Rock: É apenas uma questão de amor... sempre foi... sempre será...

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Bellucci, Fonte: YouTube
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Nunca foi apenas pela música, nunca. Cinco garotos reunidos em casa, lá na garagem, com uma bateria improvisada, alguns instrumentos baratos e muita, muita testosterona, carregados de conflitos internos e cheios de vontade de serem percebidos como indivíduos pelo mundo. Em parte, sempre foi isso. O amor pela música, por reproduzir em sua guitarra aquelo solo "massa" do cara que você admira tanto, tocar em seu baixo aquele solo do Cliff Burton ou imitar o jeito "maneiro" do Bruce Dickinson. Sempre se tratou disso.

Galeria - Tatuagens em homenagem a artistas e bandas - Parte 1Batismo: Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e Metal

O tempo passa e surgem os afazeres da vida cotidiana, trabalho, carreira, filhos, enfim... No entanto há aqueles que por talento, sorte, oportunidade ou tudo isso junto seguem em frente e fazem do seu amor um caminho na vida. Formam uma banda e alcançam a fama, o sucesso e claro, além do reconhecimento, a fortuna. OK!

Mas lá no fundo da alma, para muitos deles, e mesmo de nós, os fás, aquele garoto juvenil ainda está lá, escondido em algum canto de nossas almas, apenas esperando o momento oportuno de reaparecer, surgir, basta apenas aquele som pesado surgir, seja de um smartphone, do som do carro ou seja lá de onde venha!

Creio que com os gigantes também aconteça o mesmo. Ao ver essa passagem de som do Metallica com o grande Lemmy Kilmister tenho exatamente essa sensação. No momento no qual o som começa a rolar aquele garoto lá, guardado no fundo de nossas almas retorna, e por breves minutos nos tornamos o que sempre fomos, headbangers, amantes do rock, rebeldes com ou sem causa. Lemmy é, para mim, o exemplo mais fiel do rockeiro, não apenas rockstar, o rock para ele não era apenas música, mas sim uma filosofia de vida, de ver e se perceber diante do mundo.

Somos o que sempre fomos, nossa alma vem do rock, foi moldada no rock, no metal, e por mais que o tempo passe, a idade nos modifique, sempre seremos como aquele garoto, que um dia tocou sua guitarra na garagem e que queria, se não mudar o mundo, desejava, sobretudo, ser notados por ele!

Longa vida ao Rock!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por escolha do autor os comentários foram desativados nesta nota.


Todas as matérias da seção Opiniões

Galeria - Tatuagens em homenagem a artistas e bandas - Parte 1Galeria - Tatuagens em homenagem a artistas e bandas - Parte 1
Galeria - Tatuagens em homenagem a artistas e bandas - Parte 1

Batismo: Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e MetalBatismo
Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e Metal

Ultimate Guitar: as 28 canções mais sombrias de todos os temposUltimate Guitar
As 28 canções mais sombrias de todos os tempos

Dinho Ouro Preto: "É assustador ver todo o rock ficar de direita"Slash: chapação, a louca e atraente Fergie e Axl RoseMastodon: perder Grammy para Tenacious D foi como "um chute no saco"Metallica: todos os "Yeah" de James Hetfield reunidos

Sobre Ricardo Bellucci

Math teacher, pesquisador, vocalista frustrado, historiador amador e economista por acaso. Um eterno aprendiz.

Mais matérias de Ricardo Bellucci no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336