Tá me ouvindo?: A tecnologia de áudio do século XIX

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Ver Acessos

A revista Scientific American desse mês traz um belo artigo detalhando a tecnologia de áudio de muito tempo atrás. Falando de válvulas, fonógrafos e até uma mais recente 'braço leitor de discos giratórios', o artigo é uma bela pedida para os interessados. O que segue abaixo é a tradução de um trecho:

[...] "No começo do século XIX, Jean-Baptiste Bio tinha conduzido experimentos com o modo pelo qual o som viaja através de longos tubos, usando o encanamento da rede sanitária de Paris, e descobriu que as manilhas serviam para manter uma conversa a níveis inteligíveis até mais de 900 metros, comparados a como essas mesmas conversas se comportavam quando viajando em espaços abertos. Aumentando o diâmetro desses canos, entretanto, causava uma queda correspondente na inteligibilidade.

Então Elliott teve que ter alto respaldo científico para se basear quando conduzira suas próprias medições do sistema de conversa via tubos em sua residência na cidade inglesa de Cambridge, parte de um sistema elétrico usado para dar ordens aos empregados.

Cada ponta do tubo - uma perto do forno da cozinha, a outra no corredor do segundo andar - é coberta por uma válvula com um apito. Se alguém quisesse se comunicar, ele ou ela abriria a válvula e sopraria pelo tubo, produzindo um som que parecia uma chaleira apitando. Daí alguém que estivesse do outro lado saberia que deveria abrir sua válvula também, e as duas partes poderiam ter uma conversa através do tubo. Ah, e as duas extremidades tinham aberturas em forma de cone para ouvir melhor a outra parte. Afinal, tratava-se de uma guia de ondas, que nesse caso guia ondas sonoras. "[...]




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Indústria Musical"


Racismo: documentário aborda preconceito contra negras no MetalRacismo
Documentário aborda preconceito contra negras no Metal

Pirataria: Os 20 álbuns mais baixados ilegalmente no Reino UnidoPirataria
Os 20 álbuns mais baixados ilegalmente no Reino Unido

Música: 13 fatos estarrecedores sobre a atual indústriaMúsica
13 fatos estarrecedores sobre a atual indústria


Viking Metal: Com um machado na mão, o que você quiser, você pode!Viking Metal
Com um machado na mão, o que você quiser, você pode!

Angra: versões bizarras de músicas da bandaAngra
Versões bizarras de músicas da banda

Slipknot: Corey Taylor não tem a cara limpa por baixo da máscaraSlipknot
Corey Taylor não tem a cara limpa por baixo da máscara

Axl Rose: Sobe na porra do palco ou você vai morrer!Axl Rose
"Sobe na porra do palco ou você vai morrer!"

Bruce Dickinson: O Iron Maiden é melhor que o MetallicaBruce Dickinson
"O Iron Maiden é melhor que o Metallica"

Napalm Death: Religião causa miséria do mundoNapalm Death
Religião causa miséria do mundo

Guns N' Roses: 10 músicas que seriam ótimas de se ouvir na reuniãoGuns N' Roses
10 músicas que seriam ótimas de se ouvir na reunião


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336