David Ellefson: "esse álbum vai deixar os fãs felizes"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Daniel Molina, Fonte: Rust In Page, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 09/08/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Zach Shaw do site MetalInsider.net entrevistou o baixista David Ellefson. Confiram abaixo alguns trechos da conversa.

1 acessosMegadeth: Dave Mustaine conta qual o seu riff favorito5000 acessosSlayer: Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido

MetalInsider.net: Vamos começar falando do novo álbum da banda, "TH1RT3EN". Como sabemos esse é o primeiro álbum desde o seu retorno à banda. Como se sentiu em voltar ao estúdio com o MEGADETH depois de tanto tempo?

Ellefson: Sabe, acho que fizemos a coisa certa ao voltarmos e celebramos o 20º aniversário do Rust In Peace no ano passado. É claro que o Chris «Broderick» e o Shawn«Drover» eram novos membros com quais deveria me integrar. Comigo e com o Dave «Mustaine», foi uma conexão instantânea que deu certo. E foi a coisa certa a se fazer antes de tentarmos nos aventurar a gravar algo criativo depois de tanto tempo sem tocarmos juntos. Teria sido uma dinâmica diferente. Então fazer esse novo álbum com a banda foi muito divertido. Rápido e divertido. Sabiamos que não tinhamos muito tempo, apenas 10 semanas entre as duas turnês. Teve uma energia, tipo quando fizemos o "Peace Sells… But Who's Buying?". Estávamos no meio de duas turnês, a gravadora queria um álbum, e havia muita empolgação ao redor da banda naquela época. A única diferença é que no caso do "Peace Sells…", nós já tinhamos as músicas escritas e fomos e gravamos. Para esse álbum nós não tinhamos nada escrito antes de cairmos na estrada e começamos do nada e gravamos o álbum. E tem uma energia e uma vibe igual a que sentimos na estrada.

MetalInsider.net: Você já começou a dizer isso, mas qual a diferença de gravar hoje em dia com Dave Mustaine comparado a 25 anos atrás quando vocês gravaram o "Peace Sells…"?

Ellefson: Bem, foi bem parecido à época do "Peace Sells…", Dave escreveu a maioria das músicas do "TH1Rt3EN" e tem uma boa influência da gente nele também. Acho que o motivo de tudo ter dado certo tão rapidamente foi porque queriamos gravar um grande álbum. Não vamos nos ater ao seu riff ou o meu riff, ou sua letra. Vamos jogar todas a ideias na mesa e usarmos as melhores. E isso criou uma grande sinergia entre nós quatro e nosso produtor Johnny K «DISTURBED,STAIND, MACHINE HEAD». Então quando chegou o momento de cada um gravar a sua parte, cada músico levou a música para um direcionamento criativo, e esse é um processo que precisa acontecer para que seja uma banda e não um projeto solo. E esse tem o selo do MEGADETH.

MetalInsider.net: Por falar em gravadoras, Dave Mustaine foi bem claro sobre sua insatisfação com a Roadrunner Records. Já que esse é o último álbum no contrato, você poderia nos dizer quais os planos para depois disso?

Ellefson: Bem, nosso agente e o presidente da Roadrunner foram ao nosso show outro dia em «Holmdel» Nova Jersey, e eles estavam bem felizes com o que ouviram do novo álbum. Esse é um álbum que vai deixar os fãs de metal felizes mas que nos permitirá atingir outros tipos de media como rádios e ser mais main stream, mas de um jeito bem MEGADETH de ser. Estamos empolgados, vamos tocar no Yankee Stadium e de repente a MLB fica empolgada com o MEGADETH. Essas são grandes parceirias para se ter quando você tem o álbum certo, a música certa, e certamente o tipo certo de tour ou show como esse com o "Big Four". Somos uma banda que foi bem recebida em vários cenários, seja lutas profissionais e esportes, video games, e todo tipo de coisa diferente. É uma habilidade que a gente tem de cruzar essa linha do metal e ainda continuar sendo uma banda de metal. Tem que ser algo que aconteça naturalmente.

MetalInsider.net: Dito isso, vocês estariam abertos a continuarem na Roadrunner Records?

Ellefson: Bem, isso é pensando a longo prazo. Neste momento queremos entregar a ele um excelente álbum, porque seja esse o último ou um recomeço com eles ou com qualquer outra gravadora, no final do dia é o nome MEGADETH em jogo e é isso o que os fãs veem. Então quisermos fazer um ótimo álbum para nosso fãs, independente de tudo isso. Nós fizemos nossa parte e agora é a vez deles.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MegadethMegadeth
Dave Mustaine conta qual o seu riff favorito

3121 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa532 acessosMarty Friedman: ouça "Miracle", single do novo álbum solo0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

MegadethMegadeth
A diferença entre os investimentos das gravadoras

LoudwireLoudwire
Dez reuniões inesquecíveis no palco

MegadethMegadeth
Pepeu Gomes comenta convite e fala sobre Kiko Loureiro

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

SlayerSlayer
Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido

Rock In Rio IRock In Rio I
Pra quem tem menos de quarenta anos fica difícil imaginar

Rolling StoneRolling Stone
Revista elege os melhores rocks com mais de sete minutos

5000 acessosDuff McKagan: "Justin Bieber é um roqueiro de verdade!"5000 acessosCâncer na língua: Os músicos que sofreram deste mal5000 acessosShaman: baixista desabafa sobre cena brasileira5000 acessosIron Maiden: Bruce Dickinson cita Donald Trump durante show em New York5000 acessosQueen: a história por trás da canção "I Want to Break Free"5000 acessosJeff Hanneman: novo dono de guitarras promete honrar instrumentos

Sobre Daniel Molina

Nascido em 79, professor de inglês e tradutor. Conheci o metal e suas várias vertentes através de um amigo do meu irmão no final dos 80, onde em 89 acabei me deparando com Megadeth dentre os vinis que estava ouvindo e foi amor à primeira ouvida, uma paixão que dura 20 anos. Apaixonado por thrash metal, especialmente Bay Area e East Coast mas também aficcionado por NWOBHM, Hard e Death. Com o passar do tempo percebi que o rótulo é o que menos importa e sim o tipo de música que nos agrada, mas apesar de tudo, thrash sempre acima de tudo. Já trabalhei com vários sites, cobrindo shows e fazendo entrevistas mas sempre tocando a Rust In Page por amor ao Megadeth, e hoje além de dedicação total ao meu trabalho salvo bastante do meu tempo para manter a página rolando firme e forte e mantendo os Droogies brazucas informados.

Mais informações sobre Daniel Molina

Mais matérias de Daniel Molina no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online