Mötley Crüe: novo livro do baixista terá um disco homônimo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Anderson Costa, Fonte: Guitar World
Enviar Correções  

O famigerado baixista do Mötley Crüe, Nikki Sixx, enxerga o mundo por lentes distorcidas. É o que dizem os fãs e o que ele quer mostrar no seu novo livro, This is Gonna Hurt: Music, Photography and Life Through the Distorted Lens of Nikki Sixx, que em português fica Isso vai doer: Música, Fotografia e Vida Através das Lentes Distorcidas de Nikki Sixx.

Mötley Crüe: Nikki Sixx comemora 19 anos de sobriedade

Ozzy Osbourne: 25 coisas que você não sabe sobre ele

O livro, que deve ser lançado no dia 12 de abril nos Estados Unidos, será acompanhado de um disco homônimo, uma espécie de trilha sonora original, que chegará às lojas um pouco mais tarde, no dia dez de maio, contendo nove faixas gravadas pelo Sixx: A.M., novo projeto musical do baixista, ao lado de DJ Ashba, atual guitarrista do Guns N’ Roses, e James Michael, famoso produtor musical de artistas como Alanis Morissette, Scorpions e Papa Roach.

Não é a primeira aventura editorial de Sixx. Em 2007, foi lançado "The Heroin Diaries: A Year in the Life of a Shattered Rock Star", uma autobiografia inspirada no seu diário, onde relata as experiências que viveu durante a luta contra as drogas. O livro virou best-seller do The New York Times e também foi acompanhado de trilha sonora gravada pelo Sixx: A.M.

"This is gonna Hurt" traz um compêndio de imagens e histórias, todas produzidas e escritas pelo próprio Sixx, e traduz quase toda vida do artista, desde a sua juventude raivosa até o sucesso com o Mötley Crüe, o casamento com as coelhinhas da Playboy Brandi Brandt e Donna D’Errico, a imersão nas drogas e sua jornada de renascimento no amor, na música e, sobretudo, na fotografia, pela qual registrou os últimos anos dessa jornada. Aliás, será a primeira exibição pública dessas fotografias.

"Eu sempre tive um olho para as coisas estranhas da vida. Mesmo quando criança, eu via o mundo à minha maneira e achava que a maioria das coisas diferentes era na verdade bonitas e mágicas. Mesmo as coisas que as outras pessoas achavam horríveis e nojentas. As pessoas dizem que eu vejo o mundo por uma lente distorcida. Eu acho que eu as vejo como elas realmente são", explicou Sixx em entrevista.

Por outro lado, pelo olhar de Sixx, também há feiúra sob aquilo que boa parte da sociedade vê como beleza. É essa contradição que o primeiro single do álbum, "Lies of The Beautiful People", explora e que dá o tom também de todo o disco: ao mesmo tempo tenta refletir o conceito dos artigos e fotos e quer servir de complemento, realçando a experiência da leitura.


adWhipDin adWhipDin adWhipDin