Segregação dos fãs: Guns N' Roses, viva e deixe viver

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Eduardo Schereder
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O mais engraçado no WHIPLASH são os comentários “acalorados”. Tanto no fórum, como no Facebook, apaixonados fãs e detratores dessa ou aquela banda, se digladiam entre ofensas, piadas e sentenças finais. Nada contra, é folclórico, até. E a coisa esquenta ainda mais quando o assunto é o velho e, principalmente, o novo GUNS N’ ROSES. Mas, afinal, há sentido nessa segregação dos fãs?

5000 acessosGuns N' Roses: Axl Rose erra o carro, fica irritado e confuso5000 acessosGuns N' Roses: transtorno bipolar, a doença de Axl Rose

Na raiz do problema, lá nos (já) distantes anos 90, encontramos uma banda em ascensão, combatendo o Grunge - ao menos, comercialmente – com videoclipes épicos, grandes turnês e escândalos equiparados aos dos ROLLING STONES em seus anos de ouro. Quem, em sã consciência, duvidava que SLASH fosse, senão o melhor, o mais importante guitarrista da época, a despeito de Zakk Wylde e Dimebag Darrel? E que Axl Rose era a encarnação de JANIS JOPLIN e Mick Jagger num corpo só? Pois é, seja qual for o motivo, as personalidades fortes da banda acabaram por arruinar a relação que os mantiveram juntos em outras adversidades. Por certo tempo, foi cada um para um lado, ficando a rixa centrada justamente nos membros mais carismáticos ao olhar do grande público, SLASH e Rose. “The dream is over”, diria JOHN LENNON.

Obviamente, a poeira não baixou facilmente. Todas as gerações sentiram-se órfãs com uma ou duas bandas, e com o GUNS N’ ROSES o rompimento foi mais difícil, pois não se tratava de uma banda pioneira, e sim, de uma seguidora. A última grande banda do Rock mainstream, para alguns. No entanto, as coisas tomaram outro rumo quando “Chinese Democracy” foi anunciado.

Uma nova banda, composta por músicos mais voltados para o estúdio, se formava. Axl Rose, acompanhado apenas de um remanescente da formação clássica dos “Illusions”, Dizzy Reed, capitaneou um projeto pretensioso, que levou alguns anos para ver a luz do dia. Longe de ser um Brian Wilson (BEACH BOYS), Rose acabou por fomentar muito mais a crítica que os fãs, ávidos por notícias “além túmulo” do rockstar. Ora, se a banda estava na ativa, como é que não lançava nunca o referido álbum? O verdadeiro amor da maioria dos gunners então, já alimentados pela desconfiança e pelo Rock in Rio III, era o “Guns da antiga”.

Quando “Chinese” finalmente foi lançado, a predisposição da maioria dos ouvintes era negativa. Que “Axl usasse outro nome, ou o seu próprio, para a banda”, que aquilo “definitivamente não era GUNS N’ ROSES”, foram as reações mais amenas. Em suma, “Chinese Democracy” é um disco arrepiantemente superior aos seus contemporâneos, com pequenos erros e grandes acertos, principalmente no que tange arranjos e overdubs. Ironicamente chamado de “muito industrial” por alguns, a única faixa contrastante é “Shackler's Revenge”, um petardo moderno que aponta para outras direções.

Paralelamente, o VELVET REVOLVER vislumbrava uma derrocada com a saída de Scott Weiland, depois de dois discos bem recebidos. Ainda “na ativa”, mas sem vocalista, Slash, Duff e companhia foram uma das gratas surpresas da década passada, o que não bastou para alguns fãs, igualmente.

Vejam bem, a força motriz responsável pelos protestos de fãs “xiitas” do GUNS N’ ROSES, não aparenta ser a qualidade das músicas, e sim, a “embalagem”. Explico: as reclamações recorrentes tratam do peso de Axl Rose (com quase cinqüenta anos), de como a atual formação e Dj Ashba são medíocres em relação aos membros originais e, a última, por que diabos Slash e Axl não fazem as pazes. Ora, a música - e por tabela, o Rock N’ Roll – é uma linguagem universal. Se o músico não conseguir se expressar como deseja, é natural que procure outros meios, outras bandas. Além disso, como qualquer relação humana, seja na esfera profissional ou pessoal, uma banda tende a passar dificuldades e, nesse caso, é mais difícil separar essas esferas, uma vez que se trata de pessoas com que se lida o tempo todo.

O GUNS N’ ROSES é uma daquelas poucas bandas em que todo mundo tem uma opinião para dar, ninguém fica “em cima do muro”: ou ama ou odeia. É uma paixão. Paixões são difíceis, é sabido, e, se elas trazem apenas frustrações, se afaste com respeito. É o que ocorre quando algo não nos agrada. Então, siga adiante, assim como Axl e Slash fazem.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 06 de janeiro de 2015

Guns N RosesGuns N' Roses
Axl Rose erra o carro, fica irritado e confuso

1951 acessosGuns N' Roses ou Raça Negra: Faça o quiz e veja se acerta1911 acessosGuns N' Roses: os 30 anos de Appetite na capa da nova Kerrang!0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Guns N' Roses"

SlashSlash
Guitarrista fala sobre a origem da sua cartola... roubada

Guns N RosesGuns N' Roses
Alcione e Péricles assassinam "Sweet Child O' Mine"

Lemmy KilmisterLemmy Kilmister
A emocionante despedida de seu amigo Slash

0 acessosTodas as matérias da seção Opiniões0 acessosTodas as matérias sobre "Guns N' Roses"

Guns N RosesGuns N' Roses
Transtorno bipolar, a doença de Axl Rose

VozVoz
10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas (Parte I)

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Phil Anselmo, Dimebag, Rex Brow e Vinnie Paul

5000 acessosSpin: os 40 melhores nomes de bandas de todos os tempos5000 acessosHeavy Metal: celebridades que curtem ou já curtiram5000 acessosDimebag Darrell: guitarra de Van Halen num caixão do Kiss5000 acessosBon Jovi: afinal, o que houve com a voz de Jon?5000 acessosHeavy Metal: Você consegue identificar os 10 diferentes estilos sem olhar?5000 acessosBeatles: editores da Rolling Stone elegem as 100 melhores

Sobre Eduardo Schereder

Eduardo Schereder, 23 anos, cursa o último ano de Publicidade e Propaganda, e é profissional da área de marketing. Apreciador da boa música, independente da época, crê que um dia os BEATLES lançarão um novo álbum, embora reconheça que é difícil. Também é fã de BEACH BOYS, METALLICA e outras bandas tão díspares quanto.

Mais matérias de Eduardo Schereder no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online