Vivian Campbell: "O Def Leppard é uma banda de verdade"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 06/07/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Mike Thiel do PostCrescent.com entrevistou recentemente o guitarrista do DEF LEPPARD Vivian Campbell. Seguem alguns trechos da conversa.

851 acessosGanhos: veja quanto algumas bandas faturaram com shows recentes5000 acessosGastão Moreira: A coleção do VJ, apresentador e jornalista musical

PostCrescent.com: Você tocou no DIO, WHITESNAKE e muitas outras bandas. Qual a diferença de tocar no DEF LEPPARD?

Vivian: Há muitas coisas diferentes. Em primeiro lugar, o DEF LEPPARD realmente é uma banda. São cinco caras e não somos um vai e vem de músicos como essas outras bandas são. O WHITESNAKE especialmente – quero dizer, alguém já contou realmente quantos músicos já passaram pelo WHITESNAKE? (risos) Eu sei que são mais de cinqüenta. É ridículo, e mesmo o DIO, tipo depois que eu saí do DIO, houve vários outros guitarristas, alguns outros bateristas, alguns poucoos baixistas (e) alguns outros tecladistas. O DEF LEPPARD, se Steve Clark estivesse vivo, ele ainda estaria na banda hoje. O DEF LEPPARD não é o tipo de banda que simplesmente vai e troca membros... Também é um padrão muito mais elevado do que as outras bandas em que já estive envolvido. Quando se trata de composição, o bom não é o suficiente, tem de ser ótimo. A banda é notoriamente meticulosa em estúdio, e mesmo quando se trata de nossas performances ao vivo, nós levamos isso muito, muito a sério, então há um padrão muito alto de trabalho dentro da banda. Nós nos apresentamos sóbrios e no horário e fazemos nosso trabalho.

PostCrescent.com: Você ainda está tocando em grandes lugares com o DEF LEPPARD. Qual a diferença de fazer shows em 2011 para o início dos anos 90 quando você entrou?

Vivian: Quando fazíamos turnê antes, fazíamos para promover um disco novo. Esse certamente não é o caso atualmente. É tipo mais como um evento. Nosso show cresceu em questão de produção; tornou-se um círculo completo novamente. Minha primeira turnê com a banda foi pelo "Adrenalize" e essa foi uma produção enorme – um palco sólido e lasers e todos tipos de sinos e apitos. Nos anos 90, na era grunge, esse tipo de coisa não estava em voga, por assim dizer (risos). Nós simplesmente fomo e tipo abaixamos a cabeça e tocamos rock and roll. Era um tipo diferente de coisa então bem no fim dos anos 90, começamos a dizer, acho que está ok voltarmos realmente a ser o DEF LEPPARD de novo e agregar o valor da produção novamente no show. Então o show foi crescendo e crescendo, e por sorte nossa música realmente se presta a isso. ... Não diria que somos uma banda teatral – esse tipo de coisa me lembra o MÖTLEY CRÜE – mas somos muito voltados à produção.

PostCrescent.com: Há algum segredo para sua longevidade no music business?

Vivian: Há um certo nível de talento, mas acho que o mais importante é quando jovens músicos me pedem conselhos, tipo, como você faz? Como chegar lá no music business? Uma das primeiras coisas que eu sempre digo é que você tem de se lembrar de que como qualquer outro trabalho, você está interagindo com pessoas. Então trabalhe suas habilidades pessoais tanto quanto com sua guitarra porque muitos dos grandes guitarristas são simplesmente verdadeiros, então você não qeur trabalhar com eles (risos). Há uma coisa que posso dizer do DEF LEPPARD; nós genuinamente nos gostamos. Nós nos damos bem. Não que a gente tipo sai para acampar junto todo dia e usa pijamas combinando, mas nós toleramos a companhia dos outros e temos respeito o bastante pelo outro enquanto ser humano para trabalharmos juntos e nos mantermos juntos. Muitas outras bandas, honestamente, eles se odeiam. Eles tem camarins separados, ficam em hotéis separados e é doloroso para eles subir no palco e fingir que se gostam. Não é fingimento para nós.

Leia mais no PostCrescent.com.

http://www.postcrescent.com/article/20110705/APC0502/1107010...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

851 acessosGanhos: veja quanto algumas bandas faturaram com shows recentes2219 acessosDef Leppard: edição deluxe celebra 30 anos do álbum "Hysteria"1026 acessosDef Leppard: nunca mais lançarão álbuns como o "High and Dry"498 acessosWho e Def Leppard em POA: venda para público geral inicia amanhã2761 acessosThe Who: venda de ingressos para show em POA começa nesta segunda0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Def Leppard"

Hair MetalHair Metal
As melhores músicas, conforme a Rolling Stone

NWOBHMNWOBHM
Os 25 maiores álbuns do gênero entre 1980 e 1982

GibsonGibson
Os 10 riffs mais incríveis dos anos 80

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Def Leppard"

Collectors RoomCollectors Room
A coleção de Gastão Moreira, ex-VJ do programa Fúria Metal

Collectors RoomCollectors Room
Baixos, guitarras, calcinhas, e máquina de pinball do Kiss?

Vanusa e Black SabbathVanusa e Black Sabbath
A notável coincidência nos riffs

5000 acessosMayhem: banda levou restos humanos para o palco em 20115000 acessosTwo and a Half Men: Participações de astros do rock5000 acessosRobert Plant: "quase saí do Led quando meu filho morreu"5000 acessosUm por todos e todos por um: o making of de Led Zeppelin IV5000 acessosAxl Rose: Mick Wall quer desmascarar "arregada" para Vince Neil5000 acessosJimi Hendrix: algo especial, difícil de ser definido em palavras

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online