Jason Bonham: "tento tocar no máximo de minha habilidade"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar Correções  

Ross Raihala, do site PioneerPress.com, recentemente entrevistou o baterista Jason Bonham falando sobre o JASON BONHAM'S LED ZEPPELIN EXPERIENCE — que celebra a vida e música do pai de Jason, o lendário baterista do LED ZEPPELIN John Bonham. Abaixo alguns trechos da conversa.

Sobre os aspectos multi-mídia do show:

Eu centralizei o show em torno de registros de arquivo. Alguns mostram meu pai quando criança, de onde ele veio, como era nossa vida doméstica. Minha mãe deu uma olhada nessas imagens. Ela tem toneladas de coisas que ela nunca tinha mostrado. Eu mesmo não tinha visto algumas coisas. Você vê meu pai como um brincalhão. Os fãs adoram. E em certo ponto, eu toco 'Moby Dick' com meu pai. Nos dividimos as telas e tocamos juntos. É um pouco estranho. Agora, eu sou o cara de 44 anos tocando com meu pai de 20 anos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre viver com o legado de seu pai:

É difícil ter sua própria identidade quando seu pai é o John Bonham do LED ZEPPELIN, mas eu aceito e adoro o fato do meu pai ser quem é. Eu sei que meu pai é o maior, eu apenas tento tocar no máximo de minha habilidade.

Sobre a possibilidade de tocar novamente com o LED ZEPPELIN:

Se você me perguntasse em 2005, quando eu tinha acabado de entrar pro FOREIGNER, se eu sairia da banda em 2007 para tocar com o LED ZEPPELIN, eu diria que você está louco. Quando o Ahmet [Ertegun, fundador da Atlantic Records] faleceu, eu tive uma sensação de que eles fossem fazer algo e eles fizeram. Eu não sei se vai acontecer de novo. Eu me diverti muito com eles. Foi uma das melhores sensações do mundo estar naquele assento.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Separados no nascimento: Sebastian Bach e Fernanda LimaSeparados no nascimento
Sebastian Bach e Fernanda Lima

Slayer: fãs hardcore dão (literalmente) o sangue pela bandaSlayer
Fãs hardcore dão (literalmente) o sangue pela banda


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Goo336 GooAdHor