Tom Araya: "Todos vão amar o novo disco. É Slayer clássico"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Antonio Parreira, Fonte: artistdirect.com, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 07/08/09. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Em uma entrevista publicada no site artistdirect.com, Rick Florino bate um papo descontraído com Tom Araya, baixista do SLAYER.

223 acessosSlayer & Yoko Ono: e não é que funciona?5000 acessosAs novas caras do metal: + 40 bandas que você deve conhecer

Eles conversaram sobre o novo CD (“World Painted Blood”), o minimalismo do SLAYER ao vivo e alguns assuntos pessoais. A entrevista completa (em inglês) pode ser conferida neste link. Alguns dos destaques seguem abaixo.

Artistdirect: Falando de velocidade, as novas canções 'Psychopathy Red' e 'Hate Worldwide' guardam a velocidade e intensidade tradicional do SLAYER.

Tom Araya: "Todos vão amar o novo álbum. É impressionante. É SLAYER clássico. É tudo o que você quer ouvir em um álbum do SLAYER. Vocês não vão se desapontar, por assim dizer".

Artistdirect: Você assiste a muitos filmes quando está compondo?

Tom Araya: "Depende do filme. Se eu estou escrevendo sobre um assunto e por acaso eu assisto um filme que trata do mesmo assunto, idéias vão surgir. Eu vou escrever sobre as cenas que eu vi e vou tentar descrevê-las da melhor maneira possível. Os livros têm esse efeito também. Jeff escreveu sobre 'Unit 731', que era uma unidade médica militar japonesa que fez experiências em pessoas. Um assunto como a filosofia e a teoria sobre as 'queimaduras de frio' me inspirarão (N.T.: Existe alguma filosofia aí???), tipo as diferentes maneiras de sobreviver às queimaduras de frio. Você acha isso na Internet. Você quer ler sobre o assunto e certificar-se de que o que você está cantando é mais ou menos a mensagem que você quer passar. Você tem que fazer um pouco de leitura [risos]".

Artistdirect: Sendo pai, você precisa entrar no "modo SLAYER" antes de ir para o palco ou o estúdio?

Tom Araya: "Isso é algo que eu sempre fiz. Minha vida não mudou nada desde que eu tive filhos. Antes de ir para o palco, nós temos uma 'concentração' de uma hora. É nessa ocasião que eu tento focalizar a minha mente. Não é que eu esteja me 'amplificando', mas eu penso sobre tudo. Eu espero não esquecer das letras. Nessa hora, eu me preparo. Jeff e Kerry aquecem suas guitarras. Fazem alongamentos. Eles 'batem cabeça' enquanto praticam. Nós nos entregamos nesta hora. É o tempo onde nós nos concentramos e ficamos prontos para o show".

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Kerry KingKerry King
Guitarrista revela qual a sua música favorita do Metallica

223 acessosSlayer & Yoko Ono: e não é que funciona?793 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores913 acessosBody Count: divulgado videoclipe de covers do Slayer763 acessosBody Count: veja o vídeo para "Raining Blood", do Slayer0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Slayer"

SlayerSlayer
Ouça "Seasons In The Abyss" com Corey Taylor no vocal

Heavy MetalHeavy Metal
Os vinte melhores álbuns da década de 80

SlayerSlayer
E se a Stella Artois lançasse uma cerveja da banda?

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Slayer"

As novas caras do metalAs novas caras do metal
Mais 40 bandas que você deve conhecer

LoudwireLoudwire
As dez melhores bandas da era Grunge

Iron MaidenIron Maiden
Bruce Dickinson diz não haver muito diálogo na banda

5000 acessosJared Leto: a reação ao se ver no papel do Coringa5000 acessosElectra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave Mustaine5000 acessosNamore um cara que goste de Metal5000 acessosRafael Serrante: Ele invadiu o palco do Maiden no Rock In Rio4753 acessosUdo: vocalista conta porque não tem mais relações com o Accept5000 acessosBlack Sabbath: 35 anos do acidente de "Trashed"

Sobre Antonio Parreira

Antonio Parreira, aka Tunão, aka Anton Parr, é arquiteto, designer gráfico e músico. Interessado por música desde sempre, tornou-se fanático por rock depois de descobrir bandas como Kiss, Iron Maiden, Judas Priest e AC/DC. No início dos anos 80 acompanhou o nascimento do Thrash Metal, estilo que se tornou seu preferido de todos os tempos. Tocou em várias bandas nessa linha "Thrash Bay Area" durante os anos 80 e 90: Napalm, Damage, Overthrash, The Still e Avalon. Atualmente é vocalista do Buffalo Theory MTL, banda de Southern Metal de em Montreal, Canadá. Leitor do Whiplash! desde os anos 90 e atualmente colaborando com textos e traduções, diretamente da "terra do Voïvod".

Mais matérias de Antonio Parreira no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online