Guns N' Roses: Leia entrevista do empresário para o Times

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fuckin' Gunner, Fonte: Nightrain - Guns N' Fuckin' Roses
Enviar Correções  

O jornal The New York Times publicou no dia 06 de fevereiro uma matéria sobre o processo de criação do "Chinese Democracy", sob o título "O Álbum Mais Caro Jamais Lançado". Você pode ler a matéria clicando aqui.

Guns N' Roses: Buckethead foi orientado por Josh Freese a não entrar para a banda

Plágio ou coincidência: trechos semelhantes no rock/metal

Merck Mercuriadis, empresário do Guns N' Roses e chefe executivo da Sanctuary, escreveu a seguinte carta ao jornal:

Senhor,

Eu acredito ser notável que o The New York Times - um jornal com alguma reputação - tenha escolhido escrever um artigo sobre a produção do vindouro álbum do Guns N' Roses, "Chinese Democracy", sem nem mesmo se importar em conversar com alguém que estivesse envolvido no projeto de fazer o álbum. Vocês colocaram citações de 5 pessoas sobre o álbum e todas elas, com exceção do Tom Zutaut, estiveram fora do cenário por entre 6 e 9 anos e, assim como o autor da matéria, nunca ouviram nada do álbum! O próprio Tom Zutaut não está envolvido há 3 anos e não ouviu virtualmente nada do álbum que existe atualmente. O seu jornalista Jeff Leeds - é um retorno de Jayson Blair sob um pseudônimo? - nos contatou na última terça-feira, 24/02, para nos informar que estava trabalhando em um artigo sobre o "processo" de fazer o álbum. Eu o expliquei que não seria possível que ele escrevesse algo do tipo já que ele não havia falado com a banda, nossos 2 engenheiros, eu mesmo e principalmente o Axl, que tem trabalhado no álbum pelos últimos dois anos, e também o perguntei como ele poderia escrever uma matéria investigativa com integridade sem fazer dessa forma. Eu também perguntei por que, se ele estava retratando o "processo", nós fomos as últimas pessoas que ele contatou, já que pela discussão ficou óbvio que ele esteve trabalhando nisto por algumas semanas.

Ao contrário da mentira de que os "empresários" o falaram que o W. Axl Rose "não pode ser alcançado para comentar (a matéria)", eu deixei claro que nós não poderíamos considerar seu pedido para uma entrevista com o Axl ou comigo mesmo já que nós sabíamos quais eram as outras pessoas envolvidas neste artigo, e não iríamos emprestar credibilidade a um artigo que era baseado em "ouvi falar" de pessoas que não tem nada a ver com o álbum, cujo único objetivo era recuperar os seus 15 minutos de fama numa indústria que os deixou de lado e desempregados há vários anos atrás. O Mr. Leeds me falou que ligaria nesta semana depois que nós tivéssemos considerado a nossa posição, então nós poderíamos discutir isso mais a fundo.

Na última segunda-feira, 27/02, às 6 da tarde, ele deixou uma mensagem no meu escritório afirmando que o seu prazo para entregar a matéria era no meio-dia do dia seguinte. Eu liguei imediatamente após receber a mensagem na manhã seguinte e o lembrei que nós fizemos um acordo em que ele poderia considerar se queria divulgar as pessoas envolvidas no artigo e, a partir disto, eu contataria o Axl e nós poderíamos considerar a chance de participar e o perguntei porque ele não havia mencionado que estava trabalhando com um prazo apertado quando nós nos falamos anteriormente. Eu também afirmei que esta matéria não era uma "notícia" nem era "frágil" e caso o seu artigo seria genuinamente sobre o "processo", então ele certamente deveria falar a alguém que estava envolvido. Depois de muita discussão com o Mr. Leeds, ficou claro que tanto o repórter quando o N.Y. Times tinham a sua própria agenda e que o único interesse mostrar uma visão exata não era o único interesse, mas tanto ele quanto o seu editor se negaram a me dar 24 horas para discutir a situação com o Axl, apesar do fato que a matéria estava agendada para ser publicada 6 dias mais tarde!

Também deve ser mencionado que, durante a nossa conversa inicial, nós oferecemos ao repórter a chance de ouvir o álbum no estúdio quando ele estivesse finalizado e conversar com as pessoas que estavam diretamente envolvidas, em favor do artigo que ele havia escolhido fazer. Como uma das poucas pessoas envolvidas na produção deste álbum, eu posso afirmar aos seus leitores o seguinte: W. Axl Rose não está interessado em fama, dinheiro, popularidade ou o que mais o New York Times ou qualquer outro jornal possa pensar dele. O seu único interesse é fazer o melhor álbum que ele é capaz de modo que ele possa afetar 2005 positivamente nas pessoas que são entusiastas por música e interessadas no Guns N' Roses. A sua integridade artística é tamanha que ele escolheu fazer dessa forma sem compromisso num grande sacrifício pessoal que fez dele um alvo fácil para este tipo de coisa que vocês optaram por imprimir. Eu acredito que ele irá rir por último.

Sinceramente,
Merck Mercuriadis
Chefe executivo da Sanctuary


adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin