Chakal comenta coletânea Warfare Noise I

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis, Fonte: Cogumelo Records
Enviar Correções  

Vladimir Korg, vocalista do CHAKAL, soltou uma nota à imprensa hoje comentando a coletânea WARFARE NOISE I, lançado originalmente em 1986, e agora relançada em formato digipack pela Cogumelo Records.

Além do CHAKAL com "Cursed Cross", "Mr. Jesus Christ", e "Children Sacrifice", o CD traz "Believers Of Hell", "Nuclear Holocaust", "Evil Conspiracy", e "Visions Of Darkness" do MUTILATOR; "Recrucify", "The Black Vomit", "Satanas", "Christ's Death", "Satanic Lust" do SARCÓFAGO; e "Destruição Nuclear", "Escarro Napalm", e "Massacre" do HOLOCAUSTO.

publicidade

"Hell o thrashers,

Estar no Chakal e participar da Warfare Noise, no princípio da década de oitenta, foi para minha carreira de músico e artista underground uma experiência única. Por causa dela o Chakal pôde gravar sua primeira demo tape intitulada 'Children Sacrifice'. Esta demo foi tão importante quanto a participação na coletânea. A demo e nossa participação na coletânea foram festejadas em um inesquecível churrasco, com amigos do SEPULTURA, MUTILATOR, e amigos da cena de São Paulo e do Rio de Janeiro. Bons tempos...

publicidade

Esta coletânea que você tem em mãos é um registro precioso das principais bandas que começavam a aparecer e maturar uma cena que daria muito o que falar. Éramos as principais mas não éramos as únicas. Embriões do que seriam futuramente nossas bandas irmãs como WITCHHAMMER, SEXTRASH, MAYHEM (BRA), MEGATHRASH, AMMON HAMMER, e tantas outras que estavam à espreita.

publicidade

Eu, falando pelo Chakal, sinto-me privilegiado, e posso falar com confiança que além dos temas que gravamos e do nome que incrustamos na história do Metal mineiro, ajudamos a fechar elos de uma corrente que jamais se romperá: os da amizade e da crença da força de expressão de uma arte que hoje está estabelecida. É importante datar esse lançamento. Estávamos saindo de uma ditadura que corroeu e amedrontou-nos e a nossos pais durante vinte anos. Ainda carregamos marcas desse tempo. Muitos, quando a mordaça foi arrancada, decidiram dizer o que antes não poderia ser dito; nós, decidimos gritar. E gritamos muito alto!

publicidade

Com o respaldo financeiro e a atenção cuidadosa da Cogumelo o antigo vinilzão foi o instrumento para propagar o que queríamos dizer. Tivemos a sorte de estar bem acompanhados: SARCÓFAGO, a banda que se tornou referência mundial para um estilo que ainda engatinhava: o Black Metal. O MUTILATOR, nossos irmãos que sempre nos colocaram para frente com incentivos e elogios, principalmente o saudoso Magoo. E finalmente, nossos irmãos do HOLOCAUSTO com os memoráveis shows e com a sua brutalidade sonora, minha principal referência.

publicidade

A Warfare Noise, mesmo nesse novo formato, é muito mais que uma coletânea de bandas mineiras de Heavy Metal. A Warfare Noise é o princípio de uma história que estava começando a ser escrita.

Stay Metal, Vladimir Korg"




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Lemmy: Radiohead e Coldplay são bandas sub-emoLemmy
"Radiohead e Coldplay são bandas sub-emo"

Total Guitar: os melhores e piores covers da históriaTotal Guitar
Os melhores e piores covers da história


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin