Motley Crue: Nikki Sixx agora é um viciado em fotografias

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: noisecreep.com, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 13/04/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O que o autor de Best-seller, fotógrafo, músico e apresentador de rádio, Nikki Sixx, faz para passar o tempo?

724 acessosConsequence of Sound: 10 discos de Hair Metal que "não são ruins"5000 acessosJim Carrey: batendo cabeça ao som de Cannibal Corpse

Simples: lança um novo livro de fotos pungentes e fortes e anotações de diário que nos levam mais fundo ao reino profundo e sombrio de sua visão artística. O baixista do Motley Crue está dando sequencia ao seu bestseller 'The Heroin Diaries' com o 'This is Gonna Hurt - Music, Photography and Life Through the Distorted Lens of Nikki Sixx.'

Como disse Sixx ao Noisecreep, após deixar as drogas no fim dos anos 80, a fotografia se tornou sua válvula de escape; seu "vício substituto": "Sem dúvida, eu não consigo ir muito longe sem fotografar", disse ele. "É como a música – está sempre na minha cabeça e no meu sangue o conceito de onde pode vir a próxima foto. Talvez seja a aparência de uma nuvem. A aleatoriedade da natureza, o desejo de capturar o que está se passando em tempo real ao meu redor. Isso domina. E então eu nunca estou sem uma câmera. Você simplesmente nunca sabe quando algo precisará ser captado."

As fotos no livro incluem espontâneas de Sixx bem como muitas cenas que foram montadas e concebidas de antemão. Há imagens de estrada, fotos macabras que revelam a busca de Sixx pela beleza em outros lados, e tudo que há entre isso.

Veja o vídeo de 'Lies of the Beautiful People'

As palavras de Sixx também tem um papel importante no livro. "Além de sempre ter uma câmera, eu sempre tenho um bloco de notas, também. E muitas canetas e lápis. Anotar as coisas é algo muito vital para meu processo criativo, é simplesmente uma parte do meu DNA – parte de quem eu sou. Colocar meus sentimentos no papel me permite trabalhar minha vida diante de mim. Me dá clareza e me ajuda a perceber que a vida é uma luta. Esse é o ponto. A vida não é perfeita, e eu uso o livro para tentar e inspirar a todos a fazerem o que estou fazendo – capturar momentos em palavras e fotos para ajudar a fazer nossa vida ter sentido."

Sobre como suas habilidades fotográficas o afetaram como pessoa, Sixx disse que ele busca equilíbrio quando trabalha com um fotógrafo que está tirando fotos dele. "Quando estou sendo fotografado, agora sei de tudo que o fotógrafo está fazendo. Eu sei os efeitos, os ângulos e truques. Então eu reconheço o trabalho dele. Eu me torno parte do processo. Mas então, eu tenho que confiar na forma como ele está fazendo e deixar acontecer. Todos tem um olhar diferente e você tem de deixar isso acontecer e entender o que eles estão buscando. É difícil às vezes, mas é excitante também."

O livro de Sixx também incluem imagens e dizeres sobre sua ex-namorada, Kat Von D. "Seria fácil deixar isso de fora" ele disse ao Noisecreep. "Mas só porque não estamos juntos agora, quando eu estava fazendo o livro ela era grande parte da minha vida e eu queria representar isso com honestidade. Toda a intensidade que tivemos".

Sixx explicou também como os extremos do rock and roll de sua vida afetam sua abordagem hoje. "Olha, eu fui de desajustado a sex symbol em um período de tempo muito curto. Mas eu nunca esqueci a realidade. Eu sei quem sou e de onde vim. O que eu passei na vida foi muito confuso por um tempo, por causa do quão vulnerável eu estava, mas escrever e fotografar agora me ajuda a tirar sentido disso tudo. Minha vida é extrema, e sabendo disso, eu sempre senti a necessidade de documentá-la".

Em maio, a banda de Sixx, SIXX:A.M., lançará um álbum de onze faixas para acompanhar o livro. O Motley Crue estará em turnê nesse verão como Poison e o New York Dolls.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mötley CrüeMötley Crüe
Nikki Sixx anuncia aposentadoria

724 acessosConsequence of Sound: 10 discos de Hair Metal que "não são ruins"1424 acessosHair Metal: dez álbuns que valem a pena479 acessosMötley Crüe: como crianças de hoje reagem ao som da banda?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Motley Crue"

RockRock
Alguns dos discos mais raros (e caros) do mundo

Mötley CrüeMötley Crüe
Tommy Lee diz a fãs que não peçam fotos

Nikki SixxNikki Sixx
Exibindo sua Harley Davidson com Jenna Jameson

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Motley Crue"

Jim CarreyJim Carrey
Batendo cabeça ao som de Cannibal Corpse

Guns N RosesGuns N' Roses
Axl fanfarrão explica como pegava todas as garotas

LoudwireLoudwire
As dez melhores bandas da era Grunge

5000 acessosRammstein: "Se alguém rir das gordinhas, eu quebro a cara dele!", diz Till Lindemann5000 acessosVídeo: ex-rockeiro explica o real significado da mão chifrada5000 acessosGuitarristas: E se os mestres esquecessem como se toca?4159 acessosRush: Que fim levou o garoto da capa do clássico Power Windows?5000 acessosFrank Zappa: downloads contra a pirataria... em 19895000 acessosBon Jovi: Jon e Sambora viveram triângulo amoroso com atriz

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online