Mötley Crüe: Tommy Lee roubou ideia da Montanha-Russa?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar Correções  

Uma boa razão pela qual o MÖTLEY CRÜE ainda segue em frente é porque eles ainda são muito divertidos ao vivo, apesar de velhos, fora de forma, sequelados, imorais, e possivelmente apresentando certo nível de retardo mental em decorrência dos excessos cometidos ao longo da vida. E uma das melhores coisas das turnês mais recentes deles é a bateria ‘montanha russa’ de Tommy Lee. Não só a porra roda e completa um círculo de 360 graus, mas toda noite um fã da banda sobe na estrovenga e participa do número com ele. O apelo da coisa não tem nada a ver com tocar bateria, mas em termos de impacto visual, é de outro mundo. E qualquer fã de Metal abe que impacto visual é necessário nesse tipo de música.

publicidade

publicidade

E daí que agora um engenheiro de Los Angeles chamado SCOTT KING está processando Tommy Lee porque afirma que ele desenvolveu a estrutura em 1991, e Lee recusou usá-la. Os advogados de Lee afirmam que isso não é verdade, e que a estrutura oferecida por King era diferente.

Claro que nem eu nem vocês jamais saberemos o que realmente ocorreu, mas claro, casos de propriedade intelectual envolvendo roqueiros – como esse – parecem ser resolvidos fora dos tribunais em 99% das vezes, e por boas razões. No fim das contas, gente rica pode simplesmente tapar buracos com dinheiro, e vamos ser francos: é isso que King está procurando.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metromix: a lista dos vocalistas mais irritantes do rockMetromix
A lista dos vocalistas mais irritantes do rock

Heavy Metal: celebridades que curtem ou já curtiramHeavy Metal
Celebridades que curtem ou já curtiram


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin