Weiland: problema familiar explorado pela mídia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Silvio Somer, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar Correções  

A rede de notícias World Entertainment News Network noticiou que Scott Weiland está num embate com a mídia por terem tornado sua recente briga com sua esposa num hotel em um assunto grave, enquanto na verdade era pouco mais do que apenas uma discussão em família.

Matt Sorum: "não podemos fazer show, mas Trump pode fazer comício para milhares?"

Excessos: como os rockstars gastam os seus milhões

Mary, a modelo e esposa do vocalista do VELVET REVOLVER, destruiu uma suíte do hotel California em março de 2007 após uma briga com seu marido e depois foi presa acusada de incêndiária após queimar roupas de Weiland no lado de fora da casa do casal em Toluca Lake, Califórnia.

Desde então Mary pôs a culpa de seu desequilíbrio nos medicamentos que usa para tratar de sua desordem bipolar causada pela disputa das manchetes. E agora seu marido, que também tem desordem bipolar diagnosticada, apresentou-se para combater aqueles que tornaram um problema médico em um assunto dos tablóides.

Ele disse à revista Spin: "O problema é, se alguém não for medicado adequadamente, quando ocorrer algo que mexa muito com suas emoções pode acabar provocando situações incontroláveis. Minha esposa e eu somos pessoas muito passionais e aquele negócio de queimar as roupas - tudo aquilo, basicamente, foi só uma semana ruim. E a mídia fez disso um circo. Todo casal tem seus dias ruins... só que com a maior parte das pessoas isso não acaba no noticiário".

Weiland insiste que ele e sua esposa estão tão felizes quanto no passado: "Estamos vivendo juntos há mais de nove anos e estamos casados há sete", ele diz. "Nós nos amamos mais do que tudo no mundo".

"Libertad", novo álbum do VELVET REVOLVER, está sendo lançado agora no início do mês.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Matt Sorum: não podemos fazer show, mas Trump pode fazer comício para milhares?Matt Sorum
"não podemos fazer show, mas Trump pode fazer comício para milhares?"

Matt Sorum: ainda triste pelas mortes de Scott Weiland, Chris Cornell e ChesterMatt Sorum
Ainda triste pelas mortes de Scott Weiland, Chris Cornell e Chester


Guns N' Roses: o timbre de Slash ao vivoGuns N' Roses
O timbre de Slash ao vivo

Duff McKagan: ele diz que vira gay nas turnêsDuff McKagan
Ele diz que "vira gay" nas turnês


Excessos: como os rockstars gastam os seus milhõesExcessos
Como os rockstars gastam os seus milhões

Garagens: adolescentes frustrados, guitarras baratas e energiaGaragens
Adolescentes frustrados, guitarras baratas e energia


Sobre Silvio Somer

Inicialmente meu gosto musical foi marcado por bandas como Black Sabbath, Iron Maiden e Deep Purple, mas o que revolucionou minha forma de perceber a música foi a primeira vez em que ouvi o álbum "2112" do Rush, embora eu já conhecesse algumas músicas da banda, foram os acordes de "Overture" que colocaram tudo em uma nova perspectiva. Foi assim que aos 14 anos de idade coloquei o mundo que me cercava em cheque. Meu gosto por literatura, então, encontrou sua contra-parte de forma bastante harmônica e ambos são essenciais em minha vida. Atualmente moro em Florianópolis e estudo piano e faço o curso de letras. "We've taken care of everything / The words you hear the songs you sing".

Mais informações sobre Silvio Somer

Mais matérias de Silvio Somer no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin