Reunião do Ratt: nunca diga nunca, diz Pearcy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ana Paula Savioli, Fonte: Blasting Zone
Enviar correções  |  Ver Acessos

O Blasting-Zone.com conduziu recentemente uma entrevista detalhada com o antigo frontman do RATT/ ARCADE, Stephen Pearcy. Vários excertos abaixo:

Iron Maiden: Fã em cadeira de rodas emociona Bruce em Belo HorizonteManowar: você acha as fotos da década de 80 ridículas?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Blasting-Zone.com: O grunge foi a principal causa da morte do Arcade?

Stephen: Ninguém matou ninguém. Foram as gravadoras. Eu tinha assinado com a Sony com o Arcade e eles tinham o Pearl Jam, então é claro que iam se concentrar em outra coisa, entende? Naquela época eu já estava dando meu próximo passo, que era o Vicious Delite, e a minha gravadora. Foi uma boa experiência e nós nos saímos muito bem no final. Não foi o grunge e as nossas músicas ainda foram tocadas e fizemos um vídeo para 'Nothing to Lose', uma música que eu escrevi com Jum Vallance. Estava tudo bem. Só que já era hora. Se você pensar nisso agora, o que vem, o que vai, sabe? O metal não foi a lugar nenhum; ele só está em baixa.

Blasting-Zone.com: Como Michael Schenker se envolveu com o Ratt?

Stephen: Quando Robbin [Crosby; guitarrista do Ratt] se reabilitou durante a turnê do Detonator, nós meio que nos aproximamos dele. Ele fez a turnê e foi impressionante! Eu costumava tocar músicas do UFO quando eu estava no Mickey Ratt, em 76 ou 77, então poder fazer isso de verdade ao vivo foi intenso. Além do mais, os solos que ele fez com Warren [DeMartini] na turnê foram simplesmente espetaculares.

Blasting-Zone.com: Qual foi o principal motivo por trás da reunião com Juan [Croucier, ex-baixista do Ratt]?

Stephen: Nós estivemos conversando bastante sobre outras coisas que não os negócios do Ratt. Ele está com uma banda nova, um trio de power, onde ele canta e toca baixo. Juan e eu escrevemos um monte dessas boas músicas do Ratt como 'Lack of Communication' e 'You're in Love'. Nós nos entendemos escrevendo. Você sabe o que faz quando está numa banda. Ele queria sair... Então eu disse: "Por que você não vem e faz alguns shows?", então ele veio participar de alguns de nossos shows.

Blasting-Zone.com: Ainda haverá uma reunião completa do Ratt?

Stephen: Não sei... Nós nos mantemos em contato e todas as questões jurídicas foram resolvidas amigavelmente. É uma questão de ter tempo. Nunca diga nunca. Nós conversamos, e isso é tudo que eu posso dizer sobre o assunto. Mas novamente, o Ratt nunca foi uma banda previsível. Eu sei que um monte de gente estava dizendo que nós devíamos anunciar uma grande reunião como o 'Behind the Music' (Nota: programa de música) estava insinuando, mas esse não é o nosso estilo. Algo desse tipo... poderia ter sido entendido errado onde as pessoas teriam pensado que nós estávamos nos reunindo, mas não é esse o caso. Nós nem dissemos nada no 'Behind the Music', então por que faríamos isso agora? Acredite em mim, se o inferno congelar, você saberá que vai haver uma reunião. [risos]

Leia a entrevista completa no link abaixo.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Ratt"


Hair metal: os 50 melhores álbuns de todos os tempos, segundo a Rolling StoneHair metal
Os 50 melhores álbuns de todos os tempos, segundo a Rolling Stone

Ratt: a filha virgem oferecida pela mãe a Stephen PearcyRatt
A filha virgem oferecida pela mãe a Stephen Pearcy


Iron Maiden: Fã em cadeira de rodas emociona Bruce em Belo HorizonteIron Maiden
Fã em cadeira de rodas emociona Bruce em Belo Horizonte

Manowar: você acha as fotos da década de 80 ridículas?Manowar
Você acha as fotos da década de 80 ridículas?


Sobre Ana Paula Savioli

Uma pessoa estranha que estuda Letras/Inglês na PUC-SP e pretende trabalhar como tradutora e intérprete - não só de inglês, mas também de francês, alemão e quantas línguas mais conseguir aprender. É uma grande (ou melhor, maníaca e assassina!) fã de Helloween, Pink Cream 69 e Gotthard, mas gosta da boa música em geral, sem preconceitos e rótulos.

Mais matérias de Ana Paula Savioli no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336