Travis Barker: "ganhei uma segunda chance de viver"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Wellington Monteiro, Fonte: eonline.com, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 02/10/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?


O baterista Travis Barker, do Blink 182, que sofreu um acidente de avião há três anos, revela à Rolling Stone o que passou após o ocorrido.
2620 acessosRock In Rio: fã cria line-up só com artistas "inéditos" desde 20115000 acessosChris Cornell: ele não dava sinais de que se mataria, diz esposa

O roqueiro, que perdeu 4 colegas no acidente, e o bom amigo DJ AM que só veio a falecer meses mais tarde, explica como é que ele mudou tudo, desde a sua dieta, a sua dependência de analgésicos, e até mesmo como sua banda, o Blink-182 voltou a ativa.

E, embora o acidente foi o que instigou a reforma em Barker, o baterista admite que ele só foi capaz de se recuperar devido a uma coisa: seus filhos.

Travis explica: "Se eu não tivesse filhos, eu acho que eu teria tomado outro caminho, quero dizer, quando eu saí do hospital eu estava tomando 21 tipos de medicamentos, o médico disse que eu só teria metade dos movimentos para o resto da minha vida, eu estava em 5150 (clínica psiquiátrica), vi por duas semanas... suicidas, loucos. Eu, então, parei lentamente com os remédios. Tinha meus filhos olhando para mim e querendo me ver recuperado... Só para ter uma segunda chance, sabendo que meus parceiros não entendiam isso. Eu tinha que tirar o máximo proveito do meu tempo, e aproveitar ao máximo do meu tempo criando mudanças na minha vida após o drástico fato; prometendo para mim mesmo que se eu andasse de novo, eu iria comer bem e nadar todos os dias."

De fato, o baterista seguiu a sua promessa para ficar saudável: "Eu estou bem desde que eu saí do hospital, passar por isso tudo é algo que te faz abrir os olhos, e mudou a minha vida em uma série de maneiras, eu quero dizer, eu corro todos os dias agora, nunca corri antes."

Algo que ele fazia antes? Tomava Vicodin diariamente, um hábito que Travis chutou para o meio-fio. "Antes da queda do avião, eu estava lutando contra um vício em analgésicos por anos. Posso dizer com orgulho que eu nem sequer tomei qualquer medicação para a dor depois que eu saí do hospital. Eles me disseram que eu ficaria tomando alguns medicamentos para o resto da minha vida, mas eu não preciso de nenhum deles. Eles me fizeram uma pessoa completamente diferente."

Travis afirma que a tragédia não só "mudou sua vida em uma série de maneiras", mas concedeu-lhe "uma segunda chance" na vida.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


2620 acessosRock In Rio: fã cria line-up só com artistas "inéditos" desde 20111289 acessosPeladões: sete músicos que subiram ao palco sem roupa1408 acessosLinkin Park: alguns dos convidados para tributo a Chester Bennington383 acessosBlink 182: música da banda com apenas uma guitarra?135 acessosAngels & Airwaves: novo clipe e EP com regravações acústicas0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Blink 182"

ClipesClipes
10 vídeos de rock/metal bem legais lançados em 2016

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Rockstars muito antes da fama

Temperatura MáximaTemperatura Máxima
As atrizes pornôs que incendiaram o cenário Rock

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Blink 182"


Chris CornellChris Cornell
Ele não dava sinais de que se mataria, diz esposa

SlipknotSlipknot
10 vezes em que Joey Jordison foi um verdadeiro herói

SepulturaSepultura
O solo de Eloy que fez o RIR aplaudir o Gloria

5000 acessosCapas Gêmeas: as infelizes coincidências nas artes dos álbuns5000 acessosIron Maiden: versões pesadas para clássicos do Rock5000 acessosNicko McBrain: pedal duplo é pra caras como Aquiles Priester5000 acessosDuff McKagan: a assustadora experiência de tocar sóbrio5000 acessosEric Singer: Steven Adler perdeu o concurso e a mãe dele foi tirar satisfação5000 acessosMotörhead: "existe alguém que pareça mais malvado?"

Sobre Wellington Monteiro

Tatuador, nascido em São Vicente, litoral de SP, colabora com o Whiplash desde os 15 anos. Ouve tudo o que acha bom, sem se preocupar com o que vão pensar. Facebook: Wellington Monteiro. Twitter @WMBOficial. Lastfm: wmonteirob.

Mais matérias de Wellington Monteiro no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online