Def Leppard: "Não somos perigosos como Axl Rose"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Altaf, Fonte: Blabbermouth
Enviar correções  |  Ver Acessos

Leslie Gray Streeter, do jornal Palm Beach Post, fez em julho de 2006 uma entrevista com Vivian Campbell, guitarrista do Def Leppard. Alguns trechos da conversa estão a seguir:

Polêmica: as músicas mais controversas da história do RockFrases de bandas: o que eles realmente querem dizer?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre ainda ser considerado o "novo membro" do Def Leppard, mesmo tendo entrado na banda em 1992:

Eu sempre serei o 'cara novo'. Ronnie Wood sempre será o 'cara novo' nos ROLLING STONES, e ele está na banda, sei lá, há 30 anos!

Sobre o fato de que o material do Def Leppard sempre tentar tirar os ouvintes - e os próprios membros - da tristeza:

As pessoas já têm preocupações demais. Basta ligar a TV. O mundo não é sempre um lugar feliz. Queremos acentuar a parte alegre dele. O que fazemos é divertido. Não estamos escrevendo músicas com motivações políticas. Deus me livre, não há nada pior do que nós em cima de um palanque.

Sobre a vida relativamente curta do grunge, o estilo de música do início dos anos 90 que os músicos de hard rock culpam pela sua "má sorte":

O Grunge se levou muito a sério. Todas aquelas bandas ficavam no palco se arrastando, olhando para os próprios sapatos, e tocando música depressiva. Muita coisa boa foi feita (naquela época), mas não encontra eco por muito tempo, não se sustenta. Fora o Pearl Jam, eu não consigo pensar em nenhuma outra daquelas bandas que tenha se sustentado. Uma coisa boa a respeito do Def Leppard é que ele nunca se retirou...nunca pendurou as chuteiras. Encontramos alguma resistência, mas dissemos 'Deixa pra lá, vamos fazer o que quisermos'.

Fechamos um ciclo nesse gênero. Não é que tenhamos mudado, o clima mudou. Reamente nos divertimos, e contanto que nos divertamos, isso é refletido em nossa música. É uma experiência interativa, e dependemos do nosso público.

Sobre ser "profissional":

Levamos o que fazemos a sério, mas não a nós mesmos. [Nós temos] uma ética de trabalho incrível. Comparecemos quando temos que fazê-lo, e concluímos o trabalho. Nós não somos perigosos como o Axl Rose. Nunca perguntam sobre nós 'Será que eles vão aparecer? Será que alguém da banda foi preso?' Não somos esse tipo de banda. Apenas nos divertimos fazendo o que fazemos, mais do que qualquer outra coisa.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Def Leppard"Todas as matérias sobre "Guns N' Roses"Todas as matérias sobre "Axl Rose"


Guns N' Roses: o momento mais estranho de Duff McKagan no palcoGuns N' Roses
O momento mais estranho de Duff McKagan no palco

Guns N' Roses: Como Slash explica a separação em sua biografia?Guns N' Roses
Como Slash explica a separação em sua biografia?


Polêmica: as músicas mais controversas da história do RockPolêmica
As músicas mais controversas da história do Rock

Frases de bandas: o que eles realmente querem dizer?Frases de bandas
O que eles realmente querem dizer?


Sobre Rodrigo Altaf

Mineiro nascido em 1974, esse engenheiro civil que vive e trabalha no Canadá começou a ouvir heavy metal aos dez anos, após acompanhar o Rock in Rio I pela televisão. Após vários anos sem colaborar pro Whiplash.Net, está em busca de todos os shows possíveis em Toronto. Entre suas influências estão Iron Maiden, Van Halen, Rush, AC/DC e Dream Theater.

Mais matérias de Rodrigo Altaf no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor