma ouvir Hard Rock, Heavy Metal e demos de qualquer estilo. Atualmente trabalha como webdesigner para o Estado de São Paulo. Mantém o site "We Burn", dedicado ao Helloween desde 1998, que nunca lhe trouxe nenhum dinheiro, mas rendeu muito amigos.

Mais informações sobre Fernando De Santis

Mais matérias de Fernando De Santis no Whiplash.Net.