Kreator e Tristania: Show para os gaúchos aguardado com expectativa

Resenha - Kreator e Tristania (Bar Opinião, Porto Alegre, 23/03/2005)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Hugo "Guaraná" Lobo
Enviar Correções  

Uma grande expectativa. Após o excelente show dos conterrâneos alemães do Sodom que aconteceu no mês de fevereiro, na capital dos gaúchos, o show do Kreator era aguardado com uma grande expectativa.

Dando continuidade à turnê sul-americana, os noruegueses do TRISTANIA abriram o show para um bom publico que compareceu (aproximadamente 900 bangers) no já tradicional Bar Opinião, que por volta das 18h00 já recebia uma interessante movimentação de pessoas, que aguardavam ansiosas pelo show programado para começar às 21h00.

publicidade

Após a abertura da casa, a platéia começou a gritar "Tristania ... Tristania" e em logo em seguida outra parte da galera começava com gritos mais fortes de "Kreator... Kreator", num engraçado duelo entre estilos diferentes no metal.

O palco estava montado para a atração principal da noite, então o TRISTANIA que conta com sete integrantes teve que se espremer um pouco no espaço que sobrou, com a bateria sendo colocada à frente da bateria do Kreator, mas nada que atrapalhasse muito a banda.

publicidade

Subindo ao palco às 21h20, após uma pequena "intro" começaram com a música "Libre", para delírio de seu público, sendo que a banda faz um razoável gothic metal, com destaque para a vocalista Vibeke Stene, por sua voz lírica e por sua beleza também, sendo que eles possuem mais dois vocalistas, Østen Bergoy (vocais limpos) e Kjetil Ingebrethsen (vocais rasgados/guturais). Algumas partes das musicas foram sendo "complementadas" por playbacks de teclados e harmonia vocal. Seguiram com "World of Glass", "Beyond the Veil", "Tender Trip On Earth", "The Wretched", "A Sequel of Decay", "Circus" e "Aphelion".

publicidade

O som estava um pouco baixo, mas foi sendo regulado à medida em que o show se desenvolvia, com uma iluminação de palco muito boa, criando-se um clima bem ao estilo da banda, e em especial para os fãs do Tristania, que fechou o set com a musica "Angellore", numa apresentação de cerca de 50 minutos.

Após a já tradicional troca de equipamentos, entram em cena os alemães do KREATOR com a intro "Choir of the Damned", aos gritos enlouquecidos do público. No fundo do palco percebia-se o desenho da capa do novo CD da banda "Enemy of God", com uma produção e uma forte iluminação e muito gelo seco.

publicidade

O vocalista/guitarrista Mille Petrozza estava bem agitado, inclusive no início das próximas músicas "Enemy of God" e "Impossible Brutality", ele fazia sinal para o técnico de som aumentar o volume da sua guitarra. A banda seguia detonando seus clássicos com "Pleasure to Kill", "Phobia", "The Patriarch/Violent Revolution", "World Anarchy", "Renewal" , "Suicide Terrorist" , "Extreme Aggression", "People of The Lie", "Voices of The Dead" e "All of the Same Blood".

publicidade

Sami Yli-Sirniö mostrou que se encaixou muito bem no Kreator, com solos elaborados e palhetadas muito rápidas na sua guitarra, enquanto que o baterista Jurgen "Ventor" Reil demonstrava sua já tradicional rapidez e técnica, principalmente nos bumbos.

A banda mostrou muita pegada com músicas dos dois últimos CDs, mesclando sons antigos também, sendo que na musica "Riot of violence" o batera "Ventor" mandou muito bem nos vocais, com Mille fazendo apenas backing vocals. Seguiram com "Terrible Certainty", "Reconquering the Throne", com o baixista Christian Giesler agitando bastante e demostrando muita simpatia para com o publico gaúcho.

publicidade

Mille falou varias vezes em "people of Porto Alegre", numa referencia aos bangers que estavam agitando bastante no show, chegando a perguntar se o publico estava "cansado", de tanto agitar e fazer rodas de "mosh". Na platéia até apareceu uma bandeira da Alemanha, em homenagem à banda. A segurança teve muito trabalho pra conter o público, sendo que apenas uma pessoa conseguiu furar o cerco e dar um "stage diving" na platéia.

publicidade

Após Mille elogiar muito os bangers gaúchos (que para ele estavam fazendo o melhor "mosh pit" da turne brasileira), fecharam o show com a música "Betrayer", sendo muito ovacionados. Retornaram para um sensacional bis, com os sons "Terrorzone", "Love Us or Hate Us", "Flag of Hate" e o clássico "Tormentor".

A banda mostrou ao vivo o porquê de influenciarem tantas e tantas bandas no cenário metal mundial, e que após muitos anos de estrada ainda mantêm viva a "chama" do thrash metal, compondo com o Sodom e o Destruction uma poderosa tríade metálica germânica.

Set List TRISTANIA:

1 - Libre
2 - World of Glass
3 - Beyond the Veil
4 - Tender Trip On Earth
5 - The Wretched
6 - A Sequel of Decay
7 - Circus
8 - Aphelion
9 - Angellore

Set List KREATOR:

1 - Choir of the Damned (intro)
2 - Enemy of God
3 - Impossible Brutality
4 - Pleasure to Kill
5 - Phobia
6 - The Patriarch/Violent Revolution
7 - World Anarchy
8 - Renewal
9 - Suicide Terrorist
10 - Extreme Aggression
11 - People of The Lie
12 - Voices of The Dead
13 - All of the Same Blood
14 - Riot of Violence
15 - Terrible Certainty
16 - Reconquering the Throne
17 - Betrayer

BIS

18 - Terrorzone
19 - Love Us or Hate Us
20 - Flag of Hate
21 - Tormentor

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Motley Crue: Atriz pornô comenta sua relação com Tommy LeeMotley Crue
Atriz pornô comenta sua relação com Tommy Lee

Tamanho é documento?: os Rock Stars mais altos e baixosTamanho é documento?
Os Rock Stars mais altos e baixos


Sobre Hugo "Guaraná" Lobo

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin